Joseph L. Henderson, foi um psicólogo e autor que foi um dos primeiros praticantes de métodos desenvolvidos por Carl Jung para explorar influências culturais no inconsciente

0
Powered by Rock Convert

Joseph L. Henderson; Métodos Jungianos Expandido

 

 

Joseph L. Henderson (Foto: C.G. Jung Institute of San Francisco / DIREITOS RESERVADOS)

 

 

 

Joseph Lewis Henderson (Eiko, Nevada, 31 de agosto de 1903 – Greenbrae, Califórnia, 17 de novembro de 2007), foi um psicólogo e autor que foi um dos primeiros praticantes de métodos desenvolvidos por Carl Jung para explorar influências culturais no inconsciente.

Como jovem jornalista em busca de uma nova direção no final da década de 1920, Joseph Henderson viajou para Zurique para fazer uma análise com Jung, o teórico psicológico pioneiro e rival de Sigmund Freud.

Enquanto em Zurique, ele estudou imagens de sonhos e cores, símbolos e arquétipos, que Jung acreditava que as culturas cruzadas eram quase universalmente reconhecidas. Depois de frequentar a escola de medicina em Londres, Joseph Henderson retornou aos Estados Unidos e abriu uma clínica psicanalítica em Manhattan em 1938. Mudou-se para São Francisco pouco depois e levou os métodos e ideias de Jung sobre uma mente inconsciente coletiva com ele.

Joseph Henderson tornou-se mais amplamente conhecido por uma noção relacionada: a de uma inconsciência cultural na qual os impulsos herdados de uma pessoa podem ser filtrados automaticamente através de sua cultura, às vezes para aparecer em formas nitidamente diferentes. Um exemplo seria a canalização da agressão, na qual o impulso poderia tomar a forma de esportes coletivos, dança ou guerra, dependendo da cultura circundante.

Joseph Henderson explicou pela primeira vez sua ideia em 1962, em um “artigo mais estimulante que acrescentou uma dimensão à teoria de Jung sobre como falamos sobre imagens e emoções vindas da psique”, disse o dr. Thomas B. Kirsch, um psiquiatra e ex-psiquiatra. presidente da Associação Internacional de Psicologia Analítica e autor de “The Jungians” (2000).

oexploradorPowered by Rock Convert

Em 1967, Joseph Henderson examinou aspectos psicológicos dos ritos de iniciação, em um estudo que combinou religião e antropologia. Aquele livro, “Limiares da Iniciação”, examinou como uma pessoa pode enfrentar e superar vários obstáculos em diferentes momentos da vida.

John Beebe, psiquiatra e ex-presidente do Instituto CG Jung de São Francisco, chamou-a de “antítese de um livro de auto-ajuda”, dizendo que fazia uma distinção entre uma figura heroica em uma situação extraordinária e a mais comum. experiência de lidar com o envelhecimento e outros desafios.

Em 2003, quando ele tinha 100 anos, o Dr. Henderson, com seu colega analista Dyane N. Sherwood, publicou um estudo sobre o simbolismo da alquimia, “Transformação da Psique”. O livro conectou cores que aparecem em sonhos com emoções e trataram as noção alquímica de transformar chumbo em ouro como uma metáfora para um movimento da mente inconsciente em direção ao consciente.

Joseph Lewis Henderson nasceu em Elko, Nevada, em 31 de agosto de 1903. Ele se formou em Princeton e em 1938 obteve seu diploma em medicina no St. Bartholomew’s Hospital em Londres.

Dr. Henderson praticou por muitos anos em San Francisco, onde ajudou a fundar o Instituto Jung e serviu como seu presidente. Seu escritório acabou sendo transferido para sua casa em Ross, na Califórnia, e ele continuou a atender pacientes até completar 102 anos.

A esposa do Dr. Henderson de 60 anos, a ex-Helena Cornford, morreu em 1994. Ele deixa dois netos e dois bisnetos.

Seu estudo da cor e da alquimia reflete o próprio fascínio de Jung pelos assuntos. Enquanto ainda era estudante de medicina, Joseph Henderson encontrou o “Splendor Solis”, um manuscrito iluminado mantido na biblioteca do Museu Britânico. Dentro do manuscrito, que data do século 16, ele encontrou sequências de cores e símbolos impressionantemente semelhantes aos que ele já havia experimentado em sonhos. Ele desenhou as imagens dos sonhos para Jung ver, que confirmou sua natureza essencialmente alquímica.

A partir desse momento, Joseph Henderson estava convencido de que a poderosa magia da alquimia “poderia expressar estágios significativos em qualquer processo profundo de autodescoberta”.

Henderson morreu em 17 de novembro em Greenbrae, Califórnia. Ele tinha 104 anos.

A causa foi pneumonia, disse sua família.

(Fonte: A Companhia do New York Times – TRIBUTO / MEMÓRIA / POR JEREMY PEARCE – DEC. 4, 2007)

Powered by Rock Convert
Share.