Parque das Aves

0

Parque das Aves, em Foz do Iguaçu

 

Atrativo teve mais de 780 mil visitações em 2015 (Foto: Fernando Freire)

 

 

O Parque das Aves, fundado em 1º de novembro de 1993, permite a seus visitantes uma experiência única de estar em contato com a natureza.

 

 

Parque das Aves tem mais de 140 espécies nativas e exóticas (Foto: Fernando Freire)

 

 

O Parque das Aves, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, possui cerca de 1,2  mil aves de 140 espécies nativas e exóticas.

 

Um dos espaços que mais encantam são os viveiros gigantes, nos quais é possível chegar bem perto das aves como tucanos e araras, que arriscam alguns rasantes e até ‘posam’ para fotos.

 

O Parque das Aves fica ao lado da entrada do Parque Nacional do Iguaçu e está aberto todos os dias das 8h30 às 17. Para chegar até o espaço, os visitantes passam pelos viveiros de aves e percorrer algumas clareiras na floresta.

 

 

 

Parque das Aves tem projeto de proteção e reprodução da arara-vermelhaa-grande, rara no Paraná e extinta em Foz do Iguaçu (Foto: Parque das Aves / Divulgação)

 

 

Localizado bem em frente à entrada do Parque Nacional do Iguaçu, o Parque das Aves possui mais de 1000 aves de várias partes do mundo, além de vários outros atrativos. Com 16,5 hectares de Mata Atlântica, o parque é considerado o maior Parque de Aves da América Latina e abriga mais de 150 espécies diferentes de pássaros.

 

Parque das Aves de Foz do Iguaçu é uma excelente opção de passeio pra quem visita as Cataratas do Iguaçu, na fronteira do Brasil com a Argentina. É um lugar imperdível pra quem gosta de contato intenso com a natureza.

 

 

O primeiro atrativo é a Árvore da Vida, uma representação de uma lendária árvore da mitologia nórdica, que traz uma lição sobre a ambição do ser humano e a preservação do meio ambiente.

 

 

Árvore da Sabedoria (Foto: Itamar Japa)

 

 

Ao longo da trilha, 3 viveiros se destacam entre os demais porque permitem que os visitantes possam entrar e ficar bem pertinho dos animais.

 

 

Viveiro Floresta

 

 

O Viveiro Floresta é o mais impactante para os visitantes, pois é o primeiro lugar que permite uma interação com os animais. Ali todo mundo fica bobo, e não é a toa, afinal de contas, não é todo dia que temos a oportunidade de ficar tão próximos à belas aves como os tucanos e as gralhas azuis.

 

 

Parque das Aves

Gralha Azul. (Foto: Itamar Japa)

 

 

Viveiro Pantanal

 

 

Seguindo a trilha, em meio aos viveiros menores, logo temos acesso ao segundo viveiro que permite que o visitante ande junto dos pássaros sem grades. O viveiro Pantanal é onde estão as aves adaptadas ao ambiente aquático, como guarás, seriemas e garças.

 

 

Viveiro Pantanal e os Guarás. (Foto: Itamar Japa)

 

 

Continuando a trilha, passamos por diversos ambientes diferentes que abrigam desde pequenos pássaros, até grandes avestruzes. Muitos dos pássaros estão setorizados, como por exemplo, as corujas.

 

 

Viveiro das Araras

 

 

O último e mais fabuloso viveiro, é um imenso espaço onde dezenas de araras deixam qualquer visitante deslumbrado. O Viveiro das Araras é sem dúvidas o ponto alto do passeio, é emocionante estar junto de aves tão bonitas, que além de fazer muito barulho, voam dando rasantes sobre nossas cabeças.

 

 

 

Parque das Aves

As belíssimas Araras. (Foto: Itamar Japa)

 

 

 

Covil dos Répteis

 

 

Mas não são só aves que habitam o Parque da Aves, no Covil dos Répteis também podemos ver diversos répteis, como jiboias, iguanas, jacarés e até uma imensa sucuri.

