Primeiro título do país no Mundial de esgrima

0
Powered by Rock Convert

NA ESPADA

Brasileira conquista primeiro título do país no Mundial de esgrima

 

Nascida na Itália, Nathalie Moellhausen passou a defender o Brasil em 2014

 

Nathalie Moellhausen no pódio – campeã mundial de esgrima — (Foto: Reprodução/FIE)

 

Nathalie Moellhausen ganha medalha de ouro e faz história no Mundial de Esgrima da Hungria

 

Brasileira obteve belas vitórias durante o torneio em Budapeste e na final do Individual de Espada derrotou a chinesa Sheng Lin, por 13/12.

 

Nathalie Moellhausen é também a 1ª medalhista do Brasil na história do torneio

Nathalie Moellhausen conquistou a inédita medalha de ouro no Individual de Espada Feminina para o Brasil após vencer na final a chinesa Sheng Lin, por 13 /12, no golden score, em 18 de julho de 2019, no Mundial de Esgrima de Budapeste, na Hungria. Além de ter sido campeã mundial, aos 33 anos, a italiana naturalizada brasileira obteve o primeiro pódio da história do país na competição.

Powered by Rock Convert

Nathalie comandou o placar durante quase todo o confronto e, ao final, superou Sheng, que chegou a Budapeste na 13ª colocação no ranking mundial. Já a brasileira está na 22ª posição e, após o resultado obtido na competição, subirá alguns degraus na classificação. No sábado, dia 20, Nathalie ainda disputa a competição por equipes pelo Brasil.

O caminho até a final não foi fácil para Nathalie. Nas semifinais, ela derrotou Vivian Kong, de Hong Kong, por 15/11, e não se intimidou frente à terceira colocada no ranking mundial ao ficar à frente do placar durante a maior parte da disputa. Nas quartas de final, quando ao vencer ela já assegurou a medalha de bronze, foi beneficiada pelo uso do VAR, que corretamente anulou um ponto dado à sua adversária, a natural de Luxemburo Lis Rottler, e no golden score a brasileira venceu por 11/10.

Após o Mundial da Hungria, Nathalie já se prepara para os Jogos Pan-Americanos de Lima. Na capital peruana, ela vai defender as medalhas de bronze obtidas tanto no individual quanto por equipes para o Brasil, em 2015, durante os Jogos de Toronto.

Ao término dos Jogos Olímpicos de Londres 2012, Nathalie começou a competir pelo Brasil e, além das medalhas nos Jogos de Toronto 2015, ela também defendeu o país nos Jogos Olímpicos Rio 2016, quando chegou às quartas de final e terminou entre as oito melhores da competição.

Pela Itália, a esgrimista já tinha conquistado uma medalha de ouro por equipes, durante o Mundial da Turquia, em 2009, além das medalhas de bronze nos Mundiais da França, em 2010, no individual, e Itália, em 2011, por equipes.

A campanha do ouro

 

Vitórias na fase preliminar
Violetta Khrapina (RUS)
Paria Mahrokh (IRL)
Kaylin Sin Yan Hsieh (HKG)
Eliana Lugo (VEN)
Vladislava Andreyeva (CAZ)
Tamara Chwojnik (ARG)
Renata Knapik-Miazga (POL)
Mingye Zhu (CHN)

Vitórias na reta final
Oitavas: Alberta Santuccio (ITA) – 15 x 14
Quartas: Lis Rottler-Fautsch (LUX) – 11 x 10
Semifinal: Man Wai Vivian Kong (HKG) – 15 x 11
Final: Sheng Lin (CHN) – 13 x 12

(Fonte: https://globoesporte.globo.com/esgrima/noticia – ESGRIMA / NOTÍCIA / Por GloboEsporte.com — Budapeste – 18/07/2019)

Powered by Rock Convert
Share.