Percy Lavon Julian, foi um dos primeiros Africano-Americanos a obter um doutorado em química

0
Powered by Rock Convert

Percy L. Julian, Negro, Cientista, Brilhante

 

Percy Lavon Julian

Dr. Percy Lavon Julian, conhecido por sua síntese de fisostigmina e cortisona para o tratamento de glaucoma e artrite reumatoide, respectivamente. Julian também é conhecido por seu desenvolvimento de uma espuma extintora de incêndios para gasolina e óleo.

 

 

Percy Lavon Julian (Montgomery, Alabama, 11 de abril de 1899 – Waukegan, Illinois, 19 de abril de 1975), era um pesquisador em química afro-americano e um pioneiro na síntese química de medicamentos a partir de plantas. Ele foi o primeiro a sintetizar o produto natural fisostigmina, e foi um dos pioneiros na síntese química industrial em larga escala dos hormônios humanos, esteroides, progesterona e testosterona, a partir de esteroides vegetais, tais como estigmasterol e sitosterol.

 

Percy Lavon Julian foi um químico e pesquisador Africano-Americano e um pioneiro na síntese química de medicamentos a partir de plantas. Ele foi o primeiro cientista a sintetizar o fisostigmina, um produto natural (também conhecido como eserina de éséré, o nome africano para o feijão do Calabar). É um alcaloide parassimpatomimético, especificamente, um inibidor reversível da colinesterase que ocorre naturalmente no feijão Calabar.

 

Seu trabalho serviu como base para a produção da indústria de medicamentos esteroides de cortisona, outros corticosteroides, e da pílula anticoncepcional. Mais tarde, ele começou sua própria companhia de sintetizar esteroides intermediários do inhame selvagem mexicano. Seu trabalho ajudou a reduzir o custo de esteroides intermediários de grandes empresas farmacêuticas multinacionais.

 

Suas descobertas serviram como base para a produção de remédios para asma, anemia, artrites, hemorroidas, eczema, alergias, doenças pulmonares crônicas, câncer, glaucoma, prevenção de aborto, tratamentos hormonais, pílulas anticoncepcionais e fortificantes musculares.

 

A colinesterase é uma enzima cujo papel fundamental é a regulação dos impulsos nervosos através da degradação na junção neuromuscular e da sinapse nervosa. Sua determinação é útil na avaliação e no acompanhamento de pacientes com intoxicação por organofosforados (inseticidas). Percy Lavon Julian (em colaboração como outro químico, o Dr. Pikl Josef), foi o primeiro pesquisador a sintetizar essa enzima em 1935.

 

Seu trabalho teve como resultado o lançamento das bases para a produção industrial de drogas esteroides a base de cortisona e outros corticosteroides, e pílulas anticoncepcionais. Mais tarde, ele deu início a sua própria empresa de fármacos sintéticos e esteroides intermediários sintetizados a partir do inhame selvagem mexicano A sua inventividade ajudou a reduzir o custo de intermediários esteroides para grandes empresas farmacêuticas multinacionais, condicionando a produção em escala mais larga e ampliação do acesso.

 

Durante sua vida ele patenteou mais de 130 produtos químicos. Julian foi um dos primeiros Africano-Americanos a obter um doutorado em química.

 

Em 1954, Julian estabeleceu um laboratório próprio (Julian Laboratory) que se especializou na produção de seu cortisona sintética. Durante sua vida ele obteve mais de 130 patentes de produtos químicos. Julian foi um dos primeiros afro-americanos a receber um doutorado em química.

 

Ele foi o primeiro químico Afro-Americano empossado na Academia Nacional das Ciências, e o segundo cientista Afro-Americano a obter pós-doutorado em qualquer área. Ele defendeu o direito dos negros de entrar em universidades até sua morte por câncer em 1975.

