John Hurt, lendário ator indicado ao Oscar por O Expresso da Meia-Noite e O Homem Elefante

0
Powered by Rock Convert

John Hurt fez mais de 200 longa metragens e séries de TV. Por causa do longo currículo, ganhou o título de cavaleiro do império britânico.

John Hurt

Hurt em cena do filme ‘O espião que sabia demais’ – (Foto: Divulgação)

 

 

Britânico foi indicado ao Oscar por ‘O Homem Elefante’ e ‘O Expresso da Meia-Noite’, e trabalhou em Alien e Harry Potter, entre outros sucessos

 

Sir John Hurt

Sir John Hurt em 1967 – © Arquivo Lewis Morley / National Portrait Gallery, Londres

 

John Vincent Hurt (Chesterfield, Derbyshire, 22 de janeiro de 1940 – Londres, 25 de janeiro de 2017), eclético e lendário ator britânico, fez mais de 200 longa metragens e séries de TV. Por causa do longo currículo, ganhou o título de cavaleiro do império britânico.

 eclético ator inglês John Hurt, conhecido pelo talento como “camaleão”, por conseguir interpretar papeis de personagens completamente distintos. Com presença marcante no cinema e no teatro, esteve em obras que foram de peças de Shakespeare à primeira vítima da criatura espacial de Alien (1979); incluindo também o memorável papel como John Merrick, em o Homem Elefante (1980), do cineasta David Lynch. Por esse último trabalho, no qual encarnou o protagonista, um homem excluído da sociedade por sofrer de uma deformação facial radical, em decorrência de uma rara doença, concorreu ao Oscar, prêmio para o qual foi indicado também uma segunda vez, na categoria Melhor Ator Coadjuvante, pelo filme O Expresso da Meia-Noite (1978).

John Hurt estreou nos palcos e no cinema no mesmo ano: 1962. Com uma voz forte e um gestual que se adaptava a cada papel, se destacou por interpretar personagens complexos. Em 1978, o desempenho de um presidiário em Expresso da Meia Noite valeu a ele a indicação ao Oscar de melhor ator coadjuvante. Dois anos depois, outra indicação, mas desta vez para o Oscar de melhor ator, pelo protagonista de O Homem Elefante. Participou da ficção científica Alien, o Oitavo Passageiro. E também de três filmes da série Harry Potter, interpretando o senhor Olivaras.

O ator britânico John Hurt, indicado ao Oscar de melhor ator em “O homem elefante” e de melhor ator coadjuvante por “O expresso da meia-noite” (1978), de extrema versatilidade que lhe permitiu que se transformasse em seres humanos tão distintos que não era incomum ele aparecer indistinguível em cena. Em “O homem elefante” (1980), de David Lynch, viveu o gentil desfigurado do título, e, mesmo por trás de uma complexa maquiagem que levava até oito horas para ser aplicada, Hurt transmitiu de forma impecável as angústias do homem que sofria de uma doença que deixava seu rosto alterado.

 

Hurt no filme "O homem elefante", em que interpreta um homem desfigurado que vira atração de circo (Foto: B. Reisfeld)

Hurt no filme “O homem elefante”, em que interpreta um homem desfigurado que vira atração de circo (Foto: B. Reisfeld/Divulgação)

 

O britânico também apareceu quase irreconhecível na pele de um atormentado prisioneiro turco em “O expresso da meia-noite” (1978). Pelos dois filmes, ele foi indicado ao Oscar de melhor ator e melhor ator coadjuvante, respectivamente. Por “O expresso…”, Hurt ganhou um Globo de Ouro e um Bafta, entre muitos outros prêmios.

Mas o seu currículo conta com mais de 200 obras, e seu rosto era onipresente no cinema. Mais recentemente, trabalhou na franquia “Harry Potter”, dando vida a Garrick Olivaras, o proprietário de uma loja de varinhas. Ao longo de 60 anos, viveu papéis marcantes (ainda que, às vezes, fossem pequenos), como em “O Espião que Sabia Demais” (2011), “Indiana Jones e o reino da Caveira de Cristal” (2008), “1984” (1984), “V de vingança” (2005) e “Alien: o oitavo passageiro” (1979) — como esquecer da icônica cena em que a criatura irrompe de seu estômago e corre pela nave?

