Paulinho Valentim, atacante brasileiro, maior artilheiro do Boca Juniors em jogos contra o River Plate

0
Powered by Rock Convert

Ídolo do Botafogo se tornou o maior goleador do Boca contra o River

Paulinho Valentim defendeu o Glorioso de Garrincha e fez história na Argentina

 

Paulinho Valentim (Barra do Piraí, 20 de novembro de 1932 – Buenos Aires, 9 de julho de 1984), ainda está na história como jogador do Boca Juniors que mais fez gols sobre o River Plate em jogos oficiais: foram incríveis dez gols anotados em sete superclássicos. O atacante só fica atrás de Oscar Más (12) e Ángel Labruna (16), ídolos do River Plate.

 

A contagem leva em consideração apenas jogos oficiais, já que levando em conta amistosos o maior artilheiro boquense no duelo é Martín Palermo (14, sendo seis em amistosos).

 

Nascido em novembro de 1932, Paulinho Valentim defendeu clubes menores até ser contratado pelo Atlético-MG em 1954. Pelo Galo, o jogador colecionou gols dentro de campo e virou personagem de uma outra história famosa fora das quatro linhas: em Belo Horizonte, o atacante conheceu e depois se casou com uma ex-prostituta chamada Hilda “Furacão” – que inspiraria o romance escrito por Roberto Drummond, que depois viraria uma famosa minissérie de TV nos anos 90.

Powered by Rock Convert

Paulo Valentim chegou ao Botafogo em 1956 e ficou em General Severiano até 1960. Pelo Clube da Estrela Solitária, jogou ao lado de lendas como Garrincha, Nilton Santos e Didi e acumulou 135 gols em 206 jogos – sua atuação mais marcante foi na final do Campeonato Carioca de 1957, sua única taça no Brasil, quando fez cinco gols nos 6 a 2 sobre o Fluminense.

 

As excelentes atuações atraíram a atenção do Boca Juniors, que contratou Valentim em 1960. Na Argentina, foram dois títulos nacionais (1962 e 1964), mas o atacante, de estilo trombador, ficou mesmo conhecido por quase sempre castigar o River Plate. Depois que deixou a Bombonera, em 1965, Paulo jamais foi o mesmo. Teve passagens rápidas por São Paulo e no futebol mexicano. Mas conseguiu se colocar como um imortal do Superclássico argentino.

 

Paulo Valentim morreria pobre e doente, em Buenos Aires, Argentina, em 9 de julho de 1984.

 

(Fonte: https://www.goal.com/br – NOTÍCIAS / BOCA JUNIORS / Por Tauan Ambrósio – 21/10/2019)

Powered by Rock Convert
Share.