 

Percy Julian nasceu em Montgomery, a capital do Alabama, EUA, como o primeiro filho dos seis nascidos do casal James Sumner Julian e Lena Elizabeth (Adams) Julian. James, como sua esposa, estudou e se graduou pelo Colégio que era o que, mais tarde, se transformaria na Universidade Estadual do Alabama. Era empregado como funcionário dos Correios dos Estados Unidos, e seu pai, que vem a ser o avô de Percy, era um escravo. Elizabeth trabalhou como professora primária.

 

Percy Julian cresceu no tempo em que vigorava no Alabama, a legislação Jim Crow, uma série de leis segregacionistas que produziram alguns dos episódios mais famosos da história da Emancipação dos Africano-Americanos nos Estados Unidos da América. Entre suas memórias de infância está o trauma de ter encontrado, por acaso, um homem negro linchado e enforcado pendurado de uma árvore durante uma caminhada em um bosque perto de sua casa.

 

Naquela época, era incomum para os afro-americanos almejar alcançar uma educação além da 8 ª série. Os pais de Julian, no entanto, lutaram até conseguir que todos os seus filhos obtivessem educação de nível superior.

 

Julian ingressou na Universidade DePauw na cidade de Greencastle, Indiana. Essa Instituição aceitou alguns alunos Africano-Americanos. É importante observar que a segregação racial vigente na cidade conduziu Percy e outros alunos a várias humilhações sociais. Por exemplo, Ele não foi autorizado a viver nos dormitórios da faculdade e foi obrigado a se hospedar em uma pensão fora do campus, a qual se recusava a servir-lhe refeições. Passaram vários dias até que ele encontrasse um local onde pudesse comer. Ele trabalhou como foguista, como garçom, e fazendo outros trabalhos estranhos em uma casa de fraternidade. Em troca, ele foi autorizado a dormir no sótão e comer em casa.

 

Julian queria obter seu doutorado em química, mas compreendia que seria uma conquista muito difícil para um a Africano-Americano. Depois de se graduar pela Universidade DePauw, Julian se tornou um Professor de Química na Universidade Fisk (A Universidade Fisk é uma universidade historicamente negra fundada em 1866, em Nashville, Tennessee). Em 1923, ele recebeu uma bolsa e foi estudar na Universidade  Harvard em 1923, onde pretendia completar os estudos para a obtenção do grau de Mestre (grau imediatamente antecedente ao grau de Doutor).

Powered by Rock Convert

 

Julian começou a ensinar Química em Harvard, com parte do programa para a obtenção do seu PhD (grau de Doutor), porém, as autoridades acadêmicas de Harvard, preocupadas com a reação dos alunos brancos, quanto a terem um negro como Professor de Química, o retiraram do cargo de Professor Assistente e Ele não pode completar o seu PhD em Harvard.

 

Em 1929, Julian era Professor na Universidade Howard (outra Universidade para Africano-Americanos), quando recebeu uma bolsa da Fundação Rockfeller para continuar seu trabalho de pós-graduação na Universidade de Viena, onde obteve seu doutorado em 1931. Ele estudou com Ernst Späth e foi considerado um estudante impressionante. Na Europa, ele encontrou liberdade dos preconceitos raciais que o sufocava nos Estados Unidos. Ali, participava livremente do convívio com intelectuais e com vários dos seus pares sociais.

Depois de voltar de Viena, Julian ensinou na Universidade de Howard por um ano, onde conheceu sua futura esposa, Anna Roselle Johnson (que obteve o grau de Doutora em Sociologia, em 1937, pela Universidade da Pennsylvania). Eles se casaram em 24 de dezembro de 1935 e tiveram dois filhos: Percy Lavon Julian, Jr. (nascido em 31 de agosto de 1940 –e falecido em 24 de Fevereiro de 2008), que se tornou um prestigiado advogado de direitos civis, em Madison, Wisconsin, e Fé Roselle Julian (1944 -.), que ainda mora em sua casa de Oak Park e muitas vezes profere discursos comovedores sobre seu pai e suas contribuições para a ciência.

