O primeiro transatlântico a motor a transportar pessoas em uma travessia oceânica

0
Powered by Rock Convert

O primeiro transatlântico a motor a transportar pessoas em uma travessia oceânica

OS MAIORES NAVIOS DO MUNDO

Os Maiores Navios do Mundo em Cada Época

Conheça a evolução dos navios

Com foco em entretenimento a bordo, a viagem em navios começou com Great Western, em 1838, em sua viagem inaugural entre Inglaterra e Estados Unidos

A evolução do mercado de cruzeiros foi iniciada em 1838 com o navio Great Western. Ele é o primeiro transatlântico a motor a transportar pessoas em uma travessia oceânica e é considerado o precursor dos cruzeiros.

Desde o Great Western, o tamanho das embarcações e o conforto dentro deles não param de aumentar. Quando surgiram, os navios de passageiros eram exclusivamente para fazer o transporte de passageiros entre a Europa e a América, já que não havia voos comerciais regulares.

Com o passar dos anos, essas embarcações foram ganhando requinte até se transformarem em opções de passeio. Se antes eram privilégio dos ricos, hoje tornaram-se boas opções de custo-benefício de férias em família.

1838 – Great Western

Em 1838, o Great Western fez sua viagem inaugural entre Inglaterra e Estados Unidos. Foi o primeiro navio a atravessar o Oceano Atlântico a não usar vela e transportando passageiros. Ele foi idealizado pelo engenheiro Isambard K. Brunel, na época um gênio das ferrovias que queria levar a tecnologia dos motores a vapor para o mar. Tocado a carvão, tinha 72 metros de comprimento e capacidade para 260 pessoas, incluindo a tripulação. Inicialmente seria construído de madeira, mas acabou sendo feito com parte de ferro.

1845 – Great Britain

Também projetado por Isambard K. Brunel, o Great Britain trouxe mais uma inovação. Foi o primeiro navio de passageiros construído totalmente em ferro. Fez a viagem inaugural também da Inglaterra aos Estados Unidos em 1845 em 14 dias, um a menos do que o Great Western. O gigante para a época tinha 98 metros de comprimento sobre 3,3 mil toneladas. O navio tinha quatro pavimentos, sendo que três eram internos para levar 360 passageiros mais 130 tripulantes. Na primeira viagem, porém, havia somente 45 passageiros. O navio agora está no porto Marítimo de Bristol, na Inglaterra, e é muito requisitado para casamentos.

1854 – Himalaia

Com 100 metros, dois a mais do que o Great Britain, o Himalaia assumiu o posto de maior navio de passageiros do mundo em 1854. Com capacidade para 200 passageiros e 213 tripulantes, também foi construído na Inglaterra. A embarcação era tocada por propulsão, mas também foi equipada com velas em três mastros para uso quando o vento fosse favorável. Apesar de ter sido projeto para transporte de passageiros, foi comprado pelo governo britânico logo após a inauguração e usado pela Marinha local para transporte da tropa. Foi afundado por um ataque aéreo em 1940.

1899 – Oceanic

Durante o século 19 a construção de navios de passageiros foi sendo intensificada no Reino Unido e os tamanhos das embarcações foram aumentando. Quem encerrou o século como maior foi o Oceanic, que fez sua viagem inaugural em 1899. Com 215 metros e 17 toneladas, era chamado na época de Rainha do Mar por sua imponência. Tinha capacidade para quase duas mil pessoas, entre passageiros e tripulantes. Também acabou sendo incorporado pela Marinha Britânica durante a Primeira Guerra Mundial e encerrou as operações em 1914.

1903 – Baltic

Com seus 222 metros, o Baltic tornou-se o maior navio do mundo em comprimento em 1903. Pesando 23 toneladas, foi uma das quatro embarcações construídas pela White Star Line no início do século 20 com mais de 20 toneladas. Como era tradição na época, fez a viagem inaugural de Liverpool até Nova York. Na época não havia voos comerciais e os cruzeiros eram a principal forma de viajar da América para a Europa. Em abril de 1912 a embarcação enviou uma mensagem de iceberg para o Titanic, que acabaria naufragando logo depois. O transatlântico funcionou até 1933, quando foi desmanchado no Japão.