 

Clássico. John Hurt numa cena de "1984", filme baseado na obra-prima de George Orwell - Keystone / 1949

Clássico. John Hurt numa cena de “1984”, filme baseado na obra-prima de George Orwell – Keystone / 1949

 

Powered by Rock Convert

Nascido em 22 de janeiro de 1940, na cidade inglesa de Derbyshire, no Reino Unido, filho de um clérigo anglicano e de uma engenheira, o envolvimento de Hurt com o teatro começou na infância, quando assumia principalmente papeis femininos – por que, dizia ele, tinha estatura baixa e voz aguda. Seu primeiro filme, Um Grito de Revolta, data de 1962.

Desde então, fez múltiplos papeis, como em O Homem que Não Vendeu sua Alma, ao lado de ninguém menos que Orson Welles e Robert Shaw, e em O Espião que Sabia Demais. Entre os mais jovens, ficou conhecido também por fazer o papel do vendedor de varinhas mágicas Mr. Ollivander na saga Harry PotterFamoso pelo papel de dono da loja de varinhas mágicas, Hurt teve uma extensa e premiada carreira no cinema.

John Hurt, ator de O Homem Elefante e Harry Potter - (Foto: Sang Tan/AP)

John Hurt, ator de O Homem Elefante e Harry Potter – (Foto: Sang Tan/AP)

Teve uma infância solitária e buscou refúgio nas artes. Estreou nos palcos em 1962, mesmo ano em que apareceu pela primeira vez no cinema, em “Um Grito de Revolta”. Foi na TV, no entanto, que Hurt demonstrou todo o seu potencial enquanto intérprete. Ganhou notoriedade ao viver o escritor gay Quentin Crisp em “Vida Nua” (1975), abordando o personagem com trejeitos extravagantes. O papel foi considerado transgressor para a época e ajudou a moldar a percepção pública acerca da homossexualidade. Ainda na televisão, foi o único ator indicado ao Oscar a interpretar o personagem título em “Doctor Who”.

Sua voz grave e marcante também abriu caminho para vários trabalhos como dublador e narrador, como em “Dogville” (2003), “Perfume: A História de um Assassino” (2006) e “Conquistas Perigosas” (2013). Hurt foi nomeado Cavaleiro do Império Britânico em 2014 por seus serviços pelas artes dramáticas.

Entre seus últimos trabalhos estão os longas Darkest Hour, de Joe Wright, e Jackie, de Pablo Larraín, que traz Natalie Portman como a ex-primeira-dama americana Jacqueline Kennedy.

Sua vida pessoal foi turbulenta. Ele se casou quatro vezes, e, entre o primeiro e segundo casamentos, teve um relacionamento de 15 anos com Marie-Lise Volpeliere-Pierrot, que morreu em 1983 após um acidente de cavalo. Com a terceira mulher, teve dois filhos, Alexander e Nicholas. Em 2008, admitiu ter se recuperado de uma longa batalha contra o alcoolismo.

Durante toda a carreira, John Hurt fez mais de 200 longa metragens e séries de TV. Por causa do longo currículo, ganhou o título de cavaleiro do império britânico.

John Hurt morreu aos 77 anos, em Londres. O ator morreu de complicações provocadas por um câncer de pâncreas.

A escritora J.K. Rowling, autora da saga Harry Potter, expressou tristeza pela morte de Hurt. “Tão triste saber que o imensamente talentoso e profundamente querido John Hurt morreu. Meus pensamentos estão com sua família e amigos”, escreveu Rowling no Twitter.

O ator e diretor de cinema Mel Brooks, que trabalhou com Hurt na comédia Uma louca história do mundo (1981), declarou se sentir “terrivelmente triste” pela morte do ator, de “talento verdadeiramente magnífico”. “Ninguém poderia ter interpretado o homem elefante de forma mais memorável. Ele levou esse filme à imortalidade cinematográfica”, acrescentou Brooks.

(Fonte: Zero Hora – ANO 53 – N° 18.687 – 30 de janeiro de 2017 – TRIBUTO – Pág: 30/31)

(Fonte: https://cinema.terra.com.br/adorocinema – ADORO CINEMA – CINEMA/ Por Rodrigo Torres – 28 JAN 2017)

(Fonte:  http://oglobo.globo.com/cultura  – CULTURA/ POR O GLOBO – LOS ANGELES — 28/01/2017)

© 1996 – 2017. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. 

Powered by Rock Convert
Share.