Primeiros táxis voadores

0
Powered by Rock Convert

Primeiros táxis voadores podem cruzar os céus da Europa em 2024

 

Os europeus poderão começar a ver os primeiros táxis voadores nos céus já a partir de 2024, segundo o regulador da aviação da Europa. Seja para transportes de passageiros ou para entrega de medicamentos, estes veículos estão cada vez mais perto de serem uma realidade, com várias empresas a anunciarem desenvolvimentos neste campo.

 

Patrick Ky, diretor-executivo da Agência de Segurança da Aviação da União Europeia (EASA) disse que acredita que o uso comercial de táxis aéreos pode começar a acontecer em 2024 ou 2025. O responsável citou números que indicam um mercado avaliado em 4,2 bilhões de euros na Europa até 2030, criando 90 mil postos de trabalho. Cerca de 31% deste mercado iria se concentrar em território europeu.

 

A EASA já iniciou mesmo o processo de certificação de alguns projetos e espera que as primeiras aprovações para estes táxis voadores aconteçam em 2024, salientou Patrick Ky. A rapidez com que estes veículos entrarão em serviço dependerá ainda de aprovações operacionais, que avaliam fatores como os potenciais riscos e se os voos serão feitos em centros urbanos.

oexploradorPowered by Rock Convert

 

O regulador está focado em projetos que envolvam veículos pilotados para o transporte de passageiros, mas também que transportem e entreguem produtos, como medicamentos. Os veículos totalmente autônomos ainda estão a alguns anos de distância, destacou Patrick Ky.

 

A startup alemã Volocopter, por exemplo, e vários outros patrocinadores de projetos esperam ter os primeiros táxis voadores prontos a tempo dos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024. A segurança é a principal preocupação em torno deste assunto, bem como o barulho.

 

Um estudo levado a cabo pela EASA concluiu que cerca de 71% das pessoas entrevistadas em seis áreas urbanas mostraram interesse em usar táxis aéreos ou os serviços de entrega a partir dos mesmos. 41% dos entrevistados considera que as atividades médicas de emergência sairiam beneficiadas com esta tecnologia. A maioria das pessoas mostrou preocupação com o impacto nos pássaros ou insetos.

(Fonte: https://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil – NOTÍCIAS / BRASIL / por ISTOÉ DINHEIRO / Da redação / fornecido por Microsoft News – 22/05/2021)
Powered by Rock Convert
Share.