1911 – Olympic

Em 1911 o Olympic fez sua viagem inaugural com pompa. Foi projetado com luxo, com instalações idênticas ao do seu irmão Titanic, que seria lançado no ano seguinte. A primeira classe tinha cabines de luxo, academia, áreas para fumantes e sauna à disposição. Era o começo dos restaurantes de luxo nos navios, como o A La Carte. Também havia a escadaria principal luxuosa, com ouro e pedras preciosas, além de três elevadores.

Medindo 268 metros, o navio ficou com o posto de maior do mundo até a inauguração do Titanic. Ele tinha capacidade para 2.435 passageiros, mais 900 tripulantes e ficou em operação até 1935.

1912 – Titanic

A história do Titanic ficou famosa no mundo inteiro graças ao filme do mesmo nome estrelado por Leonardo Di Caprio. O gigante luxuoso de 269 metros de comprimento e 46 toneladas era o sonho da engenharia naval. Praticamente idêntico ao Olympic, destacava-se por ter mais partes em ouro e pedras, como a escadaria principal, que até hoje é conhecida pelo sucesso do filme. A embarcação era dividida em primeira, segunda e terceira classes. O Titanic , porém, superou todos os antecessores em requinte. Na primeira classe havia piscina, academia, uma quadra de squash, sauna e o Café Parisien. Havia ainda bibliotecas e cabelereiros para a primeira e a segunda classes, além de centenas de valiosas obras de arte.

Tudo seria perfeito no transatlântico com capacidade para 3,5 mil passageiros e 860 tripulantes não fosse o acidente fatal em sua viagem inaugural. O Titanic saiu de Southampton, na Inglaterra, e chocou-se com um iceberg no Oceano Atlântico antes de chegar a Nova York, nos Estados Unidos. Ele afundou no dia 15 de abril de 1912.

Devido ao fascínio que ainda exerce sobre as pessoas, a embarcação ganhará uma réplica. A Blue Star Line já está construindo o Titanic II, que será idêntico ao primeiro e ficará pronto em 2016.

1913 – Leviathan

Em 1913 foram inaugurados dois navios alemães que brigaram pelo título de maior cruzeiro do mundo na época. Mas com 289 metros o Leviathan superou os 286 metros do Imperator. O Leviathan foi construído em Hamburgo para fazer o serviço de passageiros para a América. Ele havia feito algumas viagens quando, no final de julho de 1914, chegou a Nova York e começou a I Guerra Mundial. Acabou apreendido pelo governo americano e ficou parado por quase três anos.

1914 – Majestic

Com 55 toneladas e 291 metros, o Majestic foi inaugurado em 1914 pela Condessa Bismarck, que teve dificuldade em quebrar a garrafa de champanhe sozinha, como é tradição na inauguração de cruzeiros. Luxuoso e espaçoso, o transatlântico foi obrigado a adiar sua viagem inaugural devido à Primeira Guerra Mundial. A primeira viagem foi somente em 1922 de Southampton, na Inglaterra, para Nova York. Nos anos de 1920 foi o navio que mais carregou passageiros na Europa, sempre com hóspedes de alto padrão financeiro. Ele operou até 1936, quando foi demolido.

