As principais conquistas da medicina

0
Powered by Rock Convert

Confira linha do tempo com as principais conquistas da medicina

Curiosidade pelo funcionamento do corpo humano e luta contra as doenças fazem da medicina terreno profícuo para inovações

A curiosidade pelo funcionamento do corpo humano e a luta contra as doenças fazem da medicina terreno profícuo para inovações. As conquistas são enormes e as mais variadas. Males tidos como fatais hoje são passíveis de controle e, em muitos casos, cura. A linha do tempo a seguir traz algumas das principais conquistas da medicina

 

 

ANTIGUIDADE

 

Galeno fez a primeira descrição da anatomia humana

 

– Entre os anos 129 e 199 d.C., a partir de sua experiência como cirurgião em uma escola romana de gladiadores, Galeno fez a primeira descrição da anatomia humana. Ele acertou ao definir o coração como uma bomba. Sua obra foi usada até a Idade Média

– Em cerca de 500 a.C., o grego Alcmeônides foi o primeiro médico a dissecar um cadáver humano, numa ousada transgressão das tradições e escrúpulos religiosos. Ele diferenciou veias de artérias e observou que os órgãos da sensação estavam ligados ao cérebro por meio de nervos

 

 

 

SÉCULO 16

 

 

 

– O médico belga Andreas Vesalius dissecou cadáveres humanos com habilidade sem precedentes. Em 1543, publicou De Hummani Corporis Fabrica, referência no estudo da anatomia humana. O livro trazia ilustrações do renascentista veneziano Ticiano

 

 

– Na Idade Média, as cirurgias eram raras e cabiam aos barbeiros. Embora não soubesse nada sobre infecções, o barbeiro francês Ambroise Paré, ao redor de 1545, revolucionou a medicina ao sugerir a assepsia dos procedimentos

 

 

 

– O físico e astrônomo italiano Galileu Galilei criou, em 1592, um instrumento para medir a sensação de frio e calor. Com um tubo de vidro aberto em uma ponta e um bulbo na outra, inventou o termômetro

 

 

 

– Em 1590, o fabricante de lentes Zacharias Janssen justapôs duas lentes e inventou o microscópio. Em 1676, outro holandês, Antony van Leeuwenhoek, aperfeiçoou a invenção com um conjunto de lentes capaz de aumentar 200 vezes. Os micróbios entraram em foco

 

 

 

SÉCULO 17

 

 

 

– O inglês William Harvey descreveu a circulação sanguínea. Em 1628, ele publicou um livro de 72 páginas sobre o movimento do coração e do sangue em animais. Nascia a moderna ciência da fisiologia. Seu estudo é tido como uma das três mais importantes obras em inglês

 

 

 

 

SÉCULO 18

 

Lady Mary Wortley Montagu

 

 

– A história da vacinação começa com a varíola. Em 1713, a poeta Lady Mary Wortley Montagu, casada com o embaixador da Grã-Bretanha na Turquia, levou a vacina para a Inglaterra

 

 

 

SÉCULO 19

 

Humphry Davy

 

 

– Em 1800, o químico britânico Humphry Davy descobriu o óxido nitroso, também chamado “gás hilariante”. Foi o primeiro anestésico químico e seu uso abriu caminho para operações mais complexas

 

 

 

– Convencido do poder dos microrganismos na indústria vinícola, o cientista francês Louis Pasteur passou a pesquisar os “germes” como agentes causadores de doenças. A medicina entrava na era moderna. Era por volta de 1862

 

 

– Em 1895, o físico alemão Wilhelm Conrad Röntgen notou em seus experimentos que certas substâncias brilhavam no escuro. Por ser uma radiação desconhecida, ele chamou o fenômeno de raios X. Recebeu o prêmio Nobel de física em 1901

Powered by Rock Convert

 

Gregor Johann Mendel

Monge agostiniano, Mendel é considerado o pai da Genética. (Foto: Reprodução)

