Tibério Gaspar, compositor era autor de sucessos da MPB como ‘BR-3’ , ‘Teletema’ e “Sá Marina” (com Antonio Adolfo), sucesso na voz de Wilson Simonal

0

Compositor de “Sá Marina” (com Antonio Adolfo), sucesso na voz de Wilson Simonal

 

 

O compositor Tibério Gaspar era autor de sucessos da MPB como ‘Sá Marina’, ‘BR-3’ e ‘Teletema’

 

 

 

Tibério Gaspar Rodrigues Pereira (Rio de Janeiro, 11 de setembro de 1943 – Hospital Miguel Couto, Rio de Janeiro, 15 de fevereiro de 2017), violonista, produtor e compositor de “Sá Marina” (com Antonio Adolfo), sucesso na voz de Wilson Simonal.

 

 

 

 

O compositor foi autor de sucessos da MPB como Sá MarinaBR-3 Teletema (parcerias com Antonio Adolfo).

 

 

 

A carreira do violonista e letrista carioca começou nos anos 1960, na era dos festivais, com Antonio Adolfo. À época, era professor de matemática, enquanto Adolfo já trabalhava como pianista. O primeiro grande sucesso da dupla foi “Sá Marina”, gravada por Wilson Simonal, e que acabou sendo um dos maiores hits do cantor.

 

 

“Teletema” viria em 1970, defendida por Evinha na Olimpíada da Canção de Atenas, na Grécia. No mesmo ano, os dois venceram o V Festival Internacional da Canção com BR-3, interpretada por Tony Tornado, Trio Ternura e Quarteto Osmar Milito.

 

 

 

CENTRO11 RJ 08/12/2006 - CENTRO/REVITALIZAÇÃO - CIDADES - ESPECIAL DOMINICAL - O centro do Rio passa por um vigoroso processo de revitalização neste início de século 21. Pelo menos quatro prédios dos anos 20 e 30 estão sendo cuidadosamente recuperados e abrigarão escritórios comerciais. Na Lapa, dois condomínios residenciais estão sendo construídos. Na foto o músico Tibério Gaspar que mora numa das ruas de comércio popular mais movimentadas da cidade diz que a barulheira durante o dia é compensada pelo silêncio e segurança da noite. Foto: ALAOR FILHO/AGENCIA ESTADO/AE

Tibério chegou a ser gravado por Stevie Wonder, Elis Regina, Tim Maia e Erasmo Carlos. (Foto: Alaor Filho/Estadão)

 

 

 

 

Com o pianista Antonio Adolfo, o letrista e melodista carioca Tibério Gaspar iniciou em 1967 uma parceria que viria a marcar aqueles tempos de festivais da canção. São da dupla grandes sucessos da MPB como “Sá Marina” (que ficou conhecida na gravação de Wilson Simonal, mas foi cantada até por Stevie Wonder na versão em inglês “Pretty world”), “Juliana”, “Teletema” (sucesso de Evinha, que representou o Brasil em 1970 na Olimpíada da Canção em Atenas) e “BR3”, composição vitoriosa, com a voz de Tony Tornado, no mesmo ano, no V Festival Internacional da Canção.

 

 

 

 

Mas essa foi apenas uma das facetas de Tibério, violonista autodidata que compôs jingles publicitários, trabalhou na produção de shows e de discos.

 

 

 

Um dos grandes amigos de Tibério era Tim Maia, a quem apresentou os livros da seita Universo em Desencanto, que inspirariam o cantor a gravar os discos de sua fase Racional. Mais tarde, Tim seria o responsável por fazer o compositor deixar a timidez de lado e soltar a voz. “Ele me chamou no palco num show no Circo Voador, nem lembro se nos anos 1980 ou 90. E me forçou a cantar ‘Sá Marina’”, recordou-se Tibério, em entrevista ao jornal “O Dia”, em 2014. De lá para cá, ele lançou os discos “Tibério canta Gaspar” (2002) e “Caminhada” (2015).

 

 

 

Em cinco décadas de atividade, Tibério foi gravado por Stevie Wonder, Elis Regina, Tim Maia, Erasmo Carlos, entre muitos outros intérpretes. Ele fez trilhas sonoras para novelas da TV Globo e para a TV Manchete, além de jingles, e trabalhou na produção de discos e de campanhas publicitárias.

 

 

 

 

Tibério Gaspar morreu em 15 de fevereiro de 2017. No último dia 29, o músico passou mal no camarim do Teatro Glaucio Gil e foi levado para o Hospital Miguel Couto. No período em que ficou internado, sua saúde piorou com uma infecção e ele veio a falecer ao meio-dia.

Antonio Adolfo fez um tributo ao amigo no Facebook: “Vamos ficar com a lembrança de Tibério, amigo de todas as horas, grande poeta, compositor, e tantas outras qualidades: justiça, raça, fibra, carisma, dedicação ao próximo. Gostaria de ter sua poesia para poder escrever coisas mais bonitas e profundas, como as que você sempre escreveu e mereceu. Fique com Deus, amigo. Muitas saudades já apertam nossos corações. Que esteja partindo para uma muito melhor.”

(Fonte: https://jornalggn.com.br/noticia – NOTÍCIA / CULTURA / Por LUIS NASSIF – 16/02/2017)

https://cultura.estadao.com.br/noticias/musica – NOTÍCIAS / MÚSICA / CULTURA / Por Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo – 15 Fevereiro 2017)

Share.