Alan Bean, participou da missão Apollo 12, foi o quarto homem a pisar na Lua

0

Alan Bean, quarto homem a pisar na Lua, passou 31 horas na Lua durante a missão Apollo 12, colhendo amostras lunares e implementando experimentos.

 

O astronauta Alan Bean observa uma de suas pinturas, em 2009 – (Jacquelyn Martin / AP)

 

Alan Bean, quarto astronauta a pisar na Lua

Piloto tinha deixado NASA para se dedicar integralmente à pintura

 

Alan Bean participou da missão Apollo 12 e é o 4º homem a pisar na Lua (Foto: Nasa)

 

Astronauta foi o piloto do módulo lunar da missão Apollo 12, em 1969

Alan LaVern Bean (Wheeler, Texas, 15 de março de 1932 – Houston, 26 de maio de 2018), astronauta norte-americano que viajou para a Lua em 1969 durante a missão Apollo 12 e comandou uma tripulação na estação espacial Skylab em 1973, antes de desistir de sua carreira como pintor em tempo integral.

Bean integrou a missão Apollo 12, que fez a segunda aterrissagem lunar da história, em 1969. Bean foi o quarto astronauta a pisar na Lua, após Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Pete Conrad.

Bean fez parte da missão Apollo 12, que realizou a segunda aterrissagem lunar da história em 1969, e se transformou no quarto homem a pisar no satélite após Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Pete Conrad.

Bean nasceu em 15 de março de 1932, em Wheeler, Texas, e cresceu em Fort Worth. Ele aspirava a tornar-se piloto e começou a treinar em vôo aos 17 anos. Formou-se em engenharia aeronáutica na Universidade do Texas e, em seguida, foi contratado como oficial da Marinha.

Ele treinou como piloto de testes da Marinha sob Conrad, que anos depois, durante seus dias de astronauta, desempenhou um papel fundamental na designação de Bean para a missão Apollo 11. O capitão aposentado da Marinha vivia com sua esposa, Leslie, em Houston. Ele teve dois filhos por um casamento anterior.

Bean, um ex-piloto de testes da Marinha dos EUA que se tornou uma das 12 pessoas a pisar na Lua, deixando suas pegadas em uma região chamada Ocean of Storms, Bean, em novembro de 1969, tornou-se o quarto homem a andar na Lua como um dos astronautas na segunda missão de pouso na NASA, a Apollo 12.

A missão lunar de Bean ocorreu apenas quatro meses depois que o americano Neil Armstrong se tornou o primeiro humano a caminhar na lua na histórica missão Apollo 11 da NASA, em julho de 1969. Bean serviu como piloto do módulo lunar na Apollo 12. Ele e seu companheiro de equipe Pete Conrad exploraram a superfície da Lua e conduziram experimentos enquanto Richard Gordon orbitava no módulo de comando, explorando locais de pouso para futuras missões lunares.

A missão foi um sucesso, embora tenha começado com uma sacudida. Logo após a decolagem, o foguete foi atingido por um raio, mas a tripulação conseguiu continuar o vôo de três dias para a lua. Bean e Conrad passaram mais de 31 horas na superfície lunar, incluindo mais de sete horas trabalhando fora do módulo.

Bean passou 31 horas na Lua, colhendo amostras lunares e implementando experimentos com o comandante da missão, Conrad.

Para o 40º aniversário do pouso na lua da Apollo 11, Bean exibiu suas pinturas de cenas lunares no Museu Nacional do Ar e do Espaço da Smithsonian Institution, em Washington.

 

 

Integrantes da missao Apollo XII, da esquerda para a direita: Charles “Pete” Conrad, Richard F. Gordon e Alan L. Bean – (HO / AFP)

 

 

Em 1973, Bean comandou a segunda missão para a Skylab, a primeira estação espacial dos EUA. Juntamente com os companheiros de tripulação Owen Garriott e Jack Lousma, ele passou 59 dias em órbita baixa da Terra. Bean mais tarde desempenhou um papel fundamental na preparação de futuros astronautas, servindo nesse papel até o primeiro voo do ônibus espacial em 1981.

VIVA SEU SONHO

 

Sua decisão em 1981 de desistir de sua carreira na NASA para se tornar um artista em tempo integral surpreendeu alguns de seus colegas.

“Você tem que viver o seu sonho mesmo que outras pessoas achem que está errado”, disse Bean em uma entrevista da história da NASA em 2010. “Cerca de metade dos astronautas pensaram que era uma crise de meia-idade ou algo assim. A outra metade, os que eram mais inteligentes, acharam que era uma boa ideia.”

Trabalhando em sua casa em Houston, Bean criou pinturas focadas nas missões Apollo, com imagens de si mesmo e de outros astronautas na lua.

Seus ex-colegas se tornaram admiradores. Armstrong disse certa vez: “Alan Bean e seu ‘astrotismo’ recriam o drama e a excitação da exploração da lua do homem, como só poderia ser narrado por alguém que esteve lá”.

Alan Bean morreu em 26 de maio de 2018, pacificamente em Houston cercado por aqueles que o amavam”, disse Leslie Bean, esposa de 40 anos de Bean, em um comunicado.

Bean, 86 anos, ficou doente há duas semanas enquanto viajava em Fort Wayne, Indiana.

“Alan era o homem mais forte e gentil que eu já conheci. Ele era o amor da minha vida e eu sinto muita falta dele. Um texano nativo, Alan morreu pacificamente em Houston cercado por aqueles que o amavam”, disse Leslie Bean, esposa de 40 anos de Bean, em um comunicado.

Com a morte de Bean, apenas quatro pessoas das 12 que pisaram na Lua seguem vivas: Buzz Aldrin, Dave Scott, Charlie Duke e Harrison “Jack” Schmitt.

Além da missão à Lua, a Nasa destacou na nota de despedida o trabalho que Bean realizou a bordo da estação espacial Skylab, que esteve operacional entre 1973 e 1979.

Ali, a equipe liderada por Bean conseguiu gerar uma grande compilação de dados sobre os recursos da Terra e captou 76 mil fotografias do Sol para ajudar os cientistas a compreender melhor seus efeitos no sistema solar.

(Fonte: https://oglobo.globo.com/sociedade – SOCIEDADE / POR O GLOBO – WASHINGTON — 26/05/2018)

(Fonte: https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia – CIÊNCIA E SAÚDE – NOTÍCIA / Por Agencia EFE – 26/05/2018)

(Fonte: https://istoe.com.br – EDIÇÃO Nº 2527 – MUNDO – ANSA -27/05/18)

Share.