Se tornou a primeira nadadora negra a vencer uma prova olímpica individual

0
Powered by Rock Convert

Com recorde e empate, americana se torna primeira negra campeã olímpica

Simone Manuel vence os 100m livre feminino, empatada com a canadense Penny Oleksiak, e faz história ao ser a primeira negra a vencer uma prova olímpica individual

Simone Manuel se emociona ao receber a medalha de ouro conquistada no Rio 2016 (Foto: Marcos Brindicci/REUTERS)

Simone Manuel se emociona ao receber a medalha de ouro conquistada no Rio 2016 (Foto: Marcos Brindicci/REUTERS)

 

Ouro ao lado de canadense, Simone Manuel, dos EUA, é a primeira negra campeã olímpica da natação

Atletas fizeram o tempo de 52s70, ficando à frente da sueca Sarah Sjostrom

 

Simone Manuel, dos EUA, é a primeira negra campeã olímpica da natação - (Foto: www.zimbio.com/Divulgação)

Simone Manuel, dos EUA, é a primeira negra campeã olímpica da natação – (Foto: www.zimbio.com/Divulgação)

 

Uma prova com recorde olímpico já é uma daquelas para a torcida vibrar bastante. E o que falar de uma prova com recorde olímpico batido por duas pessoas? E se esse recorde olímpico, com direito a empate, foi conquistado pela primeira nadadora negra da história a ganhar uma medalha de ouro em Olimpíada? Difícil?

Pode até ser, mas aconteceu na noite de 10 de agosto de 2016, no Estádio Olímpico de Esportes Aquáticos, no Rio de Janeiro. Simone Manuel, dos Estados Unidos, e Penny Oleksiak, do Canadá, empataram na primeira colocação da disputa dos 100m livre. Com 52s70, as duas estabeleceram novo recorde olímpico para a prova. Sarah Sjostrom, da Suécia, ficou com a medalha de bronze com 52s99. Como houve empate na primeira colocação, não foi distribuída medalha de prata.

Powered by Rock Convert

Com a medalha dourada no peito, Simone Manuel se tornou a primeira nadadora negra a vencer uma prova olímpica individual. Ele repete o que Anthony Nesty, ex-nadador do Suriname, fez nos Jogos de Seul, em 1988. O feito pode não ter sido comemorado sozinho, mas não teve a importância reduzida por isso.

– Isso significa muito para mim, essa medalha. Ela não é só minha. É de alguns afrodescendentes que vieram antes de mim e foram inspiração. Espero que possa ser inspiração também para pessoas que vão vir depois de mim. É o que espero. Mas ao entrar nessa prova de hoje, eu tentei tirar o peso da comunidade negra dos meus ombros, que é algo que carrego comigo nessa posição. Mas espero que isso suma. Estou muito contente que posso estar nessa prova e diversificar o trabalho. Mas gostaria que chegue o dia que sejamos mais numerosos. Que não seja Simone, a nadadora negra. Porque esse titulo parece que eu não devo ganhar medalha ou quebrar recordes. Isso não é verdade, porque trabalho tanto quanto todo mundo.

Pela primeira vez na história, uma nadadora negra foi ao degrau mais alto do pódio olímpico (Foto: Reprodução/SporTV)

Pela primeira vez na história, uma nadadora negra foi ao degrau mais alto do pódio olímpico (Foto: Reprodução/SporTV)

 

Os 100m livre foi a segunda prova de Simone Manuel na Rio 2016. Antes ela havia caído na piscina para a disputa do revezamento 4x100m livre, quando ficou com a medalha de prata. Mas a história dela não termina aí. Nesta sexta-feira, pela tarde, ela vai disputar as eliminatória dos 50m livre.

– Ganhar uma medalha em minha primeira olímpica é uma surpresa pra mim. É demais. Estou muito feliz. Eu nunca pensei que estaria nessa posição, mas eu sou tão abençoada e honrada por estar no pódio. Todo o meu trabalho duro valeu a pena e estou muito feliz com isso. Espero ser uma inspiração para os outros, que essa medalha sirva para inspirar pessoas a acreditarem que elas podem – comentou a nadadora logo após deixar a piscina.

(Fonte: http://globoesporte.globo.com/olimpiadas/natacao/noticia/2016/08 – RIO 2016 – NATAÇÃO/ Por Fabrício Marques, Lydia Gismondi e Raphael Carneiro – Rio de Janeiro – 12/08/2016)

Powered by Rock Convert
Share.