Pela primeira vez na história das oitavas da Copa não tem africanos classificados

0

Pela primeira vez na história das oitavas da Copa não tem africanos classificados

 

 

Copa não tem africanos classificados às oitavas pela primeira vez na história

 

Com a queda de Senegal no Grupo H, continente fica sem representantes na segunda fase do Mundial da Rússia. Egito, Marrocos, Nigéria e Tunísia foram as outras seleções eliminadas

 

Pela primeira vez, desde 1982, quando Camarões e Argélia falharam, o continente africano não terá nenhum representante na segunda fase do Mundial.

Egito, Marrocos, Nigéria, Tunísia e Senegal foram todos eliminados. Derrotado pela Colômbia em Samara, os senegaleses eram a última esperança africana na Copa, mas também ficaram pelo caminho.

Desde 1998, quando 32 seleções passaram a participar da Copa, a África passou a contar com cinco vagas diretas para o torneio – foram seis em 2010, com a anfitriã África do Sul.

Naquele ano, a Ghana, com imenso apoio popular, esteve bem perto da semifinal, mas acabou eliminado pelo Uruguai. Argélia e Nigéria se classificaram, há quatro anos, no Brasil.

Nesta Copa, Marrocos atraiu elogios da crítica, mas somou apenas um ponto. A Nigéria perdeu a tensa batalha contra a Argentina e também ficou fora. Egito e Tunísia já chegaram à última rodada sem chances. .

Com 54 membros, o continente africano tem apenas um membro a menos que a Europa filiado à Fifa, embora tenha obtido 14 vagas na Copa da Rússia – uma é da anfitriã.

A partir de 2026, quando haverá 48 vagas, a África passará a ter nove vagas. UM aumento, mas ainda uma grande diferença em relação à Europa, com 16.

Os países africanos sempre se queixaram de desequilíbrio. Mas fica difícil argumentar depois de um desempenho como esse  visto na Rússia.

Senegal foi eliminada no Grupo H da Copa do Mundo após perder para a Colômbia no último jogo da primeira fase e levar a pior no critério de desempate – número de cartões – na disputa com o Japão pelo segundo lugar. E isso significou uma marca negativa histórica para o continente africano na competição.

A seleção de Mané e companhia era a última esperança para a África contar com um representante na fase de mata-mata – Egito, Marrocos, Nigéria e Tunísia foram as outras eliminadas. Com o fracasso, 2018 se torna a primeira edição sem africanos classificados para as oitavas de final.

Nigéria, três vezes, Gana, duas, Árgelia, Camarões, Marrocos e o próprio Senegal foram representantes em outras edições (veja abaixo). Vale lembrar que em 1930 e de 1950 a 1982 não havia a fase de oitavas.

 

 

 

Info – seleções africanas que avançaram às oitavas (Foto: GloboEsporte.com)

 

 

Em 1934 e 1938 a Copa já começava nas oitavas. Na primeira delas, o Egito representou o continente africano, que só voltou a ter países no torneio em 1970. As melhores campanhas aconteceram em 1990, 1994, 2002 e 2010.

(Fonte: https://globoesporte.globo.com/futebol/copa-do-mundo/noticia / FUTEBOL / COPA DO MUNDO / Por Thiago Benevenutte, Rio de Janeiro – 28/06/2018)

 

 

 

 

 

 

 

Europa iguala recorde e África fica sem país nas oitavas pela 1ª vez na história

 

Continente europeu terá 10 países nas oitavas, a exemplo do que aconteceu nos Mundiais de 1998 e 2006, enquanto os africanos decepcionaram

 

A Europa dominará as oitavas de final da Copa do Mundo , enquanto a África não terá nenhum representante. Pela terceira vez desde que o Mundial adotou o atual formato com 32 seleções, os europeus chegam com dez países no primeiro mata-mata.

É verdade que a atual campeã Alemanha foi mandada mais cedo para a casa, mas a Europa ainda poderá torcer por Rússia (anfitriã de 2018), França (campeã em 1998), Espanha (campeã em 2010), Inglaterra (campeã em 1966), Portugal, Croácia, Dinamarca, Suécia, Suíça e Bélgica.

 

A atual performance repete as edições de 1998 e 2006 – duas Copas no continente europeu , como em 2018. Naquelas duas oportunidades, as oitavas de final também tiveram dez seleções do Velho Mundo. E melhor ainda! A França levou o título há 20 anos, enquanto a Itália deu a volta olímpica em 2006.

 

Os franceses, em 1998, tinham a concorrência de Itália, Noruega, Dinamarca, Alemanha, Holanda, Iugoslávia, Romênia, Croácia e Inglaterra. Já a Itália deixou para trás Alemanha, Suécia, Inglaterra, Portugal, Holanda, Suíça, Ucrânia, Espanha e França.

 

Nas últimas duas edições da Copa, no entanto, os europeus vinham em baixa. Em 2010, na África do Sul, e 2014, no Brasil, foram só seis seleções classificadas ao mata-mata inicial. Já em 2002, na Coreia do Sul e no Japão, oito seleções do continente se colocaram na briga pelo título.

 

Se a Europa festeja, a África lamenta. Pela primeira vez desde a criação das oitavas de final, os africanos não estarão nesta fase.

 

E os africanos?

 

Senegal era a última esperança do continente, mas a derrota para a Colômbia, por 1 a 0, nesta quinta-feira, acabou com o sonho. Os senegaleses ficaram atrás do Japão por causa do número de cartões amarelos (6 a 4). Nigéria, Marrocos, Egito e Tunísia já tinham se despedido da Rússia. A Copa do Mundo passou a ter oitavas de final em 1986 e sempre teve time africano.

 

Desde então, Marrocos (1986), Camarões (1990), Nigéria (1994, 1998 e 2014), Senegal (2002), Gana (2006 e 2010) e Argélia (2014) representaram a África nas oitavas de final. Em 1982, a Copa do Mundo tinha duas fases de grupos – foi na Europa , em território espanhol. Naquela oportunidade, nenhuma seleção africana avançou para segunda fase.

(Fonte: http://esporte.ig.com.br/futebol – FUTEBOL / COPA DO MUNDO 2018 / Por iG São Paulo – por Rodolfo Brito, do Sr. Goool | 28/06/2018)

Share.