André Previn, compositor e maestro que venceu quatro Oscars e dez Grammys ao longo da carreira, era conhecido por trabalhar em filmes que eram versões de musicais da Broadway

0
Powered by Rock Convert

Ex-diretor musical, compositor ganhador de quatro Oscars

 

Músico era conhecido por trabalhar em filmes que eram versões de musicais da Broadway.

 

Em 2013, André Previn comparece a um evento no Lincoln Center, em Nova York (Foto: STEPHEN LOVEKIN / AFP)

 

Compositor e regente era conhecido por ter sido um prodígio e por sua versatilidade na música

 

 

 

André George Previn (Berlim, 6 de abril de 1929 – Nova York, 28 de fevereiro de 2019), compositor e maestro que venceu quatro Oscars e dez Grammys ao longo da carreira, ex-diretor musical da Filarmônica de Los Angeles e uma força cuja influência se espalhou para além do mundo clássico. Compositor e regente era conhecido por ter sido um prodígio e por sua versatilidade na música.

Músico nascido em Berlim ficou conhecido pelo talento versátil que eliminou barreiras musicais. Ele levou quatro Oscars por composições em filmes e conduziu grandes orquestras europeias, incluindo a Sinfônica de Londres.

Previn ficou marcado por um talento extraordinário e versátil, que eliminava as barreiras entre jazz, pop, cinema e música clássica.

Ganhou fama por suas composições e arranjos musicais em dezenas de filmes, que lhe renderam a estatueta mais cobiçada no mundo do cinema por Gigi (1958), Porgy & Bess (1959), Irma la douce (1963) e Minha bela dama (1964).

 

Além disso, mantém o recorde de ter recebido o maior número de indicações ao Oscar em um ano, quando em 1961 se destacou por seu trabalho musical em Elmer Gantry e Essa loira vale um milhão, e a sua canção Faraway part of town, da comédia Pepe.

 

Apesar da lucrativa carreira profissional em Hollywood, Previn também dedicou-se à sua paixão por jazz, piano e música clássica, tendo sido um destacado diretor da Orquestra Sinfônica de Londres, a qual também conduziu como maestro.

 

O talento de Previn fez com que ele fosse descrito como um dos melhores e mais completos músicos do século 20. Chegou a se apresentar com estrelas do jazz como Ella Fitzgerald, além de compor musicais, peças de orquestra, duas óperas e vários concertos.

 

Nascido em 6 de abril de 1929 na capital da Alemanha, ele ingressou no Conservatório de Berlim aos 6 anos de idade, após seu talento ter sido percebido por seus pais. Por volta de 1938, estudou durante um ano em Paris.

 

 

Judeus, Previn e sua família acabaram fugindo da Alemanha nazista em 1939 e se mudaram para Los Angeles, nos Estados Unidos, onde o tio-avô dele era diretor musical nos estúdios da Universal. Ele se tornou cidadão americano em 1943.

 

 

Talentoso pianista de jazz, começou a trabalhar na MGM em 1946, enquanto ainda frequentava o ensino médio, deixando o estúdio nos anos 1960. “Na MGM, você sabia que teria um trabalho no ano seguinte e que seria pago. Mas eu era ambicioso demais para me contentar com isso”, disse ele numa entrevista ao The Guardian em 2008.

 

 

Previn foi diretor musical da Filarmônica de Los Angeles, bem como das orquestras sinfônicas de Houston e de Pittsburgh. Atuou também como maestro convidado em várias partes do mundo.

 

André Previn ganhou fama no mundo artístico como compositor e maestro, ganhador de quatro Oscars em categorias hoje extintas, de 10 Grammys, e como titular das orquestras Sinfônica de Londres e Filarmônica de Los Angeles. No mundo das celebridades, no entanto, ele era mais conhecido como o homem que roubou a atriz Mia Farrow de Frank Sinatra, o pai adotivo de Soon-Yi Previn e o sogro do cineasta Woody Allen.

Previn foi a única pessoa na história do Oscar a receber três indicações em um ano: em 1961, pelas trilhas de “Elmer Gantry” e “Essa loira vale um milhão”, e pela canção “Faraway Part of Town” da comédia “Pepe”. Antes, ganhara a estatueta por Gigi”, em 1958, e “Porgy & Bess”, no ano seguinte, na extinta categoria de melhor trilha para músical. Depois, com “Irma la Douce”, em 1963, e com “My Fair Lady”, em 1964, em outra categoria que não existe mais, melhor adaptação ou tratamento de trilha.

