O primeiro brasileiro na história a assumir a liderança do ranking do tênis profissional

0
Powered by Rock Convert

Guga vence Agassi e é líder da Lista de Entrada

Gustavo Kuerten tornou-se em 3 dezembro de 2000 no primeiro brasileiro na história a assumir a liderança da Lista de Entrada, o ranking do tênis profissional. Em uma apresentação excelente, Guga venceu o norte-americano Andre Agassi por 3 sets a 0, com triplo 6/4, conquistou a Masters Cup de Lisboa e ultrapassou o russo Marat Safin, eliminado nas pelo próprio Agassi nas semifinais, e que liderava o ranking até então.

O brasileiro tornou-se o 18° jogador a liderar a Lista de Entrada, igualando-se a talentos como Ilie Nastase, Jimmy Connors, Bjorn Borg, Andre Agassi, Boris Becker, Stefan Edberg e Pete Sampras.

 
Guga tornou-se também o primeiro sul-americano a terminar o ano na liderança da lista.

 
Guga mostrou superioridade durante a maior parte do jogo. O primeiro set começou com Guga quebrando o saque do americano logo no primeiro game. No quarto game, entretanto, Guga pôde sentir que a partida seria extremamente difícil. Agassi teve quatro break points a seu favor, mas Guga conseguiu salvar todos apoiando-se em seu ótimo saque, que mais uma vez se mostrava uma boa arma em momentos difíceis.

 
No quinto game Guga teve mais um break point, mas o americano salvou e se manteve com apenas uma quebra de desvantagem na partida, que estava 3 a 2 para Guga, mas com o brasileiro sacando. No começo do sexto game a sola do tênis direito de Guga se soltou, e Larri Passos foi buscar no vestiário um novo par para o brasileiro. Guga continuou jogando bem e se impondo em seus games de saque. Com muita tranqüilidade o brasileiro venceu o set por 6 a 4 em 41 minutos. A superioridade de Guga se mostrou no número de aces (7 a 3) e de winners (14 a 3) a seu favor.

 
O segundo set começou como o primeiro: com Guga pressionando o saque de Agassi e tendo um break point a seu favor. Dessa vez, entretanto, Agassi salvou e confirmou seu serviço. A tônica da partida se mantinha a mesma do primeiro set: equilíbrio total, com ambos conseguindo break points consecutivos. O set seguiu sem quebras até o quinto game, quando Guga conseguiu quebrar o saque de Agassi, abrindo 3 a 2.

 
O norte-americano se mostrava irritado tanto com seus erros quanto com a variação de jogo de Guga, que não lhe deixava confortável na partida. Agassi não sabia o que esperar de Guga em cada ponto disputado. Aproveitando-se disso, o brasileiro sacava e voleava nos pontos decisivos e trocava bolas no fundo da quadra durante os games de serviço do americano, o que deixava Agassi confuso em quadra. Tanto que, ao final do sétimo game, ao empatar em 40 a 40, Agassi achou que tinha fechado o game e se encaminhou para o banco. Alertado pelo árbitro, o americano voltou para continuar a disputa e, após salvar dois break points, fechar o game.

 
Guga seguiu em vantagem no set até o décimo game, quando liderava por 5 a 4 e sacava para fazer dois a zero na partida. Mesmo sacando bem, Guga teve pela frente uma grande resistência de Agassi, que conquistou um break point. Mas Guga valeu-se de seu saque e, além de salvar o break point, conquistou, com um ace, o segundo set, fazendo 6 a 4 em 38 minutos.

 
O terceiro set começou equilibrado, mas Agassi teve a chance de quebrar o saque de Guga no segundo game. Guga salvou e fez 1 a 1, sempre calcado no ótimo saque, que dificultava até mesmo a poderosa devolução de Agassi, tida como uma das melhores (se não a melhor) do circuito internacional. No quinto game Guga executou duas paralelas seguidas que desconcertaram Agassi e dera a Guga dois break points. Agassi salvou um, mas cometeu uma dupla falta bisonha e deu a Guga a vantagem de 3 a 2 no set.

