Aïché Nana, atriz e dançarina de origem turca, cujo strip-tease improvisado para a rica sociedade romana em um restaurante da Cidade Eterna escandalizou e inspirou o cineasta Federico Fellini

0
Powered by Rock Convert

A dançarina que inspirou Federico Fellini com seu strip-tease

 

Aiche Nana foi homenageada no filme ‘A Doce Vida’ (1960).

 

Nos anos 1950, ela tirou a roupa num restaurante e ficou seminua.

 

 

Aïché Nana

Aiche Nana tirou a roupa num restaurante e ficou seminua. (Foto: Dagospia / DIREITOS RESERVADOS)

 

Kiash Nanah, mais conhecida como Aïché Nana, nasceu em fevereiro de 1936 em Beirute (Líbano), de origem Turca, foi atriz, dançarina e stripper.

Aiche Nana (Beirute, Líbano, 2 de fevereiro de 1936 – Roma, 29 de janeiro de 2014), atriz e dançarina de origem turca, embora tenha nascido em Beirute, cujo strip-tease improvisado para a rica sociedade romana em um restaurante da Cidade Eterna escandalizou e inspirou o cineasta Federico Fellini.

 

Iniciou sua carreira em 1954 aos 14 anos, antes de mudar-se para a França e depois para a Itália se tornou uma belly dancer (dançarinas que fazem número de dança do ventre e outras expressões artísticas do Oriente Médio).

 

Se casou com o diretor, produtor e roteirista italiano, Sergio Pastore. Fez participações em filmes e serviu de inspiração para uma cena clássica do filme “La dolce Vita” (1960) de Federico Fellini.

Powered by Rock Convert

 

Uma mulher, cujo strip-tease improvisado para a rica sociedade romana em um restaurante da Cidade Eterna escandalizou e inspirou Fellini, causou sensação em 1958, no auge do la “dolce vita”, ao despir-se inesperadamente em um restaurante muito elegante de Trastevere, o Rugantino. A longa dança lasciva que acabou com a jovem seminua foi imortalizada pelo “rei dos paparazzi” Tazio Secchiaroli, e Federico Fellini fez alusão em seu Dolce Vita (1960).

 

Nascida em Beirute e de origem Turca, Aiche causou sensação em 1958, no auge do ‘la dolce vita’, ao despir-se inesperadamente em um restaurante muito elegante de Trastevere, o Rugantino.

 

 

Em 2008, Aiche Nana voltou a atrair as atenções ao iniciar uma ação judicial por difamação contra o autor do filme para TV “A Vida de Um Paparazzo”, Pierfrancesco Pingitore. “A derrota judicial provocou uma piora em seu estado de saúde”, segundo seu advogado Giuseppe Torcicollo.

Filmografia:
1985 – Rei Davi (Ahinoab)
1983 – A Estória de Piera (La veggente)
1979 – Immagini di un convento (Madre Superiora)
1978 – L’enfant de nuit
1978 – Porco mondo
1977 – Os Novos Monstros (Giulia)
1970 – Edipeon (Lola)
1968 – Crisantemi per un branco di carogne
1968 – Thompson – 1880 (Fanny)
1968 – Due occhi per uccidere
1968 – Giurò… e li uccise ad uno ad uno… Piluk il timido (Daisy Sugar Candy)
1966 – A… come assassino (Adriana)
1965 – Revólver Maldito (Desiree)
1956 – A Touch of the Sun (Belly Dancer)
1956 – A Aventureira do Oriente (La danseuse)

 

Aiche Nana morreu em 29 de janeiro de 2014, no Aurelia Hospital em Roma (Itália). Ela tinha 78 anos.

(Fonte: http://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2014/01 – POP & ARTE / CINEMA / NOTÍCIAS / Da AFP – 30/01/2014)

(Fonte: http://salalatinadecinema.blogspot.com/2014/01 – SALA LATINA DE CINEMA – 31 de janeiro de 2014)

(Fonte: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/mundo/2014/01/30 – NOTÍCIA / MUNDO / Por Agência France-Presse – 30/01/2014)

Powered by Rock Convert
Share.