Qiao Shi, ex-presidente do Comitê Permanente da Assembleia Popular Nacional (APN), o mais alto órgão legislativo da China

0
Powered by Rock Convert

Ex-chefe do legislativo chinês

 

Qiao Shi está na abertura do 7º Congresso Nacional em 1993. (Manuel Ceneta / AFP / Getty Images)

Qiao Shi na abertura do 7º Congresso Nacional em 1993. (Manuel Ceneta / AFP / Getty Images)

 

Qiao Shi (Xangai, China, 24 de dezembro de 1924 – Beijing, Pequim, 14 de junho de 2015), ex-presidente do Comitê Permanente da Assembleia Popular Nacional (APN), o mais alto órgão legislativo da China

Qiao, foi um excelente membro do Partido, um soldado comunista leal e testado pelo tempo e um destacado proletário revolucionário, estadista e líder do Partido e do Estado. Qiao era um ex-integrante do Comitê Permanente do Birô Político do Comitê Central do PCCh.

Nascido em dezembro de 1924 em Shanghai, Qiao participou do PCCh em 1940. Mais tarde, ele liderou os estudantes de Shanghai nos movimentos revolucionários como líder do comitê clandestino do PCCh na Universidade de Tongji, assim como outras funções.

Logo depois da fundação da República Popular da China em 1949, Qiao assumiu uma série de cargos, de funcionário do Comitê Municipal do PCCh em Hangzhou a presidente de um instituto de pesquisa do ferro e aço.

Em 1978, após a “Revolução Cultural” de 10 anos, Qiao se tornou vice-diretor do Departamento Internacional do Comitê Central do PCCh e depois o diretor. Durante o período, promoveu a comunicação entre o PCCh e os partidos comunistas e socialistas de outros países, segundo o comunicado.

Qiao foi promovido diretor do Gabinete Geral do Comitê Central do PCCh em 1983, onde modificou o enfoque do departamento de uma luta de classes ao desenvolvimento econômico orientado pela política de reforma e abertura.

Qiao também era chefe da Comissão dos Assuntos Políticos e Legais do Comitê Central do PCCh.

Qiao se tornou membro do Comitê Permanente do Birô Político do Comitê Central do PCCh em 1987 e assumiu o cargo de chefe da Comissão Central de Inspeção Disciplinar do PCCh.

Qiao virou presidente do Comitê Permanente da APN em março de 1993 e supervisionou as emendas da Constituição em que a teoria da construção do socialismo com características chinesas foi inscrita na Constituição como princípio de diretriz.

Ele também supervisionou o trabalho de legislação para uma série de leis econômicas para que a estrutura legal da economia do mercado socialista pudesse tomar forma, de acordo com o comunicado.

Qiao aposentou-se do cargo como chefe do mais alto legislativo chinês em março de 1998.

Qiao Shi faleceu aos 91 anos, em Beijing em 14 de junho de 2015, segundo um comunicado do Comitê Central do Partido Comunista da China (PCCh).

(Fonte: http://portuguese.people.com.cn/n/2015 – Xinhua / Por Juliano Ma,鲁扬 – 16.06.2015)

 

 

 

 

oexploradorPowered by Rock Convert

 

 

Comitê Central está reunido
PC chinês prepara 1º congresso pós-Deng

O Comitê Central (órgão executivo) do Partido Comunista chinês está reunido desde sábado, no distrito de Jingxi, região oeste de Pequim (capital), em uma reunião de três dias. Trata-se de uma preparação para o 15º congresso do partido, evento que ocorre a cada cinco anos e começa sexta-feira.

O Congresso aprova mudanças ideológicas e nomes para os postos de direção. As alterações são geral mente definidas com antecedência pelo Comitê Central.

Durante o reinado dos dirigentes comunistas Mao Tse-tung (1949-1976) e Deng Xiaoping (1977-1997), esses líderes chineses costumavam impor sua vontade, enfrentando pouca resistência dentro do partido.

O atual presidente, Jiang Zemin, não conta com tantos poderes e precisa negociar com outros líderes comunistas eventuais mudanças programáticas e distribuição de cargos.

O fato de a troca em postos-chave estar sendo decidida apenas poucos dias antes do Congresso é quase sem precedentes na era comunista, afirmam integrantes do partido entrevistados pela agência de notícias “Reuter”.

Tradicionalmente, as mudanças eram decididas semanas antes do Congresso, em reuniões da elite comunista no balneário de Beidaihe (norte do país).

A demora em chegar a uma decisão demonstraria a inabilidade de Jiang para impor sua vontade. O mais importante rival de Jiang hoje é Qiao Shi, 71, presidente do Parlamento.

Jiang e Qiao defendem a manu tenção das reformas pró-capitalismo, implantadas desde 1978. Mas Qiao quer evitar a concentração de poder nas mãos de Jiang Zemin.

O Congresso deverá aprovar um programa que defenda o avanço das reformas econômicas. No plano político, são esperadas poucas mudanças, pois o Partido Comunista não quer permitir reformas, com medo de perder o monopólio do poder.

O Congresso será o primeiro das últimas duas décadas a ocorrer sem a presença do líder Deng Xiaoping, que morreu em fevereiro, aos 92 anos.

Participarão do evento 2.048 de legados de todo o país. Estima-se que tenha duração de uma semana.

A plenária iniciada sábado reúne cerca de 200 membros do Comitê Central e os principais líderes do Politburo (órgão máximo de poder na estrutura partidária).

(Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo – FOLHA DE S.PAULO – MUNDO – MUDANÇAS / Por das agências internacionais – São Paulo, 8 de setembro de 1997)

Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados.

Powered by Rock Convert
Share.