 
Confirmando seu serviço e fazendo 4 a 2, Guga ficou a dois games de conquistar a Masters Cup. Agassi já não mostrava tanta agilidade e mobilidade em quadra quanto no início da partida. Guga manteve a vantagem no set até o décimo game, quando sacou para fazer 6 a 4 em 39 minutos e fechar a partida, conquistando o título histórico e comemorando muito com a torcida e com sua mãe, que o apoiaram desde o começo do torneio.

 
Guga fez em 2000 a melhor temporada de sua carreira. Alcançou a marca de cinco títulos conquistados, sendo um deles de Grand Slam, com o bicampeonato de Roland Garros.

 
Além disso, mostrou ainda sua adaptação aos vários pisos do circuito internacional, ao erguer o troféu no ATP Tour de Indianápolis, jogado em quadras rápidas.

Powered by Rock Convert

 
Três dos títulos saíram de seu terreno preferido, o saibro. Ganhou o ATP de Santiago, depois em Hamburgo, numa final memorável contra Marat Safin, decidida em cinco sets, levantou também o troféu dos Mosqueteiros em Roland Garros, na confirmação de ter se transformado num dos maiores tenistas do mundo.

 
Com estas conquistas e campanhas brilhantes em outras competições, Guga firmou-se como o melhor jogador da temporada de 2000. Nenhum outro tenista ficou tanto tempo na liderança do ranking da Corrida dos Campeões. Foram 17 semanas, não consecutivas, contra 11 de Andre Agassi, o segundo colocado.

 
O troféu de Indianápolis foi também importante para mostrar a maior versatilidade de Guga. Afinal, jamais havia vencido um torneio em quadras rápidas. Tinha estado nas decisões do Masters Series de Montreal, em 1997, e ainda em 2000 no Ericsson Open de Miami. Mas, o título só veio mesmo numa competição um pouco menor em premiação.
Brasileiro chega ao quinto título na temporada

 

O brasileiro Gustavo Kuerten conquistou cinco títulos na temporada 2000, na qual ele foi o tenista que mais tempo permaneceu como número 1 do novo ranking mundial, a Corrida dos Campeões. Guga levou a taça em Roland Garros (França), Hamburgo (Alemanha), Santiago (Chile) e Indianápolis (EUA) além do prêmio da Masters Cup conquistado neste domingo. Foi vice-campeão em Miami (EUA) e Roma, chegou às semifinais em Cincinnati (EUA) e Bogotá (Colômbia) e atingiu às quartas-de-final em Lyon (Frnça), Tóquio, Hong Kong (China) e nos Jogos Olímpicos de Sydney) .

 
Já nas semifinais do Masters Series de Paris, o brasileiro pode retomar o primeiro lugar do ranking mundial, perdido na última semana para o russo Marat Safin, se chegar ao título.

Veja a seguir a campanha de Guga na temporada 2000 segundo dados fornecidos pela assessoria do tenista:

ATP Tour de Sydney, quadra rápida
1a. rod. – Francisco Clavet d. Gustavo Kuerten
Australian Open – rápida
1a. rod – Albert Portas d. Gustavo Kuerten
Copa Davis – saibro

