Hedy Lamarr, nome artístico de Hedwig Eva Maria Kiesler, a primeira atriz a aparecer nua em um filme

0
Powered by Rock Convert

A ETERNA DALILA

 

A estrela de Hollywood Hedy Lamarr foi uma gênia, mas o mundo só enxergou a sua beleza

 

10 de abril de 1953 – Atriz Hedy Lamarr, nome artístico de Hedwig Eva Maria Kiesler, (Viena, 9 de novembro de 1913 – Orlando, 19 de janeiro de 2000), atriz americana nascida na Áustria, torna-se cidadã dos Estados Unidos.

A austríaca Hedwig Eva Maria Kiesler foi a primeira atriz a aparecer nua em um filme. Os dez minutos em que nadou sem roupa na fita checa Êxtase, de 1932, renderam-lhe uma passagem sem escala para Hollywood.

Lá, ganhou o nome artístico de Hedy Lamarr e atuou em cerca de quarenta produções, das quais a mais memorável é Sansão e Dalila, de 1949, o épico bíblico de Cecil B. DeMille.

Enquanto Victor Mature arrebentava colunas de isopor no papel de Sansão, Hedy destruía corações na plateia, com suas curvas perigosas envoltas por roupas de odalisca e seus olhares dardejantes. Depois de interpretar Dalila, ela entraria de vez no panteão das mulheres fatais de Hollywood.

A atriz esteve perto de estrelar Casablanca, ao lado de Humphrey Bogart, mas preferiu deixar o papel para Ingrid Bergman. Nem por isso deixou de ser Hedy Lamarr. “Qualquer mulher pode parecer glamourosa. Basta ficar parada e parecer burra”, ironizava. Tinha 86 anos quando foi encontrada morta, na quarta-feira 19 de janeiro de 2000, em seu apartamento em Orlando. Morreu dormindo.

(Fonte: Correio do Povo – ANO 117 – Nº 193 – Cronologia – 10 de abril de 2012)
(Fonte: Veja, 26 de janeiro de 2000 – ANO 33 – N° 4 – Edição 1 633 – DATAS/LUPA – Pág; 131)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Atriz e cientista Hedy Lamarr é homenageada em Viena

“Femme fatale” na Hollywood dos anos 1940, a atriz Hedy Lamarr recebeu uma homenagem póstuma por sua carreira científica de sua cidade natal, Viena, que criou um prêmio de inovação com seu nome.

 

A cidade entregou em 4 de outubro de 2018 o primeiro “Prêmio Hedy Lamarr” para um projeto inovador de uma mulher no campo das novas tecnologias.

 

Um justo reconhecimento da estrela de Hollywood proclamada “a mulher mais bonita do mundo”, contemporânea de Ava Gardner e Greta Garbo, e cujos talentos científicos foram ignorados por muito tempo.

O prêmio, no valor de 10 mil euros, será dado a “austríacos excepcionais que, como Hedy Lamarr, moldaram o mundo digital de amanhã”.

 

Porque a sedutora de “Sansão e Dalila” de Cecil B. DeMille (1949) – seu maior sucesso de bilheterias – estabeleceu as bases para a tecnologia wifi e GPS.

 

Descoberta por um diretor austríaco quando era adolescente, ela ganhou fama mundial por ter simulado um orgasmo em um filme tcheco de 1933, “Ekstase”, uma das primeiras abordagens ao erotismo no cinema.

Paralelamente à carreira em Hollywood, ela que nasceu Hedwig Eva Maria Kiesler em Viena, em 1914, continuou a se interessar pela ciência e atualidade.

 

Em 1941, ela apresentou com o compositor de vanguarda George Antheil uma patente de “salto de frequência”, pela qual um transmissor de rádio e seu receptor passavam de uma frequência para outra para impedir que o sinal fosse interceptado.

Powered by Rock Convert

 

A descoberta pretendia permitir que as ondas dos rádios dos navios de guerra americanos não fossem embaralhadas pelos navios alemães. A ideia era tão inovadora que a Marinha americana percebeu tardiamente a importância do que é hoje a base para comunicações seguras e rápidas.

