Larry King, foi um dos maiores ícones da TV norte-americana, conhecido pelo programa de entrevistas Larry King Live, do qual esteve à frente por 25 anos

0
Powered by Rock Convert

Larry King, lenda da televisão americana

 

Famoso apresentador de TV

 

Larry King em programa de rádio em 1º de maio de 1957 — (Foto: Divulgação/DIREITOS RESERVADOS)

 

Presidentes, celebridades e homens comuns foram entrevistados por King, que era sempre direto em suas perguntas

 

O ex-presidente Bill Clinton em entrevista com Larry King na CNN em Nova York em 3 de setembro de 2002 — (Foto: Reuters)

 

Lawrence Harvey Zeiger (Brooklyn, Nova Iorque, Nova York, 19 de novembro de 1933 – 23 de janeiro de 2021), apresentador americano, conhecido pelo programa de entrevistas Larry King Live, do qual esteve à frente por 25 anos. King comandava um tradicional programa de entrevistas na CNN americana há mais de 25 anos.

 

oexploradorPowered by Rock Convert

Com mais de 60 anos de carreira, King começou sua trajetória profissional como locutor esportivo em uma rádio local no estado da Flórida.

 

Filho de imigrantes – de mãe austríaca e pai bielorrusso –, King nasceu no Brooklyn em Nova York em 19 de novembro de 1933. Por muitos anos ele morou em Miami e Washington DC, até se fixar em Beverly Hills, na Costa Oeste dos EUA.

Em 2020, King apresentou seu talk show “Larry King Now”, participou do programa de notícias “Extra”, do seriado “Maxxx” e de dois especiais de TV, além de ter produzido quatro episódios da série “In Case You Didn’t Know with Nick Nanton”.

“Larry sempre viu seus entrevistados como verdadeiras estrelas de seus programas, e ele mesmo como um canal imparcial entre o convidado e o público”, disse sua produtora, Ora Media, em comunicado.

“Se ele estava entrevistando um presidente dos EUA, líder estrangeiro, celebridade, personagem cheio de escândalos, ou um homem comum, Larry gostava de fazer perguntas curtas, diretas e descomplicadas.”
Foram mais de 50 mil entrevistas transmitidas, segundo uma estimativa feita pela agência de notícias Associated Press. Em 1995, ele foi convidado para presidir uma conferência sobre a paz no Oriente Médio com a presença dos então líder palestino Yasser Arafat e o premiê israelense Yitzhak Rabin.
Pouco convencional, King dizia nunca se preparar para fazer uma entrevista. Se o convidado fosse um autor, que iria divulgar uma nova publicação, apenas perguntava: “sobre o que fala o livro?”. Ele, que evitava parecer intelectual demais, dizia ser apenas “um cara curioso que faz perguntas”.
Em um livro de memórias, King disse que “há muitos entrevistadores que recitam três minutos de fatos antes de fazer uma pergunta. Parece que querem dizer ‘vejam como sou inteligente’. Eu acho que é o convidado quem tem que ser o especialista”.

O então candidato à presidente dos EUA George W. Bush participa de debate com Larry King, Alan Keyes e John McCain em 15 de fevereiro de 2000 — (Foto: Reuters)

O apresentador, que não se identificava como jornalista, foi responsável pela cobertura – em tempo real – da perseguição policial ao carro do jogador de futebol americano O.J. Simpson, que era suspeito de ter matado sua ex-mulher Nicole Brown.
Por meses seu programa deu espaço para os advogados de defesa e acusação. Quando Simpson foi inocentado, a primeira entrevista que ele concedeu em liberdade foi a King por sua “cobertura limpa e imparcial”.
King não era muito dado para confrontos e raramente fazia perguntas difíceis ou técnicas para importantes figuras políticas, mas sempre que possível, ele dava pequenas alfinetadas para estimular seus convidados a dizerem coisas interessantes sobre si mesmos.
Para o ex-presidente Richard Nixon, ele perguntou uma vez: “Quando você dirige pela ponte Watergate, você se sente estranho?”. O republicano havia renunciado depois de denúncias de corrupção durante seu mandato que ficaram conhecidas como o Caso Watergate.
 “As entrevistas de Larry em seus 25 anos de ‘Larry King Live’, ‘Larry King Now’ e ‘Politicking with Larry King’ são referência para os meios de comunicação de todo o mundo e fazem parte do registro histórico do final do século 20 e início do século 21”, disse a Ora Media.
Casado oito vezes, sua vida pessoal também despertava o interesse popular, e não era raro King estampar as capas de revistas de fofocas. Viciado em jogos de azar, ele quebrou duas vezes e já foi preso por fraude fiscal.

Larry King e sua então esposa Shawn King chegam à festa do Oscar da Vanity Fair em Mortons, na Califórnia, em 5 de março de 2006. — (Foto: Reuters)

Figura presente na cultura pop, em 2007 King emprestou sua voz para um personagem da animação Bee Movie – A História de uma Abelha, que levou para o cinema seus famoso bordões Great (ótimo), Terrific (tremendo), Gee whiz (poxa vida) em suas entrevistas.
Em 2020, King apresentou seu talk show “Larry King Now”, participou do programa de notícias “Extra”, do seriado “Maxxx” e de dois especiais de TV, além de ter produzido quatro episódios da série “In Case You Didn’t Know with Nick Nanton”.
Larry King faleceu aos 87 anos em 23 de janeiro de 2021. Ele foi internado no começo de janeiro para tratar a covid-19Ele tinha diabetes tipo 2, um dos fatores de risco para a Covid-19, e retirou um câncer de pulmão em 2017.

(Fonte: https://www.msn.com/pt-br/entretenimento/noticias – ENTRETENIMENTO / por Estadão Conteúdo – 23/01/2021)

(Fonte: https://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2021/01/23 – POP & ARTE / NOTÍCIA / Por G1 – 

(Fonte: GAÚCHAZH – ANO 57 – N° 19.927 – 25 DE JANEIRO DE 2021 – MEMÓRIA / TRIBUTO – Pág: 31)

Powered by Rock Convert
Share.