Maria de Lourdes Mendes, foi uma das fundadoras da escola samba Império Serrano, Tia Maria do Jongo foi uma das maiores responsáveis por manter viva a tradição do ritmo africano no Brasil

0
Powered by Rock Convert

Tia Maria do Jongo da Serrinha

 

Ela foi uma das fundadoras da Escola de Samba Império Serrano

Maria de Lourdes Mendes (30 de dezembro de 1920 – Rio de Janeiro, em 18 de maio de 2019), foi uma das fundadoras da escola samba Império Serrano, era uma das figuras mais famosas do Morro da Serrinha, em Madureira, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

 

Neta e filha de ex-escravos, Tia Maria do Jongo recebeu o Prêmio Sim à Igualdade Racial 2019, do Instituto Identidades do Brasil, na categoria Arte em Movimento, em cerimônia no Copacabana Palace.

 

Powered by Rock Convert

Ela concorria com o ator Fabrício Boliveira e o rapper Djonga. Ao receber o prêmio, convidou a todos a conhecer a Casa do Jongo.

 

“O jongo da Serrinha agradece e terá um grande prazer, se vocês um dia puderem passar uma tarde com a gente lá. O jongo é bom. Vocês vão gostar”, disse Tia Maria.

 

Ela foi uma das maiores responsáveis por manter viva a tradição do ritmo africano no Brasil.

Responsável por manter vivo e transmitir às novas gerações os ensinamentos trazidos à cidade no século XIX por escravos bantos, que tiveram grande influência na criação do samba, Tia Maria era muito conhecida e respeitada.

Filha de músicos vindos de Minas Gerais para o Morro da Serrinha ela cresceu em meio a festas que o pai Zacarias dava no quintal de casa. Viúva, tinha deixado a Serrinha e morava com o filho, Ivo Mendes.

Fundadora da Império Serrano

 

Filha do pioneiro Zacarias e de Etelvina, teve nove irmãos que, juntos, fundaram a Escola de Samba Império Serrano, em 1947. Entre eles, Sebastião Molequinho,Tia Eulália, Dona Conceição e João Gradim.

Em 1977, foi convidada por Mestre Darcy para entrar no grupo Jongo da Serrinha. A partir daí, nunca mais parou. Nos últimos anos, sua casa tornou-se o local de confraternização do grupo, que ensaia e festeja antigas tradições como a feijoada em homenagem aos pretos-velhos no dia 13 de maio, a distribuição de doces de São Cosme Damião.

De alguns anos para cá, Tia Maria passou a compor pontos de jongo e a cantar nas apresentações. Sem muito estudo, pois começou a trabalhar com 11 anos de idade, é dona de uma imensa sabedoria.

Tia Maria do Jongo faleceu aos 98 anos, no Rio de Janeiro, em 18 de maio de 2019.
Ela passou mal e foi levada para o Posto de Atendimento Médico (PAM) de Irajá, na Zona Norte.

(Fonte: https://www.jb.com.br/cultura/2019/05 – Jornal do Brasil / CULTURA – ARTE E CULTURA – 18/05/2019)

(Fonte: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2019/05/18 – CARNAVAL 2019 / RIO DE JANEIRO / NOTÍCIA / Por Alba Valéria Mendonça e Flávia Jácomo, G1 Rio e TV Globo – 18/05/2019)

Powered by Rock Convert
Share.