Reduzida a uma imagem glamourosa, Hedy Lamarr não falava sobre o seu jardim secreto e morreu em 2000, aos 86 anos, em relativo anonimato. Um documentário americano lançado este ano conta sua incrível vida no cinema e pioneira das novas tecnologias.

(Fonte: https://istoe.com.br –  Edição nº2545 – Atriz e cientista Hedy Lamarr é homenageada em Viena / Por AFP – 04/10/18)

(Fonte: https://www.jb.com.br/cultura/2018/10 – Jornal do Brasil – ARTE E CULTURA – 04/10/2018)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Você talvez nunca tenha ouvido falar de Hedy Lamarr. Se ouviu, certamente não foi por causa de uma de suas maiores invenções, que permite que você esteja conectado ao wifi agora mesmo. O grande problema é que, além de ser uma gênia, Hedy era também considerada a “mulher mais bonita do mundo“.

Falando assim não parece nada tão ruim, não é mesmo? Porém, a beleza fez com que as invenções da musa não fossem levadas a sério durante muito tempo. Tudo o que as pessoas a sua volta conseguiam ver era sua estonteante beleza, que inspirou a criação da personagem Branca de Neve.

Nascida em Viena em 1914 filha de pais judeus, seu nome verdadeiro era Hedwig Kiesler. Ele teve que ser mudado quando ela fugiu da Áustria em direção aos Estados Unidos, em 1937. Na época, ela desconfiava que seu marido Friedrich Mandl estivesse vendendo munição para Adolf Hitler e Mussolini.

 

Foto: MGM / Clarence Bull / Foto destaque: Reprodução Bombshell: The Hedy Lamarr Story

 

Antes de se casar, Hedy já havia estrelado em alguns filmes e aparecido nua em uma produção de 1933. O feito, incomum na época, fez com que ela ganhasse notoriedade, o que a ajudou a se estabelecer ao chegar aos Estados Unidos. A convite de Louis Mayer, diretor da MGM, ela chegou ao país com um dos maiores contratos salariais para atrizes iniciantes em Hollywood.

O que poucos valorizavam, no entanto, eram suas criações fora das telas de cinema. Hedy era uma inventora talentosa, cujas criações iam desde tabletes efervescentes para que soldados pudessem beber refrigerante durante a guerra até uma tecnologia que originou o wifi, sua única invenção patenteada. A tecnologia ficou conhecida como FHSS e partia da ideia de usar um código que alternava entre diferentes frequências de rádio, permitindo a transmissão de informações sigilosas entre dispositivos.

 

Foto: Reprodução Bombshell: The Hedy Lamarr Story

 

A atriz desenvolveu a tecnologia em conjunto com o amigo George Antheil buscando aumentar a segurança da comunicação durante a Segunda Guerra Mundial. E, embora tivesse uma patente do Governo dos Estados Unidos, a criação não foi levada a sério pela Marinha do país. Na época, o sistema poderia oferecer uma vantagem estratégica na guerra com a qual nenhuma outra nação no mundo contava até então.

Demorou quase uma década para que a Marinha americana decidisse desenvolver um sistema semelhante – inspirado justamente na tecnologia desenvolvida por Hedy. Porém, como a patente já havia vencido, a inventora nunca recebeu um centavo por sua criação, o que não fez com que perdesse confiança em suas habilidades como inventora. O sistema criado por Hedy deu origem a muitas das tecnologias que conhecemos hoje, como o wifi, GPS e drones.

 

Foto: Reprodução Bombshell: The Hedy Lamarr Story

 

A história de Hedy foi recuperada graças ao trabalho da documentarista Alexandra Dean, que lançou o documentário “Bombshell: The Hedy Lamarr Story” (“Bomba: A História de Hedy Lamarr”, em tradução livre). O filme foi lançado durante o 16º TriBeCa Film Festival.

(Fonte: http://www.hypeness.com.br/2017/05 – VIDA E ESTILO – INVENÇÃO – MULHERES – TECNOLOGIA / por Redação Hypeness – 02/05/2017)

Powered by Rock Convert
Share.