André Nivaldo Jager Soares, ex-deputado estadual e ex-prefeito de Uruguaiana

0
Powered by Rock Convert

 

 

André Nivaldo Jager Soares (Uruguaiana, 5 de agosto de 1926 – Porto Alegre, 17 de outubro de 2019), ex-deputado estadual e ex-prefeito de Uruguaiana

 

Político com origem no antigo Partido Trabalhista Brasileiro, depois Movimento Trabalhista Renovador, Movimento Democrático Brasileiro e por último Partido do Movimento Democrático Brasileiro, professor universitário e advogado.

 

Nivaldo Soares abriu mão da assembleia e da indicação ao Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul para ser prefeito eleito de Uruguaiana, o primeiro depois do período de indicações militares, entre 1986 a 1988. Antes, havia sido vereador, presidente da Câmara, deputado estadual (1971 a 1986), e chegou a assumir o governo estadual, quando estava no exercício da presidência da Assembleia Legislativa.

 

Combativo, discurso eloquente, crítico ao governo discricionário, o seu legado conta com uma série de trabalhos nas esferas municipal e estadual.

 

Powered by Rock Convert

André Nivaldo Jager Soares nasceu em cinco de agosto de 1926 e além de político, com uma extensa carreira, também era advogado.

 

Em Uruguaiana foi vereador por três legislaturas e presidiu o Parlamento Municipal em duas gestões. Depois de uma passagem pela antiga sede da Assembleia Legislativa gaúcha, em agosto de 1963, quando assumiu o mandato no lugar do deputado Osmar Lautenschleiger (MTR), na condição de suplente, Soares (MDB) foi empossado deputado estadual em 1970.

 

Na sequência, se elegeu quatro vezes para o Legislativo e permaneceu 16 anos no Parlamento, tendo presidido a casa legislativa nos anos de 1977 e 1978, quando, por três vezes, ocupou o cargo de governador do Estado, mesmo fazendo parte da oposição ao Regime Militar. Em 1979, presidiu uma das mais polêmicas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) da história gaúcha: a que investigou o sequestro dos uruguaios Lilian Celiberti e Universindo Diaz. Este se tornou um dos maiores marcos da carreira política de Soares.

 

Atuou como deputado durante os governos Peracchi Barcellos, Euclides Triches, Sinval Guazelli, Amaral de Souza e Jair Soares. Soares ingressou como parlamentar no tempo em que haviam apenas Aliança Renovadora Nacional (Arena) e Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e viveu a abertura, em 1983, com o surgimento de partidos como Partido Democrático Trabalhista (PDT), Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e Partido Democrático Social (PDS). Na última Legislatura na qual atuou, a 46ª, que se iniciou em 31 de janeiro de 1983, viu as 55 cadeiras serem divididas entre PMDB, PDS, PDT e Partido da Frente Liberal (PFL). Em 1986 deixou o Poder Legislativo para assumir a Prefeitura de Uruguaiana, sua terra natal.

 

Nivaldo Soares faleceu em 17 de outubro de 2019, aos 93 anos. Ele estava internado em Porto Alegre com problemas bronco respiratórios graves (pneumonia).

O prefeito Ronnie Peterson Colpo Mello decretou luto oficial de três dias.

(Fonte: Zero Hora – ANO 56 – N° 19.533 – 18 de OUTUBRO de 2019 – TRIBUTO / MEMÓRIA – Pág: 35)

(Fonte: http://jornalcidade.net.br – TRIBUTO / MEMÓRIA / Por Gabriela Barcellos – 17 Outubro 2019)

Powered by Rock Convert
Share.