É por volta de 1950 que Julian mudou com sua família de Chicago para a aldeia de Oak Park, Illinois, onde o Julians era a primeira família de Africano-Americanos a residir no local. Apesar de alguns moradores acolhe-los  na comunidade, também houve oposição por parte de outros. Sua casa foi bombardeada no Dia de Ação de Graças de 1950, antes de se mudarem. Em 12 de Junho de 1951, a casa foi atacada com dinamite. Os ataques galvanizaram a comunidade em defesa dos Julians e um grupo da comunidade foi formada para apoia-los. O filho de Julian relatou mais tarde que durante estes tempos, ele e seu pai sempre mantiveram a vigilância sobre a propriedade da família, sentados em uma árvore com uma espingarda.

Em 1953, Julian fundou sua própria empresa de pesquisa, a Julian Laboratories, Inc. Ele trouxe muitos de seus melhores químicos, incluindo Africano-Americanos e mulheres. Julian ganhou um contrato de dois milhões de dólares para fornecer progesterona para gigante farmacêutica Upjohn.

Em 1964, fundou o Insituto Julian de Pesquisas o qual manteve pelo resto da sua vida.

Ele foi eleito para a Academia Nacional de Ciências, em 1973, em reconhecimento das suas realizações científicas. Ele se tornou o segundo Africano- americano a ser empossado, depois de David Blackwell.

Julian morreu de câncer de fígado em 19 de abril de 1975 no Hospital Santa Teresa, em Waukegan, Illinois e foi enterrado no Cemitério Elm Lawn em Elmhurst, Illinois.

Dentre os atos de reconhecimento a obra de Percy Lavon Julian estão:

1) Em 1950, o Jornal Chicago Sun-Times elegeu  Percy Julian o cidadão de Chicago do ano.

2) A partir de 1975, a Organização Nacional para o Avanço Profissional dos Químicos e Engenheiros Químicos Africano Americanos estabeleceu o  Prêmio  Percy L. Julian Prêmio de Pesquisa Pura e Aplicada em Ciência e Engenharia.

3) Em 1975, foi inaugurada na parte sul da cidade de Chicago, a Escola Pública Secundária Percy L. Julian.

4) Em 1985, A Escola Secundária Hawthorne, em Oak Park foi rebatizada Escola Média Percy Julian, em sua honra.

     5) Em 1980, o conjunto de prédios que abrigam os institutos de ciências e matemática no campus da Universidade DePauw foi batizado  Centro de Ciencias e Matemática  Percy L. Julian.

    6) Em Greencastle, Indiana, onde a Universidade DePauw está localizado, uma rua foi batizada com o nome de Rua Percy L. Julian.

Illinois State University, onde Julian atuou no conselho de administração, nomeado um salão depois dele. [46] 7) Em 1990, ele foi incluído no Hall da Fama Nacional de Inventores.
8) Em 1993, Julian foi homenageado em um selo emitido pelo Serviço Postal dos Estados Unidos.

9) Em 1999, a Sociedade Americana de Química reconhecido a síntese da fisostigmina  de Julian de como um dos 25 melhores realizações na história da química americana.

10) Em 2002, o erudito Molefi Kete Asante colocou o nome de Julian na sua lista dos 100 Maiores Africano-Americanos.

11)  Em 2011, a comissão de preparação de do Exame de qualificação da Faculdade de Medicina Albert Einstein foi nomeado Exame de Qualificação Percy Julian.

REFERENCIAS:

  1. Percy Lavon Julian, http://en.wikipedia.org/wiki/Percy_Lavon_Julian (acessado em 22 de novembro de 2012 19h43min);
  2. Imagem com foto do Dr. Percy L. Julian

(http://www.theblacktechreport.com/index.php/2011/02/27/day-27-percy-lavon-julian-28-days-of-black-history-in-technology/ ) acessado em 22 de novembro de 2012 as 23h21min

(Fonte: http://pt.wikipedia.org)

(Fonte: https://correionago.com.br)

Powered by Rock Convert
Share.