Jay Moriarity, ficou mundialmente famoso ainda muito jovem quando apareceu na capa da verdadeira Biblia do surf, a revista americana SURFER

0
Powered by Rock Convert

Jay Moriarity (Geórgia, 16 de junho de 1978 – Maldivas, 15 de junho de 2001), era um talentoso surfista, aficcionado por ondas grandes, Jay Moriarity ficou mundialmente famoso ainda muito jovem quando apareceu na capa da verdadeira Bíblia do surf, a revista americana SURFER. Moriarity aparece, nessa capa, dando um drop totalmente aéreo no perigoso pico de ondas grandes, Mavericks.

Na manhã de 19 de dezembro de 1994, Jeff Clark parou sobre uma falésia acima da baía Half Moon, na Califórnia, vendo as onda de 40 pés quebrarem num pico conhecido como Mavericks. O vento vinha do alto mar em rajadas perigosas, e Clark, 37, que já surfava ali fazia duas décadas, achou prudente esperar.

Vários amigos dele estavam na água, inclusive Jay Moriarity, 16. Quando a maior onda da manhã se formou, o vento ergueu a prancha de Moriarity como se ela fosse uma pipa. Ele caiu de uma altura equivalente a cinco andares e foi empurrado para doze metros abaixo da superfície. Num barco próximo, o fotógrafo Bob Barbour assistia horrorizado.

Após meio minuto de tensão, Moriarity emergiu, nadou até o barco para trocar a prancha quebrada e se pôs novamente a remar. Perplexo, Barbour então capturou aquele que é geralmente considerado o maior tombo na história do esporte, uma imagem agora vista nos outdoors do filme “Tudo Por Um Sonho”.

Ele conta a história de Moriarity, que morreu aos 22 anos, num acidente de mergulho, e de sua relação com a namorada (e depois esposa), Kim, e com seu mentor, Rick Hesson, vulgo Frosty. A coragem de Moriarity sobre a prancha e sua personalidade calorosa fizeram dele um herói local.

Rick Hesson, Jeff Clark e outros dizem que os diretores do filme, Curtis Hanson e Michael Apted, conseguiram algo raro: um retrato hollywoodiano fidedigno do surfe e dos surfistas.

Moriarity não faleceu surfando mas sim fazendo mergulho nas Maldivas durante uma etapa do WQS.

As “investidas” de Hollywood em produções sobre surf têm sido várias ao longo dos anos. A mais recente, “Chasing Mavericks”, retrata a vida do falecido Jay Moriarity e estreou em 26 de outubro de 2012.

oexplorador

Powered by Rock Convert

Chasing Mavericks , retrata a vida de Jay Moriarity (Foto: Divulgação) Chasing Mavericks , retrata a vida de Jay Moriarity (Foto: Divulgação)

“Chasing Mavericks” conta, no entanto, a vida de Jay Moriarity. Como é que este descobriu Mavericks, como viveu para conseguir surfar essa onda, e tudo o que teve de fazer para o conseguir. Obviamente que “Chasing Mavericks” também deverá retratar o momento trágico em que o mundo soube que Moriarity estava desaparecido até ao momento em que se soube que tinha falecido, pelo menos supomos nós, ou não fosse esta uma produção de Hollywood que tem de ter, além de ação e amor, drama (neste caso e, infelizmente, real).

Os famosos surfistas de ondas grandes, Greg Long e Grant “Twiggy” Baker, entre outros, foram preciosos para contar a vida deste grande surfista, dando assim um cunho muito pessoal e real a “Chasing Mavericks”.

O produtor Brandon Hooper afirmou que estava ciente da falta de autenticidade de Hollywood ao abordar o surfe. As experiências anteriores foram “Maldosamente Ingênua” (1959), com Mickey Munoz como dublê, de biquíni, “Mar Raivoso” (1964), com fundo risivelmente projetados, “Caçadores de Emoção” (1991), em que surfistas inexplicavelmente invertiam sua posição sobre a prancha a cada corte e “A Onda dos Sonhos” (2002), em que a computação gráfica serviu para valorizar Kate Bosworte.

Dirigido por Curtis Hanson (de LA Confidential e 8 Mile), o papel papel de Moriarity é interpretado pelo jovem e relativamente desconhecido das mega-produções de Hollywood, Jonny Weston.

O elenco tem os não surfistas Gerard Butler, como Frosty, e Jonny Weston, como Jay, mas Grant Washburn, surfista do Mavericks, foi contratado para ajudar na coordenação dos dublês.

Os papéis dos contemporâneos de Hesson foram para habitués do Mavericks, três dos melhores do mundo em grandes ondas: Zach Wormhoudt, Greg Long e Peter Mel.

(Fonte: http://www.onfiresurfmag.com/noticias – 2012)

(Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/1180156- ILUSTRADA/ Por CHRIS DIXON do “New York Times” – 05/11/2012)

Powered by Rock Convert
Share.