 

 

Sua fama no mundo musical, no entanto, já não era nova. Críticos o descreviam como o “prodígio de gola rulê” e o “maestro de Mickey Mouse” quando ele tinha entre os 20 e 30 anos, e era frequentemente comparado a Leonard Bernstein, também maestro, compositor e pianista igualmente versátil.

 

 

Como Bernstein, Previn também tentou a Broadway. Com Allan Jay Lerner, ele escreveu “Coco”, um musical sobre o estilista Coco Chanel, estrelado por Katharine Hepburn, e teve 329 apresentações, em 1969 e 1970. Ele também escreveu a música para “The Good Companions”, um musical com letras de Johnny Mercer, que teve 252 apresentações em Londres, em 1974.

 

 

Tudo isso se explica. Andreas Ludwig Prewin nasceu no 6 de abril de 1929, em Berlim. Aos 6 anos, entrou no conservatório, após seus pais perceberem que ele tinha ouvido absoluto. Em 1938, sua família — de origem polonesa e judia — foi para Paris, a fim de fugir da perseguição nazista. Na França, estudou com Marcel Dupré no Conservatório de Paris por cerca de um ano, antes de a família seguir para Los Angeles.

Previn tornou-se cidadão americano em 1943 e, em 1950, foi convocado para o Exército. Ele também estudou regência em San Francisco com Pierre Monteux, a quem mais tarde seguiu na Orquestra Sinfônica de Londres. Depois, foi diretor musical ou regente de várias orquestras.

 

Ele continuou como regente principal da Sinfônica de Londres até 1979, e também foi o principal regente da Royal Philharmonic Orchestra, de 1965 a 1988. Nos Estados Unidos, ocupou o cargo de Pittsburgh, de 1976 a 1984, e tornou-se diretor musical da Filarmônica de Los Angeles, em 1985.

Ao aproximar-se dos 70 anos, Previn recorreu à ópera, escrevendo “Um Bonde Chamado Desejo” para um libreto de Philip Littell baseado na peça de Tennessee Williams. Sua outra ópera foi “Brief Encounter” (2007), com um libreto de John Caird baseado no roteiro de Noël Coward para o filme “Desencanto” (1945), de David Lean.

 

Powered by Rock Convert

O divórcio da segunda mulher, Dory Langan, em 1970, foi motivado por um caso célebre que Previn teve com Mia Farrow. A atriz deixou o marido, Frank Sinatra, e se casou com Previn. Eles tiveram três filhos, Matthew e Sascha, que eram gêmeos, e Fletcher. Eles também adotaram Summer Song, conhecida como Daisy, e Soon-Yi, que se casou com Woody Allen em 1997.

Previn pareceu intrigado com o fato de os críticos terem continuado a mencionar seu passado de Hollywood muito depois de ele ter começado a se concentrar na música clássica:

 

“Eu não fiz mais nada desde meados dos anos 1960”, disse ele ao jornal “The New York Times”, em 1991. “Quando eu vou a uma escola dar aulas, as crianças não sabem que eu fiz outras coisas. Às vezes, eles assistem um filme e perguntam: ‘Quem é que fez isso?’ Então, tenho que confessar que o homem que fabricava glissandos de harpa para Ester Williams mergulhar era eu”.

(Fonte: Deutsche Welle – NOTÍCIAS / CULTURA / MÚSICA – 01.03.2019)

(Fonte: GAÚCHA Zero Hora – ANO 55 – N° 19.336 – 1° de março de 2019 – TRIBUTO / MEMÓRIA – Pág: 29)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O compositor e maestro de orquestra sinfônica Andre Previn, vencedor de quatro Oscars, era um dos maiores regentes do século 20, ele foi premiado pela academia com o prêmio de Melhor Música por Gigi (1958) e Porgy & Bess (1959).  Em seguida, ele ganhou dois outros Oscar com Irma la Douce (1963) e My Fair Lady (1964).

