Mirella Freni, soprano italiana, era uma das vozes mais conhecidas do mundo do lirismo, tendo já se apresentado nos principais teatros do mundo

0
Powered by Rock Convert

A soprano italiana Mirella Freni foi amiga de infância de Luciano Pavarotti

 

O tenor italiano Luciano Pavarotti durante ópera com Millena Freni, no Teatro Regio, em Turim, Itália – (Foto: AFP)

 

Ela era uma das vozes mais conhecidas do mundo do lirismo

 

Mirella Freni (Módena, 27 de fevereiro de 1935 – Módena, 9 de fevereiro de 2020), soprano italiana, era uma das vozes mais conhecidas do mundo do lirismo, tendo já se apresentado nos principais teatros do mundo.

 

A soprano nasceu na mesma cidade que o tenor Luciano Pavarotti, com quem cantou e foi grande amiga.

 

Freni estreou nos palcos em 1955 no papel de Micaëla em “Carmen”, no Teatro Municipal de Modena. Já sua última apresentação foi na Ópera Nacional de Washington, nos EUA, em abril de 2005, quando foi Joana d’Arc, em “A dama de Orleans”, de Piotr Ilitch Tchaikovsky.

 

Powered by Rock Convert

Mirella Freni nasceu em 27 de fevereiro de 1935 e foi uma das vozes mais admiradas do ‘bel canto’ italiano no século XX, tendo partilhado vários palcos com Luciano Pavarotti. Freni referiu diversas vezes que tinha “perdido um irmão” depois da morte do tenor, em 2007.

A soprano estreou-se no mundo da música aos 10 anos com a interpretação de ‘Un Bel Dì Vedremo’, de Madama Butterfly, num concurso da televisão pública italiana.
Mirella Freni desempenhou o papel de Micaela na ópera ‘Carmen’, no Teatro Municipal de Módena, aos 19 anos, e, desde então, percorreu vários palcos em todo o mundo, incluindo o Teatro alla Scala, em Milão, a Ópera Metropolitana de Nova Iorque, nos Estados Unidos da América, a Ópera de Paris, o Teatro Bolshoi, em Moscovo (Rússia), o Covent Garden, em Londres (Reino Unido), ou o Teatro Cólon, em Buenos Aires (Argentina).

 

A soprano também ficou conhecida pelas atuações em comédias líricas no Teatro alla Scala, como ‘Falstaff’, de Giuseppe Verdi (1962), ou ‘La Bohème’, dirigido por Herbert Von Karajan (1963).

Após deixar os palcos, Freni se dedicou ao ensino de letras líricas.

 

“Uma voz esplêndida de Modena se foi, uma mulher, uma artista e uma amiga, que tomou o nome de nossa cidade no mundo com a cabeça erguida e ressonou com aplausos dados por sua arte extraordinária”, disse o prefeito de Modena, Gian Carlo Muzzarelli.

Após uma longa batalha contra uma grave doença degenerativa, a soprano italiana Mirella Freni morreu em 9 de fevereiro, em sua casa em Modena, na região da Emilia-Romagna, aos 84 anos de idade.

“Mirela Freni fazia parte da família alla Scala e está entre as grandes vozes do século XX, talvez a que recebeu o maior carinho incondicional do público e dos colegas”, afirmou em comunicado o teatro de Milão.

(Fonte: Zero Hora – ANO 56 – N° 19.630 – 11 de FEVEREIRO de 2020 – TRIBUTO / MEMÓRIA – Pág: 27)

(Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2020/02 – ILUSTRADA – 9.fev.2020)

(Fonte: https://istoe.com.br –  Edição nº2613 – CULTURA – MODENA (ANSA) – SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – 10 FEV 2020)

(Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/mundo – MUNDO / POR NOTÍCIAS AO MINUTO – 10/02/20)

Powered by Rock Convert
Share.