Lucia Bosè, trabalhou com diretores espanhóis e italianos, como Mauro Bolognini (“Metello”) e Federico Fellini (“Satyricon”)

0
Powered by Rock Convert

Lucia Bosè, atriz e modelo italiana

 

Atriz e modelo ficou conhecida por papéis em filmes de Antonioni, Buñuel e Fellini.

 

 

Lucia Bosè (Milão, 28 de janeiro de 1931 – Segóvia, 23 de março de 2020), atriz italiana conhecida por seus papéis em filmes de Antonioni, Buñuel e Fellini.

 

 

A atriz italiana Lucia Bosè, que estrelou clássicos europeus das décadas de 1950 e 1960, se projetou graças à sua indiscutível beleza, ao vencer o concurso Miss Itália em 1947. Três anos depois, o grande cineasta Michelangelo Antonioni a lançou como atriz em “Crônicas de um Amor” (1950). Ela voltaria a trabalhar com o mestre italiano em “A Dama sem Camélias” (1953).

 

Atriz e modelo, Lucia Bosè nasceu em Milão em janeiro de 1931 e foi Miss Itália em 1947.

 

 

Carreira no cinema

Com menos de 20 anos, atuou em “Escândalo de Amor”, de Michelangelo Antonioni, um dos grandes mestres do neorrealismo italiano, com quem voltou a trabalhar em “A dama sem camélias” (1953).

Powered by Rock Convert

Em 1955, foi foi escalada para “A morte de um ciclista”, dirigido por Juan Antonio Bardem, e “Assim é a aurora”, de Luis Buñuel.

O ano de 1955 foi um marco para Bosè, com seus papéis em “A Morte de um Ciclista”, de Juan Antonio Bardem, e “Assim É a Aurora”, do mestre surrealista Luis Buñuel. Também foi o ano que marcou o seu casamento com o toureiro espanhol Luis Miguel Dominguín, com quem teve três filhos, incluindo Miguel.

Nesse mesmo ano, casou-se com o toureiro espanhol Luis Miguel Dominguín, com quem teve três filhos: o cantor Miguel Bosé, a empresária Lucia Bosè e a atriz e estilista Paola Dominguín.

Durante seu casamento, a atriz parou sua carreira, mas a retomou em 1967, após seu divórcio. Ela trabalhou com diretores espanhóis e italianos, como Mauro Bolognini (“Metello”) e Federico Fellini (“Satyricon”).

 

O casamento fez a atriz se afastar das telas. Ela só retornou em 1967, após o divórcio, numa retomada que incluiu clássicos como “Sob o Signo de Escorpião” (1969), dos irmãos Taviani, “Satyricon de Fellini” (1969), do gênio Federico Fellini, “A Força do Diabo” (1973), de Jorge Grau, e “Crônica de uma Morte Anunciada” (1987), de Francesco Rosi.

Seu último papel foi como protagonista do drama independente “One More Time”, em 2013.

Lucia faleceu em 23 de março de 2020 na Espanha aos 89 anos, em Segóvia, a cerca de 100 km ao norte de Madri, em decorrência de uma pneumonia.

(Fonte: https://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2020/03/23 – POP & ARTE / CINEMA / NOTÍCIA / Por France Presse – 23/03/2020)

(Fonte: https://www.msn.com/pt-br/entretenimento/noticias – ENTRETENIMENTO / NOTÍCIAS / Por Marcel Plasse – 23/03/2020)

Powered by Rock Convert
Share.