Goar Vartanian, famosa espiã soviética que junto a seu marido, ajudou a frustrar uma tentativa do regime nazista de assassinar Josef Stalin, Winston Churchill e Franklin Roosevelt

0
Powered by Rock Convert

Famosa espiã soviética que ajudou a frustrar atentado contra Stalin, Churchill e Roosevelt

 

Junto a seu marido, Goar Vartanian participou dos planos para impedir uma operação nazista para assassinar os líderes durante conferência no Irã

 

Powered by Rock Convert

O líder soviético Josef Stalin; o presidente dos EUA, Franklin Roosevelt; e o primeiro-ministro britânico, Winston Churchill, na conferência de Teerã, em 1943 (Foto: STF / AFP/28-11-1943)

Goar Vartanian (Leninakan (atualmente chamada de Guiumri), na Armênia, 25 de janeiro de 1926 – Moscou em 25 de novembro de 2019), espiã soviética que junto com seu marido frustrou uma tentativa do regime nazista de assassinar Josef Stalin, Winston Churchill e Franklin Roosevelt em 1943.
A espiã soviética Goar Vartanian, que formou com o marido, Gevork Vartanian, um dos casais de agentes secretos mais famosos da União Soviética, deixaram uma marca extraordinária na vida de muitos agentes e pessoas comuns. Henry e Anita: Gevork e Goar Vartanian. Ele, herói da União Soviética. Ela, heroína de todos os seus feitos.

Nascida em 25 de janeiro de 1926 na cidade de Leninakan (atualmente chamada de Guiumri), na Armênia, Goar se mudou com o marido para o Irã na década de 30.

A espiã e seu marido ajudaram a impedir a operação nazista “Weitsprung”, que tinha o objetivo de assassinar simultaneamente os três líderes aliados: o soviético Josef Stalin, o britânico Winston Churchill e o americano Franklin Delano Roosevelt. O plano, autorizado por Adolf Hitler e planejado pelo gabinete de segurança do regime nazista, seria realizado durante encontro dos líderes no Irã, onde fariam o planejamento final da guerra.

A conferência, realizada na embaixada da União Soviética em Teerã, resultou no comprometimento dos Aliados com a abertura de uma segunda frente contra a Alemanha nazista e negociações para novas operações, entre elas uma na Iugoslávia e uma contra o Japão.

A equipe liderada de Gevork Vartanian, da qual Goar fazia parte, conseguiu interceptar e gravar comunicações entre operadores de rádio e Berlim. Quando alemães perceberam que estavam sob vigilância de serviços secretos inimigos, a missão foi abortada.

Nascida na Armênia soviética, Goar se mudou com sua família para o Irã na década de 1930. Ela se juntou aos 16 anos a um grupo antifascista e trabalhou com seu marido para desmascarar espiões alemães. Após sua aposentadoria, em 1986, Goar passou a treinar novos agentes.
Segundo o SRV, “Anita” e “Henri”, pseudônimos usados pelo casal, trabalharam “em condições extremas e em diversos países”, como França, Grécia, Estados Unidos, Japão, Índia e China.
Em junho de 2017, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, que foi agente da KGB soviética, visitou a sede do SRV e elogiou o trabalho dos agentes, entre eles os Vartanian.
O presidente foi ao enterro de Gevork, em 2012, para prestar homenagem ao espião, que recebeu a medalha de Herói da União Soviética, maior título honorário do antigo Estado socialista.

Segundo o antigo agente secreto soviético Mihai Liubimov, “o trabalho concreto dos Vartanian nunca será revelado para evitar escândalos políticos nos países onde o casal trabalhou”.

Salvando os aliados

No território iraniano, o casal ganhou o respeito dos superiores ao abortar uma tentativa de assassinato contra os líderes aliados — o soviético Josef Stalin, o britânico Winston Churchill e o americano Franklin Roosevelt — por parte da Alemanha nazista durante a Conferência de Teerã (1943).

Gevork interceptou a comunicação por rádio entre Berlim e os seis e paraquedistas alemães que foram enviados ao Irã para assassinar os líderes, que se reuniram pela primeira vez para coordenar a estratégia contra Hitler na reunião conhecida como Eureka.

 

Depois de estudar idiomas estrangeiros na URSS, o casal trabalhou durante muitos anos como dupla de agentes “em condições extremas em muitos países do mundo”.

Em 1986, ambos voltaram a Moscou. No fim do mesmo ano, Goar se aposentou, mas nunca deixou de trabalhar como instrutora de futuros agentes, assim como o marido, que parou de espionar em 1992 e morreu em 2012. 
Goar faleceu em Moscou em 25 de novembro de 2019, aos 93 anos de idade.

Goar foi enterrada na capital russa ao lado de seu marido, o proeminente agente secreto Gevork Vartanian, que morreu em 2012, disse à agência AFP o porta-voz do Serviço de Inteligência Estrangeiro (SRV), Sergei Ivanov. O SRV é o sucessor do Comitê de Segurança do Estado, a KGB, desde 1991.

(Fonte: Zero Hora – ANO 56 – N° 19.567 – 27 de NOVEMBRO de 2019 – TRIBUTO / MEMÓRIA – Pág: 35)

(Fonte: https://noticias.r7.com/internacional – INTERNACIONAL / Da EFE – 25/11/2019)
(Fonte: https://oglobo.globo.com/mundo – MUNDO / MOSCOU / Por AFP – 26/11/2019)
Apoie o jornalismo profissional
A missão do GLOBO é a mesma desde 1925: levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o Brasil e o mundo.
Powered by Rock Convert
Share.