1935 – Normandie

Powered by Rock Convert

Com o inauguração do Normandie, em 1935, foi para a França o posto de maior navio de cruzeiro do mundo. A embarcação construída na época com o que havia de mais tecnológico na indústria naval e com acabamento de altíssimo nível media 299 metros e pesava 79 toneladas. Seu design inovador e interior luxuoso atraiu a atenção do mundo todo. Apesar da pompa, o transatlântico não foi um sucesso para a sua época. O maior motivo da rejeição estava no fato de que a maior parte de seu espaço para passageiros foi dedicado exclusivamente para a primeira classe, que podia transportar até 848 pessoas. Menos espaço e consideração foram dados a segunda e a terceira classes, que contavam apenas 670 e 454 passageiros, respectivamente. Como resultado, ele ganhou fama por ser um navios essencialmente para os ricos e famosos. Ele foi vendido para sucata em 1946.

1940 – Queen Elizabeth

O Queen Elizabeth reinou de 1940 a 1988 como o maior navio de cruzeiros do mundo. A embarcação da empresa Cunard Line tinha 88 toneladas distribuídas em 314 metros. O gigante tinha capacidade para 2.283 passageiros, mais 1 mil pessoas na tripulação e foi batizado, claro, pela Rainha Elizabeth, do Reino Unido.

A embarcação foi vendida para um empresário de Hong Kong, que pretendia convertê-la em um navio de cruzeiro-universidade flutuante. Em 1972, enquanto passava por reformas, no porto de Hong Kong, o navio pegou fogo em circunstâncias misteriosas e foi virado pela água utilizada para combater o fogo. Em 1973, o naufrágio foi considerado uma obstrução, e ele foi parcialmente demolido. Em 2007, a Cunard Line lançou outro Queen Elizabeth.

1988 – Sovereign

Ao fazer sua viagem inaugural, em janeiro de 1988, o Sovereign of de Seas assumiu a condição de maior navio de cruzeiro do mundo. Na época operado pela Royal Caribbean International, ele ganhou esse posto por ter capacidade para 2,8 mil passageiros, mais aproximadamente 1 mil tripulantes. Nesta época, as grandes embarcações de passageiros não faziam somente viagens transatlânticas. Já crescia a busca por passeios, como é hoje. Em 2008, o navio passou a se chamar somente Sovereign, após uma reforma e passar a ser operado pela Pullmantur. A embarcação, que tem 268 metros, foi uma das primeiras a adotar o conceito de resort para atender aos hóspedes.

1995 – Sun Princess

Com 261 metros, mesmo sendo 7 metros menor em comprimento do que o Sovereign, o Sun Princess foi considerado o maior navio de cruzeiros em 1995, quando foi lançado. Ele superou o anterior em peso, já que comportava 77 toneladas. Também superou em altura, com 14 decks (o que corresponde a andares), sendo que o 10º é exclusivo para passageiros. O navio da empresa Princess Cruises também ampliou o conceito de luxo a bordo, com 400 cabines com varanda e uma série de amenities como Spa e galeria de arte.

1996 – Carnival Sunshine

Esse navio de cruzeiro foi inaugurado em 1996 como Carnival Destiny. De propriedade da Carnival Cruise Lines, a embarcação foi a primeira construída para cruzeiro com o peso superior a 100 toneladas. Com 272 metros de comprimento, o navio passou por uma remodelação no primeiro semestre desse ano e foi rebatizado. Desde então, ele é o Carnival Sunshine.

1997 – Grand Princess

O Grand Princess, da companhia Princess Cruises, entrou em operação em 1997. No ano de seu lançamento, ele foi considerado o maior e mais caro navio já construído. Com 289,8 metros de comprimento e capacidade para 3,1 mil passageiros, essa embarcação foi até junho passado a principal da companhia. Ela perdeu o posto com o lançamento do navio Royal Princess.

1999 – Voyager of the Seas

Operado pela Royal Caribbean International, o Voyager of the Seas está em operação desde 1999. Essa embarcação da classe Voyager tem capacidade para 3,1 mil passageiros em seus 311 metros de comprimento. Em sua estreia, Voyager of the Seas foi considerado como um hotel flutuante devido a enorme variedade de atividades a bordo. Ele foi o primeiro navio com parede de escalada a bordo e a primeira pista de patinação no gelo.

