Sterling Hayden, fez mais de 50 filmes, começando com “Virginia” (1941), causou impressão notável com atuação em “Asphalt Jungle” (1950), de John Huston

0
Powered by Rock Convert

STERLING HAYDEN; UM ATOR, ESCRITOR E MARINHEIRO

 

Sterling Hayden – (Crédito da foto: The Kobal Collection / Schafer, A.L. ‘Whitey’ / Aurimages)

 

 

Sterling Hayden (Upper Montclair, Nova Jérsei, 26 de março de 1916 — Sausalito, Califórnia, 23 de maio de 1986), o belo ator loiro que desempenhou papéis saudáveis ​​de protagonista nas décadas de 1940 e 1950 e mais tarde se tornou um ator sólido e rude em filmes como “Dr. Strangelove” e “The Godfather”.

 

Ele fez mais de 50 filmes, começando com “Virginia” em 1941, mas seu amor permanente era o mar. Ele era dono de uma escuna na Califórnia e de uma barcaça de canal com base na Holanda, de 30 metros, que usava em toda a Europa.

 

O robusto Hayden, de 1,80 metro de altura, que causou uma impressão notável com sua atuação em “Asphalt Jungle” (1950), de John Huston, no qual ele apareceu como um vigarista mesquinho condenado, achou difícil subjugar seu amor pelo mar à necessidade de ganhar a vida como ator.

 

Em 1959, desafiando uma ordem judicial obtida por sua segunda esposa, a ex-Betty Ann DeNoon, de quem era divorciado, Hayden levou seus quatro filhos a bordo de sua escuna, a Wanderer, e os levou em uma longa viagem pelos mares do sul.

Um livro sobre o mar

 

Ele escreveu sobre sua fascinação obsessiva pelo mar em uma autobiografia de 1963, “Wanderer”, na qual também disse que nunca seria capaz de apagar a culpa que sentiu por seu depoimento, em 1951, perante o Comitê da Câmara sobre as Nações Unidas e Atividades americanas.

 

Hayden admitiu ser membro anterior do Partido Comunista e nomeou vários de seus conhecidos de Hollywood como companheiros de viagem. Ele foi elogiado pelo comitê como “um cidadão intensamente leal” e, assim, evitou ser incluído na lista negra de Hollywood.

 

Em 1970, seu romance épico de 700 páginas sobre o mar, “Voyage”, foi uma seleção principal do Book-of-the-Month Club.

 

Na década de 1980, Hayden apareceu em um documentário, “Pharos of Chaos”, filmado a bordo de sua barcaça na Europa, e parecia estar em um estupor alcoólico na maior parte do tempo, complementando sua ingestão de vinho com haxixe. Na câmera, ele disse: “O que me confunde é que não sou assim tão infeliz. Então porque eu bebo, eu não sei.”

 

oexploradorPowered by Rock Convert

Em 1981, em Brampton, Ontário, um juiz retirou as acusações de porte de haxixe contra Hayden depois que seu advogado disse ao tribunal que o ator o estava usando para combater seu alcoolismo.

Abandono do ensino médio

 

Sterling Hayden foi batizado Sterling Relyea Walter quando nasceu em Montclair, Nova Jérsei, em 26 de março de 1916. Ele largou o colégio aos 16 anos e foi contratado como ajudante em uma escuna. Ele era capitão de navio aos 22 anos e, precisando de dinheiro para comprar seu próprio barco, estabeleceu-se como modelo em Nova York.

 

A Paramount Pictures assinou um contrato com o jovem incrivelmente bonito e viril em 1940, bufando o recém-chegado como “O Belo Deus Viking Loiro” e “O Homem Mais Bonito do Cinema”. Ele estremeceu, “mas o dinheiro foi bom”, disse ele. Mais publicidade caiu sobre ele depois de seu segundo filme, “Bahama Passage”, quando se casou com Madeleine Carroll, uma atriz popular. Eles se viam pouco, entretanto, já que Sterling Hayden estava servindo no Corpo de Fuzileiros Navais, e eles se divorciaram após quatro anos.

 

Durante a Segunda Guerra Mundial, Sterling Hayden serviu no Escritório de Serviços Estratégicos na Iugoslávia, Itália e Alemanha e ganhou uma Estrela de Prata.

 

Depois de alguns papéis memoráveis ​​no pós-guerra na Paramount, Hayden marcou criticamente em 1950 em “The Asphalt Jungle”, mas seu talento evidente foi aproveitado apenas raramente nos anos seguintes. Ele teve atuações de comando em “The Killing” de Stanley Kubrick e como o louco general da Força Aérea que desencadeou um Armagedom nuclear em “Dr. Kubrick Strangelove” (1964).

 

‘Um imponente John Brown’

 

Hayden também foi elogiado por seu desempenho vívido, embora breve, como um capitão da polícia corrupto em “Godfather” (1972), de Francis Ford Coppola. E, revisando a minissérie da Guerra Civil de televisão “The Blue and the Grey” em 1982, John J. O’Connor escreveu no The New York Times: “Sterling Hayden faz um imponente John Brown, capturando a paixão de um fanático e a visão ardente de um profeta. Suas cenas carregam um selo especial de autenticidade.”

 

Sterling Hayden faleceu em 23 de maio de 1986, em sua casa em Sausalito, Califórnia.

Hayden, que tinha 70 anos e também morava em Wilton, Connecticut, sofria de câncer de próstata há mais de dois anos.

Hayden deixa sua terceira esposa, a ex-Catherine Devine McConnell, com quem se casou em 1960; seus filhos, Andrew e David, e um enteado, Scott; seus quatro filhos de seu casamento com Betty Ann DeNoon – Christian, Dana e Matthew, e Gretchen Ruckert – e 11 netos.

(Fonte: https://www.nytimes.com/1986/05/24/arts – The New York Times Company – ARTES / Por Albin Krebs – 24 de maio de 1986)

Powered by Rock Convert
Share.