Alfred Worden, ex-astronauta americano, foi piloto do módulo de comando Endeavour da missão Apollo 15

0
Powered by Rock Convert

ASTRONAUTA ALFRED WORDEN CIRCULOU A LUA NA MISSÃO APOLLO 15

Foi o piloto do módulo de comando da quarta missão tripulada em solo lunar

 

Alfred Merrill Worden (Jackson, Michigan, 7 de fevereiro de 1932 – Sugar Land, 18 de março de 2020), astronauta americano, conhecido por ter participado da missão Apollo 15.

 

Worden ficou na órbita lunar enquanto o comandante David Scott e o piloto James B. Irwin pousavam e exploravam a superfície do nosso satélite natural.

 

Worden pilotou o módulo de comando da Apollo 15, que ocorreu entre os dias 30 de julho e 2 de agosto de 1971. A tarefa dele foi permanecer em órbita lunar pilotando o módulo Endeavour, enquanto seus companheiros, David Scott e James Irwin, exploravam a Lua com o Veículo Explorador Lunar, da NASA.

 

 

 

 

David Scott, Aldred Worden e James Irwin, da Apollo 15 – (Crédito: Wikimedia Commons)

 

 

 

 

Worden nasceu em 7 de fevereiro de 1932, na cidade de Jackson, em Michigan, no dia 7 de fevereiro de 1932. Foi nomeado para a Academia Militar dos Estados Unidos em West Point, graduando-se em 1955 e conseguiu o mestrado em engenharia aeronáutica e engenharia de instrumentação na Universidade de Michigan em 1963. Em 1971, a Universidade de Michigan concedeu a ele um doutorado honorário em ciências da engenharia astronáutica.

 

Antes de se tornar astronauta, o então Coronel Worden foi ainda instrutor da Escola de Pilotos de Pesquisa Aeroespacial. Ele também serviu como piloto e oficial de armamento entre março de 1957 e maio de 1961. Depois disso, se tornou um dos 19 astronautas selecionados pela NASA, em abril de 1966, e atuou como membro da equipe de suporte na missão Apollo 9 e como piloto do módulo de comando de backup da Apollo 12.

 

Na Apollo 15

 

 

Como piloto do módulo de comando, Worden ficou em órbita enquanto seus colegas exploravam a região lunar Hadley Rille e as Montanhas Appenninas. O módulo de comando Endeavor foi o primeiro a ter seu próprio conjunto de instrumentos científicos.

 

“O mais interessante para mim foi tirar fotografias de objetos muito fracos com uma câmera especial que eu tinha a bordo”, disse Worden à Smithsonian Magazine em 2011. “Esses objetos refletem a luz do Sol, mas é muito, muito fraco e você pode ver [da Terra]. Existem vários lugares entre a Terra e a Lua que são pontos de equilíbrio estáveis. E se for esse o caso, tem que haver uma nuvem de poeira lá. Eu tenho fotos disso”, relatou.

Powered by Rock Convert

 

Com a câmera a bordo da Endeavor, as fotos que Al tirou da Lua foram as imagens mais nítidas do satélite natural da Terra até então, o que permitiu o mapeamento de seu terreno acidentado. Durante a missão, o major Worden também operou o pacote de instrumentos a bordo para ampliar o nosso conhecimento sobre o espaço e sobre a própria Lua.

ALFRED WORDEN

Al Worden, que orbitou a Lua na missão Apollo 15.
(Foto: NASA)

 

 

Na missão lunar, ele ganhou um recorde mundial como “ser humano mais isolado” – enquanto seus companheiros de tripulação estavam na superfície lunar, ele ficou a 5.206 km de distância de qualquer outra pessoa.

 

Durante o voo de volta para a Terra, Worden foi o primeiro astronauta na história a realizar atividades extra-veiculares no espaço, passando um total de 38 minutos fora da nave da Apollo 15. Isso porque ele precisou fazer três caminhadas espaciais (ou spacewalks) para recuperar cartuchos de filme das câmeras a bordo do módulo. Ao todo, Worden registrou mais de 295 horas no espaço.

 

Worden não foi apenas o homem que realizou o especial feito de circular a Lua, como também, na viagem de volta, foi o primeiro a fazer o que passou a ser naquela época a caminhada espacial mais profunda da história. Ele andou a uma distância de 322 mil quilômetros da Terra, em uma operação que demorou 38 minutos.

Durante o retorno de Worden e dos demais astronautas da Apollo 15 à Terra, no dia 7 de agosto de 1971, eles trouxeram na bagagem 77 quilos de rochas para estudos. Passaram também por um pequeno susto, quando um dos três paraquedas de uma cápsula falhou.

 

Mas, ainda bem, os astronautas conseguiram pousar no oceano com segurança com apenas dois equipamentos restantes, finalizando a primeira missão de longa duração em solo lunar. Aquela aventura, assim como o legado de Alfred Worden, ficaram para a história.

 

Irwin faleceu em 1991, enquanto que Scott, hoje com 87 anos de idade, é um dos quatro astronautas que já pisaram na Lua e ainda permanecem vivos. Os outros viajantes do espaço que ainda estão entre nós são Buzz Aldrin (Apollo 11), Charles Duke (Apollo 16) e Harrison Schmitt (Apollo 17).

Alfred Worden faleceu aos 88 anos de idade, em 18 de março de 2020. Segundo seu amigo próximo,Tom Kallman, Worden estava em um centro de reabilitação, se recuperando de uma infecção, e faleceu enquanto dormia.

Buzz Aldrin fez uma pequena homenagem para Alfred Worden no Twitter, onde postou uma foto que tirou com o colega falecido. “Fio grisalho, esteja você em paz, Al da velocidade divina”, escreveu o astronauta da missão Apollo 11.

 

“Estou profundamente triste ao saber que o astronauta da Apollo Al Worden faleceu”, escreveu o administrador da NASA Jim Bridenstine, no Twitter, sobre Worden. “Al era um herói americano cujas realizações no espaço e na Terra nunca serão esquecidas”.

Além da publicação na rede social, Bridenstine escreveu uma nota oficial no site da NASA, enviando condolências à família e entes queridos do astronauta e resumindo um pouco os momentos mais marcantes de sua carreira, além de listar suas contribuições à agência espacial norte-americana. “Lembramos desse pioneiro cujo trabalho expandiu nossos horizontes”, finalizou Jim.

(Fonte: https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/historia-hoje – NOTÍCIAS / PERSONAGEM / Por VANESSA CENTAMORI – 19/03/2020)

(Fonte: https://br.noticias.yahoo.com – NOTÍCIAS / Por Daniele Cavalcante / Canaltech – 18 de março de 2020)

Copyright Grupo Perfil. Todos os direitos reservados.

Powered by Rock Convert
Share.