2000 – Explorer of the Seas

Com 311 metros de comprimento, o Explorer of the Seas, da Royal Caribbean International, começou a navegar no ano 2000. Além de todas as atrações de um cruzeiro marítimo, o navio mantém laboratórios de pesquisa atmosférica e oceanográfica que pertencem a uma universidade de Miami, nos Estados Unidos. Em fevereiro de 2015, o Explorer será remodelado para receber a “Royal Advantage”, uma série de melhorias apresentadas com os navios da classe Oasis.

2002 – Navigator of the Seas

Inaugurado em 2002 e ainda em atividade, o Navigator of the Seas é o primeiro navio da classe Voyager. Com capacidade para 3,1 mil hóspedes e 311 metros de comprimento, essa embarcação reúne algumas das principais atrações dos navios da Royal Caribbean International, como parede de escalada, ringue de patinação no gelo e campo de minigolfe.

2004 – Queen Mary 2

Conhecido como QM2, o transatlântico Queen Mary 2 foi lançado em janeiro de 2004 pela rainha Elizabeth II. De propriedade da Cunard Line, desde sua inauguração a embarcação faz a ligação entre Southamptom, na Inglaterra, e Nova York, nos Estados Unidos. Essa embarcação, que transporta 2,6 mil hóspedes, sucedeu a Queen Elizabeth 2, em 1969. A Queen Mary 1, de 1936, foi batizada pelo Rei George V. Com a aposentadoria do Queen Elizabeth 2 em 2008, o QM2 é o único navio de cruzeiro transatlântico em serviço.

2006 – Freedom of the Seas

O Freedom of the Seas foi o primeiro navio da classe Freedom, da Royal Caribbean International. Sua primeira viagem foi em junho de 2006. Com 339 metros de comprimento, essa embarcação para 3,6 mil hóspedes foi recentemente reformada. O Freedom é mais uma embarcação do grupo a contar com a DreamWorks Experience, com Shrek e sua turma a bordo, assim como cinema 3D e a Britto Gallery.

2007 – Liberty of the Seas

Esse segundo navio da classe Freedom, da Royal Caribbean International, fez sua viagem inaugural em maio de 2007. Com 338,9 metros de comprimento, essa embarcação veio superar seu irmão mais velho, o Freedom of the Seas. Ele possui as mesmas atrações inovadoras dessa classe: simulador de surfe, parede de escalada, ringue de patinação e o campo de minigolfe.

2008 – Independence of the Seas

Inaugurado em abril de 2008, esse navio da Royal Caribeean tornou-se o maior do mundo pelos 339 metros de comprimento. Considerado uma maravilha da engenharia marítima, o Independence, da classe Freedom, foi lançado repleto de atrações inovadoras, com simulador de surfe FlowRider, a parede de escalada, o ringue de patinação no gelo e as piscinas suspensas de hidromassagem.

2009 – Oasis of the Seas

Lançado em 5 de dezembro de 2009, o Oasis of the Seas foi a primeira embarcação da classe Oasis da Royal Caribbean International. Construído no estaleiro STX Europe, em Turku, na Finlândia, o navio surgiu como o mais revolucionário de todos os tempos, dividido em sete áreas temáticas distintas e capacidade para 5,4 mil hóspedes.

2010 – Allure of the Seas

A primeira viagem do Allure of the Seas ocorreu em 1º de dezembro de 2010, a partir de Fort Lauderdale, na Flórida. A embarcação da Royal Caribbean International virou maior navio do mundo ao ganhar o posto do seu irmão, Oasis of the Seas, até então dono da marca. Allure é alguns centímetros mais comprido do que o Oasis, ambos têm cerca de 360 metros de comprimento.

(Fonte: http://vidaeestilo.terra.com.br/turismo/cruzeiros/os-maiores-navios-do-mundo-em-cada-epoca – VIDA E ESTILO – TURISMO – CRUZEIROS – 29 de outubro de 2013)

Powered by Rock Convert
Share.