 

– Curioso com o mecanismo da hereditariedade, o botânico e monge agostiniano Gregor Johann Mendel fez experiências e cruzamentos com pés de ervilha. Seus estudos, de 1865, foram a base para a genética

 

 

 

SÉCULO 20

 

 

 

– O escocês Alexander Fleming investigou substâncias para matar as bactérias causadoras de infecção. A partir do mofo que se formou acidentalmente em uma experiência que fazia, em 1928, ele descobriu a penicilina, o primeiro antibiótico

 

 

– Em 1953, o físico britânico Francis Crick e o bioquímico americano James Watson descrevem a estrutura em espiral dupla da molécula de DNA, que transporta as informações genéticas codificadas quimicamente para a transmissão das características hereditárias

 

Em 1954, cirurgiões de Boston realizam o primeiro transplante de órgão, um rim

 

– Em 1954, cirurgiões de Boston realizam o primeiro transplante de órgão, um rim. Na ocasião, acreditava-se que a única forma de contornar a rejeição seria a partir do transplante entre gêmeos idênticos

 

 

 

– Para obter imagens do corpo humano em três dimensões, por volta de 1972 ,os cientistas desenvolveram exames tomográficos axiais computadorizados. Por meio de um computador, combinam várias imagens de raios X que, juntas, criam um retrato tridimensional

 

 

 

– Era 25 de julho de 1978, nasceu a inglesa Louise Brown, o primeiro “bebê de proveta”. O óvulo foi fertilizado fora do útero, usando esperma doado pelo pai. Passada a fase inicial de desenvolvimento, o óvulo foi reimplantado no útero da mãe

 

Robert Jarvik

 

– O médico americano Robert Jarvik desenvolveu um coração artificial. Em 1982, fez o primeiro implante. O paciente viveu 112 dias. Em 2001, um americano recebeu o coração artificial AbioCor

 

 

– Em 1997, cientistas do Instituto Roslin, no Reino Unido, anunciaram o nascimento da ovelha Dolly, uma duplicata gerada a partir de células mamárias de sua mãe. Provava-se aí a viabilidade da clonagem

 

 

– Em abril de 2000, a empresa privada Celera Genomics ganhou a corrida e concluiu antes do governo americano o sequenciamento do genoma humano, em um exercício que custou bilhões de dólares e envolveu milhares de cientistas em oito anos de trabalho

 

 

 

ATUALIDADE

 

– Dois pesquisadores da Universidade de Tóquio, em 2002, anunciaram ter criado globos oculares de girinos a partir de células-tronco cultivadas em laboratório

 

 

 

– Com tecnologia do exército e da Nasa, a primeira telecirurgia transatlântica foi realizada em 2001. De Nova York, o cirurgião Jacques Marescaux manipulava os braços do robô Zeus para extrair a vesícula biliar de uma paciente em Estrasburgo, na França

 

 

 

– Os primeiros robôs para cirurgias desembarcam no Brasil. Sempre usando o sistema “Da Vinci”, criado com fundos do Departamento de Defesa americano e constituído por braços robóticos instrumentais e sistema integrado de câmera

 

 

– Com o avanço da biologia molecular e do conhecimento sobre o genoma humano, atualmente é possível decodificar os 22 mil genes humanos, em poucas horas, por  menos de US$ 1 mil

 

 

 

– Atualmente, a tecnologia Crispr-Cas9 faz a edição de genes. Em 2016, cientistas curaram um defeito genético que causa retinite pigmentosa usando a tecnologia em células-tronco pluripotentes de um paciente com a doença. O potencial médico da técnica é gigantesco

 

 

(Fonte: https://epocanegocios.globo.com/Vida/noticia/2019/04 – VIDA / NOTÍCIA / POR DARLENE MENCONI E KARINA PASTORE – 14/04/2019)

Powered by Rock Convert
Share.