Dmitry Yazov, ministro da Defesa da URSS, participou na tentativa frustrada de golpe de Estado (Golpe de Agosto) contra Mikhail Gorbachov e na repressão ao movimento independentista na Lituânia

0
Powered by Rock Convert

Último marechal da URSS

 

 

O marechal Dmitry Yazov ao lado do presidente Vladimir Putin em 8 novembro de 2014. (Foto: SPUTNIK/AFP/Alexey DRUZHININ / DIREITOS RESERVADOS)

 

 

 

Dmitry Timofeyevich Yazov (Yazovo, Rússia, 8 de novembro de 1924 – Moscou, 25 de fevereiro de 2020), último marechal da União Soviética, envolvido em um golpe de Estado frustrado contra Mikhail Gorbachov e na repressão ao movimento independentista na Lituânia em 1991.

 

 

Yazov, ministro da Defesa da URSS entre 1987 e 1991, participou na tentativa frustrada de golpe de Estado contra Gorbachov em agosto de 1991, um ano depois de ser promovido à patente de marechal.

 

 

O Golpe de Agosto, como ficou conhecido, durou três dias, de 19 a 21, e foi organizado pelo ‘grupo dos oito’, que estabeleceu um Comitê Estatal para o Estado de Emergência.

 

 

Os líderes do golpe afirmaram na ocasião que Gorbachov estava “incapacitado para assumir suas funções por motivos de saúde”.

 

 

Os golpistas proclamaram estado de emergência, restabeleceram a censura e ordenaram a entrada de tanques em Moscou.

 

 

O golpe fracassou e os envolvidos na trama foram detidos após três dias, mas a tentativa acelerou o fim da União Soviética, debilitada pelos movimentos independentistas nas repúblicas periféricas. O país foi oficialmente dissolvido em dezembro de 1991.

oexploradorPowered by Rock Convert

 

 

Yazov foi detido, processado e liberado em 1993 e anistiado em 1994.

 

 

Em 2019, Dmitri Yazov foi condenado na Lituânia, à revelia, a 10 anos de prisão por ter participado na repressão do movimento independentista em janeiro de 1991. A sentença foi rejeitada pela Rússia.

 

 

A Lituânia era na época uma república soviética e a repressão deixou 14 mortos e mais de 700 feridos.

 

 

Yazov também foi considerado responsável pela morte de muitos civis no Azerbaijão em janeiro de 1990.

 

 

Na Rússia, porém, ele continuou sendo uma figura venerada e recebeu em 4 de fevereiro, das mãos do poderoso ministro da Defesa Sergui Shoigu, uma condecoração por “serviços prestados à pátria”.

 

 

Dmitri Yazov faleceu em 25 de fevereiro de 2020, aos 95 anos.

“Em 25 de fevereiro, o marechal da URSS Dmitri Timofeyevich Yazov faleceu em Moscou após uma longa batalha contra uma doença”, afirma um comunicado do ministério russo da Defesa.

Após a morte de Yazov, apenas um integrante do ‘grupo dos oito’ continua vivo, Oleg Baklanov, vice-presidente do Conselho de Defesa no momento da tentativa de golpe.

(Fonte: https://br.yahoo.com/noticias – NOTÍCIAS – 25/02/2020)

Powered by Rock Convert
Share.