William Goldman, roteirista vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Adaptado por Butch Cassidy e Todos os Homens do Presidente

0
Powered by Rock Convert

 

William Goldman, roteirista do filme “Todos os Homens do Presidente”

 

 

William Goldman recebe o Oscar pelo roteiro do filme ‘Todos os Homens do Presidente’, em 1977 (Foto: AP)

 

 

Ganhador de dois Oscar de melhor roteiro

 

 

Duas vezes ganhador do Oscar e um dos mais influentes escritores do cinema americano.

 

 

William Goldman (Highland Park, Illinois, 12 de agosto de 1931 – Manhattan, Nova York, 16 de novembro de 2018), escritor e roteirista vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Adaptado por Butch Cassidy e Todos os Homens do Presidente.
Nascido em Chicago, Goldman serviu brevemente no Exército e começou a escrever depois de se formar na universidade. Escreveu vários romances que se tornaram best-sellers antes de se dedicar aos roteiros.

“Butch Cassidy”, seu primeiro roteiro original, mostra dois foragidos interpretados no filme por Paul Newman e Robert Redford, o fez merecedor de seu primeiro Oscar, em 1970.

Goldman, roteirista vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Adaptado por Butch Cassidy e Todos os Homens do Presidente, foi um dos mais prestigiados criadores do cinema estadunidense.

Depois venceu outro prêmio da Academia pelo filme sobre Watergate “Todos os homens do presidente”, em 1977.

Autor de “Adventures in the Screen Trade”, um livro de memórias sobre seus anos na indústria cinematográfica que tornou-se uma espécie de bíblia para os novatos de Hollywood, Goldman começou na literatura antes de finalmente fazer a transição para o cinema, nos idos de 1965. Nas décadas de 60 e 70, o escritor encontrou seus maiores sucessos; para além dos supracitados filmes premiados, ele também foi o responsável por adaptar Maratona da Morte e Uma Ponte Longe Demais.

O escritor e roteirista americano William Goldman foi autor do roteiro de “Todos os Homens do Presidente”, “Butch Cassidy” e “A Princesa Prometida

Goldman foi roteirista de Butch Cassidy (1969), de George Roy Hill; Todos os Homens do Presidente (1976), de Alan J. Pakula; e A Princesa Prometida (1988), de Rob Reiner.

Goldman venceu o Oscar de melhor roteiro em 1970, por Butch Cassidy, e em 1977, por Todos os Homens do Presidente, filme que conta a história de Bob Woodward e Carl Bernstein, repórteres do Washington Post que investigaram o caso Watergate, escândalo que resultou na renúncia do então presidente americano Richard Nixon.

 

O primeiro livro de Goldman foi The Temple of Gold, de 1957. A partir do lançamento de seu romance de estreia, ele passou a se dedicar aos roteiros. Goldman adaptou Flores para Algernon, de Daniel Keyes, mas seu roteiro foi engavetado.

 

Goldman foi o ganhador de dois Oscar: um de melhor roteiro original, pelo filme Butch Cassidy and the Sundance Kid (1969) e outro de melhor roteiro adaptado, por Todos os Homens do Presidente (1976). Também escreveu A Princesa Prometida, (1988), e A Sombra e a Escuridão (1996), estrelado por Michael Douglas.

 

 É de sua autoria a frase “siga o dinheiro” (“follow the money”, no original), usada em Todos os Homens do Presidente. No filme, de 1976, dois repórteres do jornal Washington Post expõem a conspiração armada pela Casa Branca (o caso Watergate) para sufocar o Partido Democrata. Um informante secreto, chamado de Garganta Profunda, os aconselha a “seguir o dinheiro” para chegar até o fim da história.
Goldman também publicou livros de não-ficção sobre o negócio do cinema. No livro “Adventures in the Screen Trade”, de 1982, o roteirista cunhou outra pérola que ficaria famosa por traduzir o espírito de Hollywood.

 

“Ninguém sabe de nada”, escreveu ele. “Nem uma pessoa em todo o campo de cinema sabe com certeza o que vai funcionar. Toda vez é um palpite e, se você tiver sorte, é um dos bons.”

oexploradorPowered by Rock Convert

Em uma carreira de mais de cinco décadas, Goldman insistiu ao longo dos anos que era romancista e não se via como parte do ‘establishment’ de Hollywood, apesar do seu fenomenal sucesso comercial.

Não sou um roteirista“, disse ao New York Times em 1979. “Sou um romancista que escreve roteiros”.

Adaptou para as telas vários de seus grandes livros, entre eles o romance de fantasia “A princesa prometida” e o suspense “Maratona da morte”.

O último trabalho de Goldman, que também assinou o script do clássico A Princesa Prometida, foi em 2015, como roteirista de Jogo Duro.

 

O último trabalho de Goldman a ganhar as telonas foi O Apanhador de Sonhos, lançado em 2003 por Lawrence Kasdan, uma adaptação de um conto do mestre do horror Stephen King.

 

William Goldman faleceu em 16 de novembro de 2018, de complicações de uma pneumonia e de um câncer de cólon, tinha 87 anos.

(Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2018/11 – ILUSTRADA – 16.nov.2018)

(Fonte: https://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2018/11/17 – POP & ARTE – NOTÍCIA / Por France Presse – 

(Fonte: https://www.terra.com.br/diversao/cinema/adorocinema – DIVERSÃO / CINEMA / ADORO CINEMA / Por Renato Furtado – 16 nov 2018)

(Fonte: https://cultura.estadao.com.br/noticias/cinema – NOTÍCIAS / CINEMA / CULTURA / Por O Estado de S.Paulo – 16 Novembro 2018)

Powered by Rock Convert
Share.