Criou uma das primeiras mídias a dedicar-se exclusivamente à pauta ambiental no Brasil

0
Powered by Rock Convert

Jornalista e ambientalista

 

Em 1999, Vilmar Sidnei Demamam Berna recebeu o Prêmio Global 500 da ONU, maior reconhecimento das Nações Unidas aos que defendem o meio ambiente no mundo.

 

O ambientalista Vilmar Berna entre Fernando Gabeira e Carlos Minc — (Foto: Reprodução blog pessoal)

 

 

Ele foi um dos pioneiros do jornalismo ambiental no país

 

Vilmar Sidnei Demamam Berna (Porto Alegre, outubro de 1956 – Rio de Janeiro, 2 de abril de 2021), jornalista, escritor e ambientalista, foi um dos ambientalistas mais atuantes no Brasil. Tornou-se jornalista para contar histórias e defender o maior bem da vida, o Planeta Terra.

 

Aguerrido ativista em defesa do meio ambiente, foi pioneiro no jornalismo ambiental e ajudou a fundar organizações da sociedade civil dedicadas à essa causa como a Univerde, em 1980, em São Gonçalo, a Defensores da Terra, em 1984, no Rio de Janeiro, e a Rede Brasileira de Informação Ambiental (REBIA), em Niterói.

 

Nascido em outubro de 1956, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, Vilmar morava em Jurujuba, em Niterói, na Região Metopolitana do Rio.

Vilmar participou da fundação de várias organizações da sociedade civil dedicadas às lutas ambientais, entre as quais se destacam a Univerde, em 1980, em São Gonçalo; os Defensores da Terra, em 1984, na cidade do Rio de Janeiro; e a Rede Brasileira de Informação Ambiental (REBIA), em Niterói.

 

Foi reconhecido pela ONU como um lutador, recebendo o Prêmio Global 500 das mãos do imperador Akihito, do Japão, por ser um incansável defensor da vida, em todas as suas formas e dimensões.

 

Nisso esteve ao lado de gigantes como seringueiro Chico Mendes e o sociólogo Herbert de Souza, o Betinho.

 

oexploradorPowered by Rock Convert

Conta-se que os diplomatas brasileiros estavam preocupados, porque Vilmar não deveria e não poderia dirigir a palavra ao Imperador. O protocolo japonês colocou todas as regras de uma cerimônia solene e pediu que Vilmar apenas se dirigisse ao palco, recebesse a honraria e retornasse a seu lugar. Não deu certo.

 

Vilmar dirigiu-se ao palco, olhou fixamente para o imperador e fez um arrazoado sobre a política japonesa de caça às baleias. Tentaram interromper, mas o próprio imperador pediu que continuasse e chamou seu interprete.

 

Ao final da fala prometeu a Vilmar que iria se inteirar dos dados e conversar com seu primeiro ministro.

 

Transformou a militância ambiental em uma missãoInspirou gerações de jovens jornalistas que hoje brilham em todas as mídias.

 

Usou seu talento com as palavras e seu conhecimento para falar com todos os públicos, desde gestores públicos, empresários, que sempre o respeitaram, até as crianças, às quais dedicou seu melhor com a publicação de dezenas de livros em uma linguagem que respeita a inteligência de seus leitores, de qualquer idade.

 

Vilmar criou uma das primeiras mídias a dedicar-se exclusivamente à pauta ambiental no Brasil, o Jornal do Meio Ambiente. Com a internet, criou a Rede Brasileira de Informação Ambiental (Rebia), com milhares de participantes em todo o país.

 

Reconhecimento internacional

Muito reconhecido por seu trabalho como ambientalista, Vilmar tornou-se, em 1999, um dos brasileiros a receber o Prêmio Global 500 da ONU.

O prêmio foi entregue no Japão, pelo então imperador Akihito. Na ocasião, o protocolo da cerimônia impedia que os premiados falassem com o imperador japonês. Contudo, diplomatas presentes no evento contam que, após receber o prêmio, Vilmar fez um discurso sobre a política japonesa de caça às baleias.

A organização do evento tentou interromper a fala de Vilmar, mas o próprio imperador pediu que continuasse e chamou seu interprete. Ao final, o imperador disse que iria se informar sobre os dados e conversar com seu primeiro ministro.

Vilmar Sidnei Demamam Berna faleceu em 2 de abril de 2021, aos 64 anos, no Rio de Janeiro. Segundo familiares, Vilmar teve pneumonia grave.

(Fonte: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2021/04/02 – RIO DE JANEIRO / Por G1 Rio – 02/04/2021)

(Fonte: https://conexaoplaneta.com.br – Conexão Planeta – NOTÍCIAS – 4 de abril de 2021)

*Dal Marcondes é jornalista, diretor presidente do Instituto Envolverde e fundador e diretor da Agência Envolverde, editor do Projeto TerraAmérica, realizado com o apoio do Banco Mundial. Passou por diversas redações da grande imprensa paulista, como Agência Estado, Gazeta Mercantil, Revistas Isto É e Exame como repórter e editor de Economia e Finanças. Desde 1998 dedica-se à cobertura de temas relacionados ao meio ambiente, educação, desenvolvimento e sustentabilidade empresarial. Recebeu por duas vezes o Prêmio Ethos de Jornalismo, recebeu o Prêmio Ponto de Mídia Livre, do Ministério da Cultura, e é reconhecido como um “Jornalista Amigo da Infância” pela agência ANDI.

Powered by Rock Convert
Share.