Gustavo Kuerten d. Jerome Golmard

Nicolas Escude d. Gustavo Kuerten

ATP Tour do México – saibro
1a. Gustavo Kuerten d. Gaston Etlis
8as – Juan Chela d. Gustavo Kuerten
ATP Tour de Santiago – saibro
1a. -Gustavo Kuerten d. Jean Lisnard
2a. – Gustavo Kuerten d. Orlin Stanoytchev
4as – Gustavo Kuerten d. Agustin Calleri
SF – Gustavo Kuerten d. Albert Portas
F – Gustavo Kuerten d. Mariano Puerta
ATP Tour de Bogotá – saibro
1a. – Gustavo Kuerten d. Sergi Bruguera
2a- Gustavo Kuerten d. Sebastian Prieto
4as. – Gustavo Kuerten d. Markus Hantschk
SF – Mariano Puerta d. Gustavo Kuerten
Masters Series de Indian Wells – rápida
1a. rod – Gustavo Kuerten d. Justin Gimelstob
8as. – Tommy Haas d. Gustavo Kuerten
Masters Series de Miami – rápida
1a. rod. – Bye
2a. rod – Gustavo Kuerten d. Arnaud Clement
3a. rod – Gustavo Kuerten d. Goran Ivanisevic
8as. – Gustavo Kuerten d. Gianluca Pozzi
4as- Gustavo Kuerten d. Wayne Ferreira
SF – Gustavo Kuerten d. Andre Agassi
F – Pete Sampras d. Gustavo Kuerten
Copa Davis – saibro
Gustavo Kuerten d. Karol Kucera
Dominik Hrbaty d. Gustavo Kuerten
Masters Series de Monte Carlo – saibro
1a. rod –Karol Kucera d. Gustavo Kuerten
Masters Series de Roma – saibro
1a Gustavo Kuerten d. Jerome Golmard
2a Gustavo Kuerten d. Mark Philippousis
8as Gustavo Kuerten d. Younes El Aynaoui
4as – Gustavo Kuerten d. Albert Costa
SF Gustavo Kuerten d. Alex Corretja
F Magnus Norman d. Gustavo Kuerten
Masters Series de Hamburgo – saibro
1a. Gustavo Kuerten d. Karim Alami
2a. Gustavo Kuerten d.Sebastien Grosjean
8as Gustavo Kuerten d. Wayne Ferreira
4as Gustavo Kuerten d. Magnus Norman
SF Gustavo Kuerten d. Andrei Pavel
F Gustavo Kuerten d. Marat Safin
Roland Garros – saibro
1a. Gustavo Kuerten d. Andreas Vinciguerra
2a. Gustavo Kuerten d. Marcelo Charpentier
3a. Gustavo Kuerten d. Michael Chang
8as Gustavo Kuerten d. Nicolas Lapentti
4as Gustavo Kuerten d. Yevgeny Kafelnikov
SF Gustavo Kuerten d. Juan Carlos Ferrero
F Gustavo Kuerten d. Magnus Norman
Wimbledon – grama
1a. Gustavo Kuerten d. Chris Woodruff
2a. Gustavo Kuerten d. Justin Bower
3a. Alexander Popp d. Gustavo Kuerten
Copa Davis – grama
Patrick Rafter d. Gustavo Kuerten
Masters Series Toronto – rápida
1a. Gustavo Kuerten d. Arnaud Di Pasquale
2a. Sebastien Lareau d. Gustavo Kuerten
Masters Series Cincinnati – rápida
1a. Gustavo Kuerten d. Jerome Golmard
2a. Gustavo Kuerten d. Gianluca Pozzi
8as Gustavo Kuerten d. Stefan Koubek
4as Gustavo Kuerten d. Todd Martin
SF Tim Henman d. Gustavo Kuerten
ATP Tour de Indianápolis – rápida
1a bye
2a. Gustavo Kuerten d. Todd Woodbridge
8as Gustavo Kuerten d. Taylor Dent
4as Gustavo Kuerten d. Wayne Ferreira
SF Gustavo Kuerten d. Lleyton Hewitt
F Gustavo Kuerten d. Marat Safin
US Open – rápida
1a. Wayne Arthurs d. Gustavo Kuerten
Olimpíadas – rápida
1a. Gustavo Kuerten d. Christophe Pognon
2a. Gustavo Kuerten d. Rainer Schuttler
8as Gustavo Kuerten d. Ivan Ljubicic
4as Yevgeny Kafelnikov d. Gustavo Kuerten
ATP Tour de Hong Kong – rápida
1a. -Gustavo Kuerten d. Vincent Spadea
8as. Gustavo Kuerten d. Sargis Sargisian
4as. – Patrick Rafter d. Gustavo Kuerten
ATP Tour de Tóquio – rápida
1a – bye
2a. Gustavo Kuerten d. Nicolas Massu
8as. Gustavo Kuerten d. Andrea Gaudenzi
4as – Dominik Hrbaty d. Gustavo Kuerten
Masters Series de Stuttgart – carpete indoor
1a. – bye
2a. Gustavo Kuerten d. Nicolas Escude
8as – Sebastien Grosjean d. Gustavo Kuerten
ATP Tour de Lyon – carpete indoor
1a. Gustavo Kuerten d. Andrei Pavel
8as. Gustavo Kuerten d. Michael Llodra
4as – Patrick Rafter d. Gustavo Kuerten
Masters Series de Paris – carpete indoor
1a. bye
2a. Gustavo Kuerten d. Chris Woodruff
8as. -Gustavo Kuerten d. Patrick Rafter
4as. – Gustavo Kuerten d. Albert Costa
S – Mark Philippousis d Gustavo Kuerten
Masters Cup – carpete indoor
Fase de classificação
Andre Agassi d. Gustavo Kuerten
Gustavo Kuerten d. Magnus Norman
Gustavo Kuerten d. Yevgeny Kafelnikov
S – Gustavo Kuerten d. Pete Sampras
F- Gustavo Kuerten d Andre Agassi

