Ann Mitchell, foi uma das matemáticas que decifraram mensagens nazistas, integrou equipe do pioneiro da computação Alan Turing

0
Powered by Rock Convert

Ann Mitchell, uma das matemáticas que decifraram mensagens nazistas

 

Ela integrou equipe do pioneiro da computação Alan Turing

 

Ann é uma das mulheres que decifrou as mensagens trocadas pela aviação e o exército nazista entre setembro de 1943 e maio de 1945, quando a Alemanha se rendeu.

 

 

Ann Mitchell (Oxônia, Reino Unido, 19 de novembro de 1922 – Edimburgo, na Escócia, 11 de maio de 2020), uma das matemáticas que decifraram mensagens nazistas.

 

A matemática que integrou a equipe que decodificou mensagens nazistas durante a 2ª Guerra Mundial, integrou a equipe do pioneiro da computação Alan Turing, no centro de decifração de Bletchley Park, que ajudou a decifrar as mensagens enviadas pela Alemanha, como coordenadas de ataques durante o conflito mundial.

 

A história de Turing à frente deste projeto foi contada no filme “O Jogo da Imitação” (2014). Já a das mulheres que aturam no projeto foi contada no livro “As Garotas de Bletchley”, da autora Tessa Dunlop.

 

Ann é tida como umas das que decifrou as mensagens trocadas pela aviação e o exército nazista entre setembro de 1943 e maio de 1945, quando a Alemanha se rendeu.

oexploradorPowered by Rock Convert

 

Depois da guerra, Ann se dedicou aos estudos de Filosofia — já com a licenciatura em Matemática, adquirida no início do confronto. Ela voltou a morar em Edimburgo, onde se casou e publicou vários livros.

 

Relatos de amigos ouvidos pela BBC contam que, com o passar do tempo, nos anos 1970, Ann ficou surpresa com o interesse em sua vida, uma vida que ela teve que manter em segredo por muitos anos.

 

Certa vez, ela disse: “Foi um recorte no final da minha vida, subitamente ganhando importância, passando de ninguém para alguém. Um passado inteiro em que ninguém estava interessado e de repente muitas pessoas estão. É muito estranho”.

 

Ann Mitchell faleceu em 11 de maio de 2020, aos 97 anos. Ela havia sido diagnosticada com a covid-19.

Segundo um dos filhos da matemática, Andy Mitchell, a mãe estava já bastante debilitada fisicamente antes de pegar o novo coronavírus. Ela morreu em uma casa de repouso em Edimburgo, na Escócia. “Fico feliz por ela ter recebido o reconhecimento por uma vida bem vivida”, disse ele.

(Fonte: Zero Hora – ANO 56 – N° 19.716 – 21 DE MAIO de 2020 – TRIBUTO / MEMÓRIA – Pág: 25)

(Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2020/05 – MUNDO / FOLHA MULHER – 19.mai.2020)

(Fonte: https://www.uol.com.br/universa/noticias/redacao/2020/05/19 – UNIVERSA / Do Universa, em São Paulo – 19/05/2020)

Powered by Rock Convert
Share.