Mário Audrá Junior, produtor de cinema, fez parte da geração que tentou implantar um projeto industrial no cinema paulista, fundador da Cinematográfica Maristela

0
Powered by Rock Convert

Pioneiro do cinema

 

Mário Audrá Junior (São Paulo, 1921 – São Paulo, 15 de setembro de 2004), produtor de cinema, fundador da Cinematográfica Maristela, que tinha como referência para suas produções o cinema europeu, um formato inédito no país.

 

 

Mário Boeiris Audrá Jr., ou simplesmente Mário Audrá, fez parte da geração que tentou implantar um projeto industrial no cinema paulista dos anos 1950.

 

 

Produtor de filmes como Magia Verde, Arara Vermelha e Casei-Me Com Um Xavante, ligou seu nome ao da empresa Maristela, cuja história contou num livro de memórias, publicado em 1997.

 

 

A Maristela foi criada na capital paulista com recursos da família Audrá em 1950 e produziu, entre seus principais filmes, “Simão, o Caolho” (1952), “O Comprador de Fazendas” (1951), e “Quem Matou Anabela?” (1956).

 

 

Powered by Rock Convert

Entre os diretores formados pelos estúdios, localizados no bairro do Jaçanã, estava o paulista Luís Sérgio Person (1936-1976). Em 1958, Audrá vende a Maristela e passa a se dedicar a uma empresa especializada em dublagem de filmes.

 

A descoberta de novos talentos foi um dos fatores que colaboraram para a construção da imagem glamourosa para companhia. Os galãs Anselmo Duarte e Randal Juliano e as atrizes Vera Nunes, Nidia Licia, Ruth de Souza e a também bailarina Ana Esmeralda, são alguns dos nomes que participam da introdução da indústria do cinema.

 

A empresa Maristela, traz cenas inéditas dos grandes clássicos da companhia como o polêmico “Presença de Anita”, de 1950, “Simão, o Caolho”, até hoje exibido em cineclubes de vários países, “Arara Vermelha”, com belas cenas rodadas às margens do rio Tietê, “Mãos Sangrentas”, que consagrou o diretor Alberto Cavalcante, entre outros.

 

 

Mário Audrá Junior contou a história dos estúdios no livro “Cinematográfica Maristela -Memórias de um Produtor”, lançado em 1997.

 

Mário Audrá Junior morreu em em São Paulo, aos 82 anos de insuficiência respiratória. Ele estava internado já há 15 dias e morreu em decorrência de falência respiratória.

(Fonte: https://cultura.estadao.com.br/noticias/cinema – NOTÍCIAS / CINEMA / CULTURA / Por Agencia Estado, 16 Setembro 2004 )

(Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrada / FOLHA DE S.PAULO – ILUSTRADA / DA REDAÇÃO – São Paulo, 16 de setembro de 2004)

Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados.

Powered by Rock Convert
Share.