Abelardo da Hora, conhecido pelas esculturas, trabalhava temas como as mulheres, o frevo e o maracatu

0
Powered by Rock Convert

 

Abelardo da Hora esculpiu várias obras espalhadas pelo Recife. O nu feminino é uma de suas marcas (Fotos: Helia Scheppa/JC Imagem)

Abelardo da Hora esculpiu várias obras espalhadas pelo Recife. O nu feminino é uma de suas marcas (Fotos: Helia Scheppa/JC Imagem)

 

Miniatura da obra 'O Artilheiro', uma das últimas do artista. (Foto: Katherine Coutinho / G1)

Miniatura da obra ‘O Artilheiro’, uma das últimas do
artista. (Foto: Katherine Coutinho / G1)

Desenhista e ceramista, ele era conhecido principalmente pelas esculturas.

Abelardo da Hora (São Lourenço da Mata, 31 de julho de 1924 – Recife, 23 de setembro de 2014), artista plástico pernambucano, escultor, desenhista, ceramista, gravador e poeta.

Filho de uma família de sete filhos – Abelardo é o segundo e um deles é o cantor Claudionor Germano. Radicado na Capital pernambucana na década de 1930, ele começou a moldar suas primeiras obras nas aulas da Escola de Belas Artes do Recife, antes de ingressar no curso de direito da Faculdade de Olinda, nos anos 1940.

Abelardo deu seus primeiros grandes voos nas artes plásticas, sob a tutela do industrial Ricardo Brennand – ex-chefe do seu pai, Cazuza. Foi quando deu aulas a Francisco Brennand: “Ele desistiu do curso de Direito para estudar arte comigo”.

Na ocasião, o artista relembrou o nascimento do Movimento de Cultura Popular (MCP): “Eu fiz parte do conselho de direção, junto com Geraldo Menutti e Luiz Mendonça. Representávamos a parte de cultura do Movimento de Cultura Popular; e o grupo católico, que cuidava da educação, era liderado por Paulo Freire. Nesta mesma época, fiz 22 desenhos sobre a situação de miséria da cidade. Era Meninos do Recife. Sobre a fome e a pobreza que esse meninos viviam”.

Abelardo da Hora era um pernambucano apaixonado pelas artes e trabalhava com frequência temas como as mulheres, o frevo e o maracatu em suas obras.

Em 2011, o artista recebeu o título de cidadão recifense da Câmara Municipal. Natural de São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana, em julho de 1924, Abelardo é autor de mais de 1.800 obras, entre esculturas, cerâmicas e desenhos, muitas delas espalhadas pelo Recife. Na Praça da República, é possível ver o “Monumento aos Heróis de 1817”, enquanto a Rua da Aurora conta com o “Memorial do Frevo”.

oexploradorPowered by Rock Convert

Uma das úlitmas peças produzidas por Abelardo foi a escultura ‘O Artilheiro’, que tem cinco metros de altura e é feita em bronze polido. A obra foi inaugurada no dia do aniversário do artista, 31 de julho, em frente à Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata, onde Abelardo nasceu.

Abelardo da Hora de 90 anos, faleceu em 23 de setembro de 2014, no Recife, no Hospital Memorial São José, e sofreu uma insuficiência cardiorrespiratória.

 

(Fonte: http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2014/09 – PERNAMBUCO – Do G1 PE – 23/09/2014)

(Fonte: http://entretenimento.ne10.uol.com.br/artes-visuais/noticia/2014/09/23 -510646 – Entretenimento – Artes visuais – Cultura – Publicado em 23/09/2014)

 

 

 

 

Powered by Rock Convert
Share.