Beppe Modenese, foi uma das personalidades mais influentes do mundo da moda, deu vida às passarelas milanesas, permitindo que Milão se tornasse um dos polos estratégicos da moda italiana

0
Powered by Rock Convert

‘Embaixador’ da moda italiana

 

Empresário fez Milão se tornar polo estratégico da moda no país

 

BEPPE MODENESE, O CULTURADO HOMEM DA MODA, PROMOTOR DE FEITO NA ITÁLIA. (Crédito: mam-e / DIREITOS RESERVADOS)

 

 

De estilo e diplomacia irrepreensíveis, e um conhecimento enciclopédico, Modenese era uma figura incontornável no circuito da moda italiana.

 

 

Giuseppe Modenese (Alba, 26 de novembro de 1929 – Milão, 21 de novembro de 2020), empresário italiano, era considerado uma figura histórica da moda italiana.

 

Beppe Modenese, juntamente com Giovan Battista Giorgini (1898-1971), deu início ao circuito internacional da moda italiana. O embaixador da moda, como também foi definido, é o construtor do nosso know-how. Culto, corajoso, determinado: um verdadeiro cavalheiro.

 

Junto com seu amigo Giorgini construiu os pilares do Made in Italy com o desfile, o primeiro, na Sala Bianca do Palazzo Pitti, quando Florença era o epicentro da moda italiana. Para acreditar nas suas ideias, Roberto Capucci, Vincenzo Ferdinandi (1920-1990) e Pucci. A ideia deu certo, tanto que os franceses fizeram o formato para eles.

 

Modenese, conhecido como “Beppe”, é o homem que deu vida às passarelas milanesas, permitindo que Milão se tornasse um dos polos estratégicos da moda italiana.

 

O empresário é uma das personalidades mais influentes do mundo da moda e “embaixador do ‘made in Italy’”. Ao longo de sua carreira, ele comandou a Câmara Nacional de Moda da Itália durante décadas, onde permaneceu como presidente honorário.

O primeiro calendário feito pelo italiano foi organizado em 3 de outubro de 1979, com 19 nomes e com desfiles que se concentraram em 3 dias. Na ocasião, ele contou com algumas grifes famosas, como Prada, Dolce & Gabbana, Gucci, entre outras.

 

O prestigioso jornal de moda americano “Woman’s Wear Daily” dedicou uma capa a Modenese, chamando-o de “Primeiro-Ministro da Moda da Itália”.

 

Modesene era piemontês e originalmente de Alba. Ele começou a trabalhar com o lendário Marquês Bista Giorgini, o organizador do primeiro desfile de moda da Itália, realizado em Florença em 1951. Na sequência participou do primeiro grande evento de moda italiana: o desfile na magnífica Sala Bianca do Palazzo Pitti em Florença.

 

oexploradorPowered by Rock Convert

Então, um dia, decidiu mudar as apresentações para Milão fazendo um quadrado com todos os criativos do momento. Da mulher Krizia a Gianni Versace e Moschino. E mais uma vez a Missoni, Trussardi, Laura Biagiotti, as irmãs Fendi e Genny.

 

Graças à sua verve empreendedora e grande capacidade de comunicação, ele conseguiu que Dolce & Gabbana, Romeo Gigli, Gucci e Prada se juntassem à sua semana de moda.

 

Fiel à vencedora equação de estilo clássico, elegante e sofisticado — da cabeça à ponta dos pés, (passando pelas meias encarnadas) — destacou-se como estrategista do made in Italy, foi protagonista indiscutível do desenvolvimento da moda italiana, responsável pelo lançamento da Semana de Moda naquele país, e um campeão imbatível do street style.

 

Nascido em Alba, na região do Piemonte, em 26 de novembro de 1929, Modenese estreou-se neste universo nos anos 50, começando a trabalhar com Giovanni Battista Giorgini, com quem organizou desfiles e eventos para a promoção do setor, como o incontornável evento na Sala Branca do Palazzo Pitti, em 1952, que contou com os designers Roberto Capucci, Vincenzo Ferdinandi, Emilio Pucci, Giovannelli-Sciarra, entre outros. No ano seguinte, participou das iniciativas que dariam origem à União Italiana de Alta Moda, a semente da futura Câmara Nacional de Moda Italiana, que haveria de presidir por muitos anos.

A década de 60 foi marcada pela relação com o setor da cosmética. Na pele de relações públicas, associou-se a rostos e marcas como Esteé Lauder e Coco Chanel, assinando a curadoria de um desfile em Moscou para a histórica maison francesa.

 

 

Mario Biondi, Anna Zegna, Leon Lai, Beppe Modenese e Mario Boselli no desfile Ermenegildo Zegna , em junho de 2011 em Milão © Getty Images

Mario Biondi, Anna Zegna, Leon Lai, Beppe Modenese e Mario Boselli no desfile Ermenegildo Zegna , em junho de 2011 em Milão © Getty Images

 

 

Foi já no final dos anos 70 que esteve envolvido no design de um centro de moda em Milão, na organização de grandes eventos internacionais e no primeiro calendário oficial de desfiles, a 3 de outubro de 1979, reunindo 19 nomes concentrados em 3 dias, como Prada, Dolce e Gabbana, Gucci, ou Romeo Gigli.

 

Vencedor de inúmeros prémios ao longo da carreira, Modenese receberia em 1985 a honra de Cavaleiro do Presidente do Conselho de Ministros.

 

Beppe Modenese faleceu em 21 de novembro de 2020, em sua casa em San Babila, em Milão, aos 90 anos.

“Beppe Modenese contribuiu como ninguém para o nascimento do sistema da moda italiana e liderou, com visionária habilidade e inestimável espírito pragmático a construção de um sistema, a afirmação de Milão como a capital da moda e apoio aos novos talentos. Era justamente apelidado de Primeiro-Ministro da Moda Italiana e definiu os contornos de um sistema único no mundo”, salientou a Câmara de Moda italiana na nota de despedida partilhada nas redes sociais.

O funeral do italiano, que completaria 91 anos no próximo dia 26 de novembro, foi realizado na igreja da Paixão, na via Conservatório, no dia (25).

(Fonte: https://www.terra.com.br/vida-e-estilo/moda – VIDA E ESTILO / MODA / por ANSA – 22 NOV 2020)
(Fonte: https://istoe.com.br – EDIÇÃO Nº 2654 – CULTURA / por (ANSA) – MILÃO – 22 NOV 2020)
(Fonte: https://observador.pt/2020/11/22 – LIFESTYLE / MODA / por  Maria Ramos Silva – 22 nov 2020)
Powered by Rock Convert
Share.