“O filho começa a ficar assim meio gayzinho, leva um coro ele muda o comportamento dele. Tá certo? Já ouvi de alguns aqui, olha, ainda bem que levei umas palmadas, meu pai me ensinou a ser homem.” Jair Bolsonaro (PSL/RJ), pré-candidato a presidente e deputado federal – (Em programa da TV Câmara em novembro de 2010)

0
Powered by Rock Convert

Veja 10 frases polêmicas de Bolsonaro que o deputado considerou ‘brincadeira’

O EM reuniu algumas das declarações que ofenderam mulheres, homossexuais, negros e esquerdistas

 

Brincadeira, gafe ou crime? Condenado recentemente a pagar R$ 50 mil por danos morais à população negra e, agora, denunciado ao Supremo Tribunal (STF) pelo crime de racismo, o pré-candidato a presidente e deputado federal Jair Bolsonaro (PSL/RJ) trata a fala sobre os quilombolas que lhe rendeu os processos como “brincadeira”. Desta vez, ele disse em uma palestra que um negro não servia nem para procriar.

 

E não é a primeira frase polêmica que ele “explica” depois, como sendo apenas uma piada. O parlamentar também já foi denunciado ao STF por crime de incitação ao estupro. O motivo foi outra “brincadeira”, feita com a colega de Câmara dos Deputados, Maria do Rosário (PT/RS), que ele disse não merecer ser estuprada porque era feia. O parlamentar já foi condenado anteriormente a pagar R$ 50 mil por danos morais à população negra e R$ 150 mil por ofensas aos homossexuais.

 

Confira 10 frases polêmicas de Jair Bolsonaro que o parlamentar considera “brincadeiras”:

Negros

 

1 – “Eu fui num quilombola em Eldorado Paulista. Olha, o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano é gastado com eles.” (Em palestra no Clube Hebraica, abril de 2017).

Estupro

 

2 – “Fica aí, Maria do Rosário, fica. Há poucos dias, tu me chamou de estuprador, no Salão Verde, e eu falei que não ia estuprar você porque você não merece. Fica aqui pra ouvir.” (Em discurso na Câmara, em 2003). Ao explicar a frase: “Ela não merece (ser estuprada) porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia, não faz meu gênero, jamais a estupraria. Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar porque não merece.”

‘Coro’ no filho gay

 

3 – “O filho começa a ficar assim meio gayzinho, leva um coro ele muda o comportamento dele. Tá certo? Já ouvi de alguns aqui, olha, ainda bem que levei umas palmadas, meu pai me ensinou a ser homem.” (Em programa da TV Câmara em novembro de 2010).

Fraquejada

 

4 – “Fui com os meus três filhos, o outro foi também, foram quatro. Eu tenho o quinto também, o quinto eu dei uma fraquejada. Foram quatro homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio mulher.” (Palestra no Clube Hebraica, abril de 2017).

Promiscuidade

 

5 – “Ô Preta, eu não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco porque meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambientes como lamentavelmente é o teu.” (À Preta Gil, quando questionado sobre o que faria se seu filho se apaixonasse por uma negra. Março de 2011).

Tortura

 

6 – “Eu sou favorável à tortura, tu sabe disso.” (A um programa de TV, em 1999). E “O erro da ditadura foi torturar e não matar.” (Em entrevista no rádio, em junho de 2016).

Bater em gays

 

7 – “Não vou combater nem discriminar, mas, se eu vir dois homens se beijando na rua, vou bater.” (Em entrevista sobre uma foto do ex-presidente FHC ter posado em foto com a bandeira gay e defendido a união civil, em maio de 2002).

Fuzilamento

 

8 –  “Deveriam ter sido fuzilados uns 30 mil corrutos, a começar pelo presidente Fernando Henrique Cardoso.” (Em programa de TV, em maio de 1999).

Prostituição

 

9 – “90% desses meninos adotados vão ser homossexuais e vão ser garotos de programa com toda certeza desse casal.” (Em vídeo reproduzido no programa de Danilo Gentily, sobre adoção por casais gays).

Mulheres

 

10 – “Não é questão de gênero. Tem que botar quem dê conta do recado. Se botar as mulheres vou ter que indicar quantos afrodescendentes.” (Em entrevista em Pouso Alegre, questionado se aumentaria o número de mulheres no ministério, em março de 2018).

(Fonte: https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2018/04/14 – NOTÍCIA / POLÍTICA / Por Juliana Cipriani – 14/04/2018)

Share.