Claudine Auger, atriz francesa que estrelou ao lado de Sean Connery o filme 007 Contra a Chantagem Atômica (1965)

0
Powered by Rock Convert

Claudine Auger, Bond girl de 007 Contra a Chantagem Atômica

 

Claudine Auger com Sean Connery em 007 Contra a Chantagem Atômica.
(Imagem: Divulgação/IMDb)

Claudine Auger foi Domino em ‘007 contra a chantagem atômica’ (1965) — (Foto: Divulgação/MGM)

 

 

Ela é mais conhecida por seu papel de Bond girl em 007 Contra a Chantagem Atômica (1965)

 

 

Claudine Auger (Paris, 26 de abril de 1941 – Paris, 18 de dezembro de 2019), atriz francesa que estrelou ao lado de Sean Connery o filme 007 Contra a Chantagem Atômica (1965).

 

Conhecida por interpretar a bond girl Dominique “Domino” Derval no “007 Contra a Chantagem Atômica”, quarto filme da série de James Bond, Claudine começou a carreira como modelo e representou a França no Miss Mundo 1958. Ela estreou a carreira artística na década de 1960 no filme “O testamento de Orfeu”. Aos 18 anos, ela se casou com o cineasta Pierre Gaspard-Huit (1917-2017), na época com 43 anos. Claudine atuou em diversos filmes de Pierre antes de aparecer na saga de James Bond, sendo a primeira atriz francesa a estrelar os filmes de 007.

Auger foi a primeira atriz francesa a fazer par com James Bond nos cinemas. Desde então, diferentes versões do espião viveram romances com Carole Bouquet (007 – Somente Para Seus Olhos), Eva Green (007 – Cassino Royale) e Léa Seydoux (007 Contra Spectre).

 

oexploradorPowered by Rock Convert

Reza a lenda, inclusive, que a atriz foi contra as recomendações do estúdio e dispensou dublês para as cenas de ação do seu filme. Para ela, atuar em 007 e em filmes mais “prestigiosos” era “a mesma coisa”: “Era tudo um jogo”, comentou em entrevista.

 

Nascida em Paris em abril de 1941, Auger trabalhou inicialmente como modelo, se tornando vice-campeã do concurso Miss World aos 17 anos. A partir da década de 60, tentou carreira nos cinemas.

 

Além de 007, a atriz apareceu em filmes de mestres como Jean Cocteau (O Testamento de Orfeu, de 1960), Ettore Scola (Os Amores de um Demônio, de 1966) e Mario Bava (Mansão da Morte, de 1971).

 

Auger se aposentou nos anos 1990. Uma de suas últimas aparições foi no drama romântico A Pele do Desejo, de 1992, como a mãe da protagonista vivida por Greta Scacchi.

 

Claudine Auger faleceu em 19 de dezembro de 2019, aos 78 anos, em Paris.

(Fonte: https://entretenimento.uol.com.br/noticias/redacao/2019/12/20 – NOTÍCIAS / ENTRETÊ / FILMES E SÉRIES / Do UOL, em São Paulo – 20/12/2019)

(Fonte: https://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2019/12/20 – POP & ARTE / NOTÍCIA / Por G1 – 20/12/2019)

Powered by Rock Convert
Share.