Ambientalista foi o primeiro secretário especial do Meio Ambiente

0

 

Paulo Nogueira Neto, criador da política ambiental brasileira

 

 

Atuação conservacionista durante a carreira foi reconhecida com prêmios e homenagens.

 

Nascido em abril de 1922, concluiu o bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade de São Paulo, em 1945. Na mesma USP, concluiu o curso de História Natural, da Faculdade de Filosofia e Letras, em 1959. Ambientalista Paulo Nogueira-Neto teve atuação conservacionista durante a carreira, e foi reconhecida com prêmios e homenagens.

 

 

Como pesquisador, se dedicou aos estudos das abelhas ao longo da vida, sendo inclusive tema de sua tese de doutorado. Foi professor emérito do Instituto de Biociências, onde também foi um dos fundadores do Departamento de Ecologia Geral.

 

 

Em 1974 assumiu o cargo de Secretário Especial do Meio Ambiente (SEMA) do antigo Ministério do Interior. Foi o primeiro secretário de Meio Ambiente do País, com status de ministro. No cargo, auxiliou na aprovação de leis importantes para o país, como a Lei que rege a Política Nacional de Meio Ambiente (Lei nº 6.938/1981), deixou um total de 3,2 milhões de hectares que viraram unidades de conservação na sua gestão e representou o Brasil (1983-1986) na comissão Brundtland das Nações Unidas, sobre o Meio-ambiente e Desenvolvimento. Foi nessa comissão que surgiu pela primeira vez a expressão “Desenvolvimento Sustentável”.

 

 

Sua carreira acadêmica e como ambientalista é longa e diversa. Ao longo da vida, recebeu inúmeros reconhecimentos pelo seu trabalho. Destacamos o Prêmio Paul Getty, láurea mundial no Campo de Conservação da Natureza, recebido com Maria Tereza Jorge Pádua em 1981. Recebeu a Ordem de Rio Branco (do Brasil) e a Comenda da Arca Dourada, dos Países Baixos e o Prêmio Duke of Edinburgh 1997, da WWF Internacional.

 

 

Em 2010, seus diários do tempo do Sema viraram livro e conta as dificuldades de estruturar, com tão pouca gente e recurso, o que viria a ser, mais tarde, o Ibama e o Ministério do Meio Ambiente.

 

 

O ambientalista Paulo Nogueira-Neto, é irmão de José Bonifácio Coutinho Nogueira, fundador da EPTV, afiliada da TV Globo. O ambientalista é filho do ex-deputado federal Paulo Nogueira Filho e de Regina Coutinho Nogueira.

Trajetória

 

Secretário especial do Meio Ambiente do governo federal entre 1974 e 1986 – função hoje equivalente à de ministro – ele foi responsável pela criação de estações ecológicas com objetivo de valorizar a preservação da natureza, segundo publicação feita pelo Jornal da USP, em 2014.

Nesta universidade, Nogueira-Neto tornou-se bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito em 1945, e depois fez o curso de História Natural, na Faculdade de Filosofia e Letras, o qual ele concluiu em 1959. Além disso, foi professor emérito do Instituto de Biociências, onde também foi um dos fundadores do Departamento de Ecologia Geral.

Ele é integrante da Academia Paulista de Letras desde 1991. Trabalhou em pesquisas sobre o comportamento de abelhas indígenas sem ferrão e publicou livros com estudos na área, e também sobre a criação de animais nativos vertebrados e viagens.

Reconhecimento

Ao longo da carreira, o ambientalista recebeu uma série de homenagens. Entre os destaques está o Prêmio Paul Getty, láurea mundial no Campo de Conservação da Natureza, recebido com Maria Thereza Jorge Pádua em 1981. Além disso, foi eleito duas vezes vice-presidente do programa “O homem e a biosfera (MAB)”, da Unesco, e exerceu a presidência dele na sessão de 1983.

A atuação conservacionista fez com que fosse distinguido com a Ordem de Rio Branco (do Brasil) e com a Comenda da Arca Dourada, dos Países Baixos. Já no ano de 1997, ele recebeu o Prêmio Duke of Edinburgh 1997, da WWF Internacional.

Nogueira-Neto foi ainda um dos dos fundadores da Associação dos Dirigentes Cristãos de Empresa (ADCE), vice-presidente da WWF Brasil e atuou no Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), no Conselho do Meio Ambiente (Cades) da Prefeitura de São Paulo, no Conselho de Administração da Companhia Ambiental do estado (Cetesb). O ambientalista também foi vice-presidente do International Bee Research Association e membro do Advisory Group do PP-G7.

Nogueira-Neto faleceu em 25 de fevereiro aos 96 anos, de falência múltipla dos órgãos, em São Paulo (SP).

(Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2019/02- SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – AMBIENTE / Por Maurício Tuffani –

(Fonte: https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2019/02/25 – CAMPINAS E REGIÃO / NOTÍCIA / Por EPTV – 25/02/2019)

Share.