Paulo Ubiratan, diretor de Criação da Central Globo de Produção, dividindo o cargo com Daniel Filho e Carlos Manga

0

Diretor de criação da Central Globo de Produção

 

Paulo Ubiratan Fontes Gaspar (Rio de Janeiro, 14 de janeiro de 1947 – 28 de março de 1998), diretor de criação da Central Globo de Produção.

 

Um dos diretores-gerais de criação da Rede Globo, Paulo Ubiratan, trabalhou durante 25 anos na Globo e realizou 50 novelas. Em fevereiro, junto com Carlos Manga e Daniel Filho, tornou-se um dos diretores-gerais de criação.

 

Na década de 1980, se tornaria um dos principais diretores de dramaturgia da emissora, responsável por grandes sucessos de audiência.

Paulo Ubiratan era paulista. Em 78, estreou como diretor na Rede Globo, na novela “Sinal de Alerta”. Dirigiu novelas como “Roda de Fogo” e “Roque Santeiro”.

 

Em fevereiro de 1998, Ubiratan fora nomeado diretor de Criação da Central Globo de Produção, dividindo o cargo com Daniel Filho e Carlos Manga. Juntos, eles comandavam a programação da Rede Globo.

 

Na divisão de horários entre os três, Ubiratan ficou com a tarefa de cuidar da programação entre 18h e 21h30, o que o tornava responsável pelas novelas.

 

Antes de morrer, Ubiratan dirigia a novela “Por Amor”, em fase final, e preparava o lançamento da nova programação. Pensava também em dirigir seu primeiro longa-metragem, com roteiro de Aguinaldo Silva.

 

Ubiratan estava em casa com a namorada, Carla Godinho, quando começou a sentir dores, por volta de 11h de anteontem. Ele chegou ao hospital às 11h50, sendo levado para o CTI (Centro de Tratamento Intensivo). Sua morte foi notificada às 12h25.

 

Ubiratan tinha problemas cardíacos havia pelo menos dez anos. Ele já havia se submetido a uma cirurgia para colocação de pontes de safena.

 

No início da noite de anteontem, o corpo do diretor foi levado até um hospital da zona norte do Rio para ser embalsamado e transferido para São Paulo.

 

Assim que souberam da notícia da morte, vários amigos foram até a clínica. Um dos primeiros a chegar foi o diretor Carlos Manga.

 

Entre os presentes ao local estavam o vice-presidente de coordenação estratégica da Globo, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, a superintendente-executiva da Rede Globo, Marluce Dias, e o autor de novelas Silvio de Abreu.

 

O médico Ricardo Mourilhe, que atendeu Ubiratan no Centro Médico Sorocaba, em Botafogo (zona sul do Rio), disse que a demora no atendimento pode ter sido fatal.

 

Mourilhe afirmou que, quando o diretor chegou à clínica, seu coração estava praticamente parado, e os médicos pouco puderam fazer para salvá-lo. Segundo o médico, Ubiratan era cardiopata crônico, e a causa mais provável de sua morte foi infarto agudo do miocárdio.

(Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrada – FOLHA DE S.PAULO / ILUSTRADA / PERSONALIDADE / da Sucursal do Rio – São Paulo, 30 de março de 1998)
Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados.

Share.