Alemão de nascimento, Andreas Ludwig Priwin deixou sua Berlim natal para Paris fugindo da perseguição nazista aos judeus, de onde imigrou pouco antes da Segunda Guerra Mundial para os Estados Unidos. Com dezenas de composições no currículo, além da regência de um sem número de filmes e quase cem álbuns, Previn foi condutor das orquestras mais importantes do mundo, como a Orquestra Sinfônica de Londres e a Filarmônica de Los Angeles.

 

 

Em paralelo à carreira musical, o maestro teve uma vida pessoal conturbada. Ele foi casado cinco vezes, a primeira com a cantora de jazz Betty Bennett e a segunda com a liricista Dory Previn, sua colaboradora em vários filmes premiados.

O músico alemão era conhecido por trabalhar em filmes que eram versões de musicais da Broadway. Ele levou prêmios no Oscar por Melhor Musical Original (“Porgy & Bess” e “Gigi”) e Trilha Sonora Original (“Minha bela dama” e “Irma la douce”). Previn teve outras nove indicações ao Oscar.

O compositor também era pianista e maestro de jazz, tendo tocado com Ella Fitzgerald, Duke Ellington e a violinista Anne-Sophie Mutter, sua quinta esposa.

Previn, um maestro, compositor e pianista que alternou entre o clássico, o pop e o jazz, liderou sinfonias em todo o mundo numa longa e ilustre carreira como maestro. Ele também ganhou quatro prêmios da Academia.

Ao longo de sua carreira, Previn dirigiu várias orquestras, servindo não apenas como diretor musical da LA Phil, bem como da Orquestra Sinfônica de Pittsburgh e da Sinfônica de Houston, mas também atuando como regente principal da Orquestra Sinfônica de Londres e Orquestra Filarmônica Real. Ele também excursionou globalmente como um maestro convidado.

Previn entrou no mundo do cinema aos 16 anos. A MGM o contratou para arranjar música para trilhas sonoras de filmes, e ele escreveu e arranjou música para cinema, ganhando o Oscar de música em “My Fair Lady”, “Gigi”, “Irma la”. Douce ”e“ Porgy and Bess ”.

Em 1961, a Previn fez a história do Oscar ao ganhar três indicações ao Oscar pela trilha sonora de “Bells Are Ringing” e “Elmer Gantry”, além da música “Pepe”, “Faraway Part of Town”.

Ele também ganhou 10 Grammy Awards durante sua carreira.

 

 

Outros prêmios

Ele também é o vencedor de 10 estatuetas no Grammy e um prêmio especial pela carreira da Academia de Gravação. Ele serviu como Maestro Principal e Maestro Emérito da Orquestra Sinfônica de Londres.

O terceiro casamento foi com Mia, por quem ele abandonou Dory e foi trocado pelo cineasta Woody Allen; o quarto com Heather Sneddon; e o quinto com a renomada violinista Anne-Sophie Mutter, quase 35 anos mais jovem e pare quem ele compôs um concerto.

 

 

Com Mia, Previn teve três filhos biológicos, MatthewSascha e  Fletcher, e adotou três crianças: LarkSummer   e  Soon-Yi Previn. Esta última acabaria se casando com Woody Allen, seu padrasto, em um escândalo que fez com que o maestro deserdasse a jovem. O compostior teve ainda duas filhas com Betty, Claudia  e  Alicia ; e um filho, Lucas Alexander, e outra  filha adotiva, Li-An Mary, com Heather.

Previn era ex-marido de Mia Farrow e pai adotivo de Soon-Yi, que se casou com o padrasto, Woody Allen.

André Previn morreu em 28 de fevereiro de 2019 depois de uma curta doença em sua casa em Nova York, informou sua gerente Linda Petrikova. Ele tinha 89 anos.

(Fonte: Los Angeles Times – TRIBUTO / MEMÓRIA / Por DEBORAH VANKIN – 28 DE FEVEREIRO DE 2019)

(Fonte: https://oglobo.globo.com/cultura/musica – CULTURA / MÚSICA / Com informações do ‘New York Times’ – 28/02/2019)

(Fonte: https://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2019/02/28- POP & ARTE / CINEMA / NOTÍCIA / Por G1 – 28/02/2019)

(Fonte: https://revistaquem.globo.com/Series-e-filmes/noticia/2019/02 – SÉRIES E FILMES / NOTÍCIA / POR QUEM ONLINE  – 28/02/2019)

Powered by Rock Convert
Share.