Nelson Marchezan, deputado federal (PSDB-RS), e último líder de um governo mi­litar, o de João Baptista Figueire­do, na Câmara

0
Powered by Rock Convert

Deputado federal gaúcho Nelson Marchezan

 

 

Nelson Marchezan (Santa Maria (RS), 4 de maio de 1938 – Pantano Grande (RS), 11 de fevereiro de 2002), deputado federal e presidente do PSDB no Rio Grande do Sul.

 

 

Advogado formado pela Universidade Federal de Santa Maria. Atualmente, Marchezan estava empenhado em comandar a campanha presidencial de José Serra no Rio Grande do Sul, negociando apoios que pudessem ampliar a base de sustentação ao PSDB no Estado.

 

 

Último líder de um governo mi­litar, o de João Baptista Figueire­do, na Câmara, o político, natural de Santa Maria (RS), começou sua carreira no antigo PDC.

 

 

Depois, no bipartidarismo, op­tou pela Arena. Seguiu para dois sucessores do partido, o PDS e o PPR. Quando o PPR se uniu a ou­tros partidos menores e formou o PPB, trocou a sigla pelo PSDB, em 1995. De acordo com ex-compa­nheiros seus, sua saída se deveu a discordâncias com Paulo Maluf, principal expoente da sigla.

 

 

Antes de se filiar a partidos polí­ticos, manteve militância nos movimentos estudantis, sendo eleito vereador com 21 anos pelo Partido Democrata Cristão em 1960, em Santa Maria, onde nasceu em maio de 1938, e deputado estadual aos 24. Bancário e advo­gado por formação, foi reeleito deputado federal com 52.410 vo­tos, pelo PSDB. Era um incentiva­dor da candidatura do ministro José Serra (Saúde) à Presidência.

 

Powered by Rock Convert

 

Em 1966 filiou-se à Aliança Renovadora Nacional  (Arena), continuando, em sucessivas eleições, a ocupar uma cadeira na Assembleia Legislativa até 1974, quando elegeu-se deputado federal pela primeira vez.

 

Convidado a ser vice-presidente de Tancredo Neves, preferiu continuar como líder do governo João Figueire­do até o fim. José Sarney aceitou o cargo e acabou tornando-se presidente com a morte de Tancredo Neves.

 

 

Estava em seu quinto mandato, após ter sido presidente da Câma­ra, no período 81-83. Sua carreira política incluiu cargos no Executi­vo, como o de secretário estadual do Trabalho e Ação Social Gover­no do Rio Grande do Sul (72-74) e secretário nacional de Comunica­ções (92).

 

Em 1995 rompeu com Paulo Maluf e saiu do PPR.

 

Nelson Marchezan pre­sidiu a CPI dos Medicamentos e foi autor da lei que instituiu a ren­da mínima vinculada à educação, a Bolsa-Escola.

 

Nelson Marchezan morreu em 11 de fevereiro de 2002, aos 63 anos (completaria 64 no dia 4 de maio), após sofrer um infarto fulminante.

Marchezan estava em seu sítio, no município de Pantano Grande (RS). Foi levado para um hospital, mas morreu antes de chegar. Era casado e pai de cinco filhos.

(Fonte: https://politica.estadao.com.br/noticias/geral – NOTÍCIAS / GERAL / POLÍTICA / Por Agência Estado – 11 de fev de 2002)

(Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil – BRASIL / PODER / da Agência Folha, em Porto Alegre – 11/02/2002)

Copyright Folha de S.Paulo. Todos os direitos reservados.

Powered by Rock Convert
Share.