“Sou índio atrevido, de faces tostadas,/ De noites doiradas, de sonho fagueiro.” Francisco Lobo da Costa (1853-1888), poeta gaúcho, no poema “O Índio”.

0

“Sou índio atrevido, de faces tostadas,/ De noites doiradas, de sonho fagueiro.” 

Francisco Lobo da Costa (1853-1888), poeta gaúcho, no poema “O Índio”.

(Fonte: Revista Caras, 1º de dezembro 2017 – Ano 24 – N° 48 – Edição 1256 – CITAÇÕES – Pág: 28)

Share.