O primeiro museu do mundo dedicado ao jornalismo

0

Allen H. Neuharth (Eureka, na Dakota do Sul, em 1924 – Cocoa Beach, na Flórida, 19 de abril de 2013), visionário fundador do jornal USA Today e ex-presidente da Gannett Company, e que ajudou a criar um museu dedicado a notícias.

Nascido 22 de março de 1924, Allen Harold Neuharth cresceu em uma família de língua alemã nas cidades rurais de Eureka e Alpena, na Dakota do Sul . Seu pai morreu quando Al tinha 2 anos, e sua mãe o criou e seu irmão mais velho, Walter, lavando pratos e lavando roupa.

Depois de servir na infantaria na Segunda Guerra Mundial, Neuharth já casado, se formou pela Universidade de Dakota do Sul e aceitou um emprego como repórter da Associated Press. Dois anos mais tarde, abandonou o emprego porque decidiu que abrir um jornal era o caminho “para ficar rico e famoso”. Assim, ele e um parceiro lançaram um semanal chamado Sports SoDak, com o objetivo de cobrir esportes com detalhes sem precedentes.

Apesar dos esforços enérgicos de Neuharth – ele iria cobrir até quatro jogos de basquete em uma noite de sexta-feira em várias cidades – o SoDak Sports ficou sem capital antes de começar a dar lucro. Então, em 1954 ele se mudou para a Flórida para aceitar um emprego como repórter no Miami Herald, onde subiu rapidamente na hierarquia da redação. Em 1960 ele foi nomeado editor executivo adjunto do Detroit Free Press. Em 1963, ele aceitou uma oferta para se juntar à Gannett Company, que possuía um pequeno grupo de 16 jornais em cinco estados. Não era tão grande ou tinha o prestígio de uma empresa como a cadeia de jornais Knight, mas nenhum membro da família bloqueou seu caminho para o topo.

— Ele foi o primeiro dos grandes barões da mídia que não era dono de uma empresa — lembra Michael Gartner, ex-presidente da NBC News — ao contrário do Pulitzer e Hearst, ele era um funcionário contratado.

Quando Neuharth chegou, os executivos da Gannett já sabiam que os jornais em pequenos e médios mercados eram excelentes investimentos. Gannett normalmente comprava um jornal familiar, geralmente após a morte de um patriarca com vários herdeiros, e conseguia lucros consideráveis ​​com controle de custos e compras em grandes quantidades de papel de jornal e suprimentos.

Al Neuharth convenceu o CEO da Gannett, Paul Miller, a deixá-lo começar um diário em Cocoa, Flórida O novo jornal se chamava “Today” (mais tarde renomeada para “Florida Today”), inaugurado em 1966, se tornou o primeiro novo diário bem sucedido em quase uma geração.

Neuharth se tornou presidente da Gannett em 1970 e CEO três anos depois. Nos anos que se seguiram, Gannett tornou-se a empresa de jornal mais rentável da história. Mas Neuharth estava interessado em mais.

Para ele, os jornais devem refletir todos os seus leitores. Como tinha visto sua mãe ganhar menos do que os homens, ele contratou na Gannett, um número sem precedentes de mulheres e minorias em cargos importantes. Na empresa, as pessoas brincavam que havia uma fila de espera para o banheiro das mulheres.

“Como jornalista, eu tive uma maravilhosa janela para o mundo Neuharth escreveu em” Plain Talk, “sua última coluna que vai ser publicada depois da sua morte.” Por quase 50 anos como repórter e editor, eu tentei contar histórias com precisão e de forma justa, sem opinião “. Allen H. Neuharth se tornou uma das figuras mais influentes e às vezes controversa da indústria jornalistica.

Depois de aposentado, dirigiu a Fundação Ganett, fundou o Freedom Forum, organização dedicada à “liberdade de imprensa, de expressão e de espírito” e ajudou a fundar, em 1997, o primeiro museu do mundo dedicado ao jornalismo – o Newseum.

Allen H. Neuharth morreu em 19 de abril de 2013, em sua casa, em Cocoa Beach, na Flórida, aos 89 anos.

(Fonte: Zero Hora – ANO 49 – N° 17.364 – MEMÓRIA – 24 de abril de 2013)
(Fonte: http://extra.globo.com/noticias/celular-e-tecnologia – O Globo – 19/04/13)

Share.