Guga comemora liderança com caipirinha
Domingo, 03 Dezembro de 2000, 18h36
São Paulo – O Brasil tem agora um rei: Guga, novo número 1 do tênis mundial. Coroado em terras portuguesas, a festa não poderia ser mais brasileira: caipirinha no lugar do tradicional champanhe e muita alegria no vestiário para celebrar o dia em que Gustavo Kuerten assume o trono de melhor tenista do mundo.
A festa entre amigos brasileiros e muitos portugueses que reverenciam o tenista começou já no vestiário, logo após a cerimônia de entrega de prêmios. Guga estava eufórico, emocionado e disposto a comemorar, esquecer os sacrifícios de um ano exigente, encostar a raquete por uns tempos e cair na vida. Não vê a hora de voltar para casa, pegar uma prancha de surf e seguir de férias para o Havaí, ou para outros cantos de ondas ferozes.
Como atual rei do tênis, Guga vai ter bons ganhos com a coroa. Em termos técnicos será agora sempre designado como cabeça-de-chave número 1. Vai assim, por exemplo, sair como principal favorito no Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam da temporada de 2001.
Para isso, vale a posição de Guga no ranking mundial. A Corrida dos Campeões chegou a seu fim neste domingo em Lisboa. A partir de janeiro, todos os jogadores iniciam uma nova temporada com zero ponto. Fica valendo então a chamada Lista de Entrada para apontar os classificados de um torneio e os cabeças-de-chave.
Como Guga não planeja participar dos primeiros torneios da temporada de 2001, em Auckland e Sydney, só iniciando as atividades no Aberto da Austrália, nas primeiras listas da corrida do ano que vem, o brasileiro certamente não irá aparecer como líder. Mas, nem por isso, estará prejudicado, uma vez que valerá a lista de 52 semanas, garantindo ao brasileiro posição de destaque nas competições.
Além de sair em posição privilegiada na chave dos torneios, Guga terá ganhos financeiros. Seus patrocinadores irão pagar bônus pelo fato de o tenista estar na posição de número 1 do mundo. Também aumenta seu valor para participação em torneios da série ATP Tour, exibições e contrato publicitários.
É quase como dizer que a partir de agora, Guga terá nas mãos não mais a raquete, mas sim um cetro em que poderá determinar o destino de muitas coisas no seu reinado, o mundo do tênis.

(Fonte: São Paulo- 3 dezembro de 2000)

Powered by Rock Convert
Share.