Dorita Barrett, criou a Barsa e descendia de um dos criadores da Britannica

0

 

 

 

 

Dorita Barret de Sá Putch (Califórnia, 1914 – Rio de Janeiro, 25 de fevereiro de 1973), presidente da Encyclopaedia Britannica do Brasil, brasileira nascida na Califórnia. Em 1940, através de seu pai Edward Barret, alto executivo da editora americana, conseguiu a exclusividade da Enciclopédia Britânica para a América Latina.

Foram vendidas mais edições em inglês no Brasil do que no Canadá. Em 1963, lançou a Enciclopédia Barsa (o nome é combinação do sobrenome de solteira com o do primeiro marido, já falecido).

Dorita estava preparando a Enciclopédia Mirador (combinação de seu prenome com o do segundo marido, Waldemiro Putch), a ser lançada em 1974, com 21 volumes, 15 000 ilustrações e 200 000 unidades de informação, ao custo previsto de 72 milhões de cruzeiros. Dorita faleceu em 25 de fevereiro de 1973, aos 58 anos, de cirrose hepática, no Rio de Janeiro.
(Fonte: Veja, 7 de março de 1973 –- Edição 235 -– DATAS –- Pág; 35)

 

 

 

A Barsa foi criada pela americana Dorita Barrett, que descendia de um dos criadores da Britannica. Seu antepassado, James Tytler, ajudou a lançar a enciclopédia, em 1768, na Escócia. O rei Jorge III não gostou do resultado. Considerou o verbete “parto”, incluído nos livros, ofensivo e deportou Tytler e sua família para os Estados Unidos. Em 1940, Dorita, a herdeira rica e solteirona de Tytler, apaixonou-se pelo diplomata brasileiro Alfredo Sá e mudou-se para o Rio de Janeiro. Trouxe na bagagem os direitos sobre a Britannica na América Latina e a decisão de fazer uma enciclopédia em português. Batizou-a com as iniciais do seu sobrenome (Bar) e o do seu marido brasileiro (Sá). Sá morreu em 1962. Em 1966, Dorita casou-se com Waldemiro Putch. Em homenagem a esse enlace, fez outra enciclopédia. Juntou o apelido do marido (Miro) com suas iniciais (Dor). A Mirador foi editada até 1994.

Dorita morreu em 1973, mas seu modelo empresarial continua sendo seguido à risca na Barsa. Ainda é preciso receber um vendedor em casa para comprar uma coleção.

(Fonte: Veja, 15 de fevereiro de 2006 – LIVROS – A volta da coleção/ Por Fábio Portela – Edição 1943)

 

 

 

 

Lançada em 1964, a Barsa teve seu primeiro editor, o escritor e jornalista Antonio Callado. O sonho de uma grande enciclopédia brasileira era antigo. Começou com Getúlio Vargas, que criou o Instituto Nacional do Livro, em 1937, através de decreto-lei.

Getúlio Vargas morreu em 1954 sem nunca ter visto sequer o plano da enciclopédia, que só foi publicado em 1956 e nunca saiu do papel. O diplomata Alfredo Almeida de Sá e sua mulher, a americana Dorita Barrett de Sá, foram os fundadores da Barsa. O nome da enciclopédia vem da junção do sobrenome dos dois, Barrett e Sá.

(Fonte: Veja, 19 de fevereiro de 1997 – ANO 30 – Nº 7 – Edição 1483 – LIVROS / Por Fernanda Scalzo – Pág: 108/110/111)

 

 

 

 

 

 

Share.