Saiba quem quiser saber / Só o viver é que é viver / Entre ontem, hoje e amanhã / Vive quem souber..

0
Powered by Rock Convert

Sebastião Rodrigues Maia (1942 – 1998) é daqueles artistas cuja personalidade às vezes chama mais atenção que sua própria obra. Era um carioca desbocado, que não tinha medo de dizer o que pensava, muitas vezes não aparecia para cantar em seus shows e era assíduo praticante de um triatlo químico que incluía maconha, cocaína e uísque. Mas, acima de tudo isso, foi um dos grandes nomes da música popular feita no Brasil entre os anos 1970 e 1990, com grande talento para unir samba, rock, soul, funk e outros ingredientes mais em sua receita sonora.

O curioso é que, por pouco, ele não foi ídolo da Jovem Guarda – era integrante, nos anos 1950, da banda Sputniks, que também contou com Erasmo e Roberto Carlos na formação. Mas, em vez do iê-iê-iê da Tijuca, Tim preferiu ir conhecer a música negra americana diretamente na fonte, passando quatro anos nos Estados Unidos – tempo suficiente para participar de um grupo, The Ideals, e para ser deportado por porte de drogas.

No Brasil, a carreira de Tim Maia ganhou mais brilho na virada dos anos 60 para os 70, quando começou a gravar discos e teve canções gravadas por Elis Regina. Azul da Cor do Mar, Não Quero Dinheiro e Você, algumas de suas músicas mais famosas, foram lançadas nessa época. Seguiram-se o flerte com a doutrina Cultura Racional – expressa em dois LPs lançados em 1975 – e mais álbuns e apresentações, de humores e repercussões variáveis.

Tim morreu dias depois de passar mal em pleno palco, quando ia gravar um especial de TV no Teatro Municipal de Niterói, em março de 1998. Deixou como legado um personagem e uma discografia que serão sempre relevantes no cancioneiro nacional. Os versos reproduzidos no (“Saiba quem quiser saber / Só o viver é que é viver / Entre ontem, hoje e amanhã / Vive quem souber querer”) são da canção Música no Ar, do disco Tim Maia (1973).

(Fonte: Zero Hora – ANO 49 – N.° 17.158 – Almanaque Gaúcho/ Por Ricardo Chaves – Postado por Luís Bissigo – 28 de setembro de 2012)

Share.