Josué Montello, ocupava a cadeira número 29 da Academia Brasileira de Letras

0
Powered by Rock Convert

 

 

 

 

 

Josué Montello, escritor e historiador maranhense que ocupava a cadeira número 29 da Academia Brasileira de Letras, da qual foi presidente de 1994 a 1995. Ele foi também embaixador do Brasil junto à Unesco, e entre suas principais obras está Os Tambores de São Luís. Montello faleceu dia 15 de março, aos 88 anos, de pneumonia e insuficiência cardíaca, no Rio de Janeiro.
(Fonte: Veja, 22 de março, 2006 – Edição 1948 -– ANO 39 -– Nº 11 – DATAS – Pág; 84)
(Fonte: Veja, 22 de setembro de 1993 – ANO 26 – Nº38 – Edição 1306 – MEMÓRIA – Pág; 127)

 

 

 

EMPOSSADO: na presidência da Academia Brasileira de Letras, aos 75 anos, o escritor Josué Montello. Dia 16 de dezembro de 1993, no Rio de Janeiro.

(Fonte: Veja, 22 de dezembro de 1993 – ANO 26 – Nº38 – Edição 1319 – DATAS – Pág: 106)

oexploradorPowered by Rock Convert

 

 

 

 

 

Josué Montello (São Luís, 21 de agosto de 1917 – Rio de Janeiro, 15 de março de 2006), escritor e historiador maranhense, membro da Academia Brasileira de Letras, considerado o maior escritor maranhense do século 20.

O historiador, contista, memorialista, poeta, romancista, cronista, filólogo Josué Montello, tinha sempre como inspiração o Maranhão. Na versão em Francês do clássico “Os Tambores de São Luís” não permitiu a mudança do título que seria trocado para “Tambores Negros”.

Quarto ocupante da Cadeira nº 29, eleito em 4 de novembro de 1954, na sucessão de Cláudio de Sousa e recebido em 4 de junho de 1955 pelo Acadêmico Viriato Corrêa. Recebeu os Acadêmicos Cândido Mota Filho, Evaristo de Moraes Filho, José Sarney, José Guilherme Merquior, Evandro Lins e Silva e Roberto Marinho.

Josué de Souza Montello nasceu em São Luís do Maranhão em 21 de agosto de 1917 e faleceu no Rio de Janeiro em 15 de março de 2006. Filho de Antônio Bernardo Montello e Mância de Souza Montello.

Estudou em São Luís do Maranhão, concluindo o seu curso secundário em Belém do Pará, de onde se deslocou, em dezembro de 1936, para o Rio de Janeiro, e aí se especializou em Educação. Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal do Maranhão.

Foi eleito, dia 29 de fevereiro de 1972, Intelectual do Ano (“Os Degraus da Noite”), por 324 votos, após apuração conjunta da Academia Brasileira de Letras, Conselho Federal de Cultura, Academia Paulista de Letras, União Brasileira de Escritores e instituições culturais de onze Estados, recebendo o X Troféu Juca Pato em São Paulo. Montello faleceu aos 88 anos, no Rio de Janeiro, RJ, em 2006.

(Fonte: Veja, 8 de março, 1972 – Edição 183 -– DATAS – Pág; 65)
(Fonte: www.academia.org.br – www.jornalpequeno.com.br)
(Fonte: Veja, 22 de março, 2006 – Edição 1948 -– ANO 39 – N.° 11 – DATAS – Pág; 84)

Powered by Rock Convert
Share.