O primeiro artista freelancer

0
Powered by Rock Convert

O primeiro artista freelancer

 

LUDWIG VAN BEETHOVEN

 

O gênio musical

 

Ainda criança, Ludwig van Beethoven (1770-1827) era um prodígio, foi um dos três gênios máximos da música, foi o grande elemento de transição entre o Classicismo e o Romantismo. Dizem que seu pai, que queria fazer dele um segundo Mozart, tinha métodos de aprendizado bastante rigorosos. Ludwig tocou seu primeiro concerto aos sete anos. Suas primeiras composições, aos 12. A genialidade só seria evidenciada em obras posteriores, por extrapolarem padrões conhecidos até então, e que continuam inspirando até hoje.

 

 

Estrela já em seu tempo

 

 

Hoje, Beethoven é um dos compositores mais ouvidos e interpretados do mundo. Ele já era famoso em vida, o que não era o caso de outros músicos excepcionais de seu tempo. Pense, por exemplo, no triste destino de Mozart, que foi enterrado num túmulo anônimo. Por outro lado, 20 mil pessoas assistiram ao funeral de Beethoven – metade da população do centro da cidade de Viena na época.

 

 

O primeiro artista freelancer

 

 

Nos períodos barroco e pré-clássico, compositores como Bach, Haydn ou Händel normalmente eram empregados da corte de um príncipe ou rei – ou em uma igreja. Mas com Beethoven não foi assim: ele conseguiu montar um círculo de mecenas que o apoiavam financeiramente com regularidade. Além disso, ganhava dinheiro com os concertos e a publicação de composições.

 

 

Gênio respeitado

 

 

Sua obra ainda é fonte constante de inspiração para os músicos. Seus trabalhos incluem nove sinfonias, cinco concertos para piano, o concerto para violino, 16 quartetos de cordas, 32 sonatas para piano, a ópera “Fidelio”, a Missa em dó maior op. 86 e a Missa solemnis op. 123. Seus cadernos com manuscritos meticulosos foram preservados, pois Beethoven costumava desenhar e anotar suas ideias.

 

 

A legendária Sinfonia Nº 5

 

 

 

Ta-ta-ta-taaaa. Quatro notas sem melodia – ultrajante para a época! Hoje, é sinônimo de Beethoven, e a “Sinfonia do Destino” é uma das obras eruditas mais tocadas. No entanto, na sua estreia, em 1808, a “Sinfonia nº 5 em Dó menor Opus 67” não foi bem recebida: os sons incomuns deixaram o público perplexo. Além disso, a orquestra havia ensaiado muito pouco e o teatro não estava aquecido.

oexploradorPowered by Rock Convert

 

 

 

O clássico: “Para Elisa”

 

 

Uma música que cativa há 200 anos: seja em filme, em espera de telefone, como toque, no elevador ou caminhão de gás. “Para Elisa” é uma das peças de piano mais populares do mundo. Não está claro até hoje quem era Elisa. Beethoven se apaixonou muitas vezes, geralmente sem reciprocidade. Ele nunca teve esposa ou família. A obra pode ter sido dedicada à cantora de ópera Elisabeth Röckel.

 

 

 

A famosa “Nona Sinfonia”

 

 

As sinfonias são feitas para a interpretação por uma orquestra. Para cantores até então não havia lugar no palco. Como Beethoven não se importava muito com convenções, ele inventou algo novo em sua nona e última sinfonia. Assim, no último movimento, não há apenas cantores, mas também um coral. Parte da “Sinfonia n° 9 em ré menor, op. 125, Coral” tornou-se o hino oficial da União Europeia em 1972.

 

 

 

A surdez

 

 

É inimaginável: um compositor que já não ouve a própria música. Os problemas auditivos de Beethoven começaram antes mesmo de ele fazer 30 anos. Isso ameaçou não só a sua carreira, mas também a sua vida social. Durante um tratamento em 1802, ele até teve pensamentos de suicídio. Mas o amor pela música o trouxe de volta – seguiram-se 25 anos altamente produtivos.

 

 

Suas cidades: Bonn, Viena…

 

 

 

Beethoven nasceu em Bonn, onde teve as suas primeiras atuações, incentivadores e mentores. Hoje, Bonn se considera A cidade de Beethoven, com o museu Casa de Beethoven e seu amplo arquivo, e o festival anual Beethovenfest. Aos 22 anos, Ludwig mudou-se para Viena, onde encontrou inúmeros apoiadores. Aqui ele também teve aulas de composição com Joseph Haydn. Beethoven morreu em Viena em 1827.

 

(Fonte: https://www.dw.com/pt-br – Deutsche Welle – CULTURA / MÚSICA / Por Autoria: Nadine Wojcik – 16/01/2020)

Powered by Rock Convert
Share.