 

 

Parque das Aves

Iguana. (Foto: Itamar Japa)

 

 

 

Parque das Aves

O covil dos répteis. (Foto: Itamar Japa)

 

 

 

Reino das Borboletas

 

 

Em outro viveiro, também acessível ao público, está o Reino das Borboletas, lá existem centenas de borboletas e vários beija flores, é uma experiencia indiscritível.

 

 

Parque das Aves

Reino das Borboletas. (Foto: Itamar Japa)

 

 

 

 

Parque das Aves

Reino das Borboletas. (Foto: Itamar Japa)

 

 

 

 

Parque das Aves

Reino das Borboletas. (Foto: Itamar Japa)

 

 

Metade das aves que estão no parque são aves apreendidas pelas autoridades responsáveis, oriundas do tráfico de animais, de ambientes de maus tratos e posse ilegal. Outras aves vem de centros de reabilitação de animais silvestres e muitas são filhotes debilitados que caíram do ninho e também foram encaminhadas ao Parque. Ainda é bom ressaltar que 43% das aves do Parque, são originadas de projetos de reprodução desenvolvidos pelo próprio Parque das Aves.

 

 

 

HISTÓRIA

 

A história do Parque das Aves começa no sudoeste da África, em uma cidade costeira na Namíbia, onde a família Croukamp ganhou um filhote de Papagaio-do-Congo, o qual logo despertou o amor pelas aves em Dennis Croukamp.

 

 

Dennis Croukamp (Medium / DIREITOS RESERVADOS)

 

 

Anos depois, a família mudou-se e um amigo sugeriu a Dennis que se mudassem para Foz do Iguaçu para construir um parque de crocodilos. Dennis replicou: “Eu gosto de aves. Iremos criar um Parque das Aves.”

 

Aliado a seus amigos, Dennis viajou para o Brasil e, após receber todas as licenças necessárias, adquiriu 16 hectares de floresta subtropical entre o rio Iguaçu e a rodovia que leva às Cataratas do Iguaçu, ao lado de onde hoje fica o Parque Nacional do Iguaçu. Sua esposa Anna, médica-veterinária, adquiriu uma cópia do livro “Português em três meses” e estudou nossa língua.

 

 

Parque das Aves

 

 

 

O primeiro desafio foi remover do terreno as toneladas de detritos acumulados ao longo dos anos. Toda vegetação invasora foi retirada e, em seu lugar, foram plantadas centenas de árvores nativas. O prédio administrativo, a loja e a lanchonete foram construídos por um empreiteiro.

 

 

Avenida das Cataratas, onde o Parque das Aves vai ser construído, 1993 (DIREITOS RESERVADOS)

 

 

Anna adentrou na mata fechada em busca dos lugares ideais para os recintos e criou trilhas pela floresta para uni-los. Graças ao esforço de diversas pessoas que se uniram à causa, o Parque ganhava forma. Em 1º de novembro de 1993, Dennis e Anna começaram a construção do que se tornaria o Parque das Aves.

 

As primeiras aves chegaram a partir de doações ou empréstimos de zoológicos brasileiros; animais confiscados foram enviados pelo Ibama. Espécies subtropicais de todos os continentes foram importadas. O borboletário nasceu da vinda de outro amigo da família Croukamp para Foz do Iguaçu.

 

 

Dennis Croukamp

Dennis Croukamp e a família, julho de 1993 (Medium / DIREITOS RESERVADOS)

 

 

O Parque das Aves foi inaugurado no dia 7 de outubro de 1994, 11 meses após Dennis e Anna terem desembarcado no Brasil. Desde então, o Parque não para de crescer graças a um time de brasileiros que se dedica a continuar os sonhos de Dennis.

 

Atualmente o Parque das Aves é o maior parque de aves da América Latina.

 

 

Parque permite interação entre os turistas e os animais (Foto: Divulgação/ Parque das Aves )

 

(Fonte: http://g1.globo.com/pr/oeste-sudoeste/noticia/2016/01 – OESTE E SUDOESTE – PR – Do G1 PR – 01/01/2016)

(Fonte: http://www.parquedasaves.com.br)

(Fonte: http://www.demochilaecaneca.com.br – Parque das Aves, em Foz do Iguaçu / Por Itamar e Patricia – 7 de março de 2016)

Share.