Lee Kun-hee, empresário que transformou a Samsung Electronics numa gigante global de tecnologia, ajudou a transformar o negócio de seu pai no maior conglomerado sul-coreano

0
Powered by Rock Convert

Presidente da Samsung Electronics

 

Lee Kun-hee, magnata que transformou a Samsung numa gigante global de tecnologia

 

 

O presidente da Samsung Electronics, Lee-Kun-hee, encontra-se com repórteres após visitar o conglomerado da gigante de tecnologia. (Foto: Steve Marcus / Reuters/12/01/2012)

 

 

Empresário sul-coreano transformou a Samsung em um dos maiores conglomerados de tecnologia do mundo.

 

 

Lee Kun-hee (Uiryung, Coreia do Sul, 9 de janeiro de 1942 – 25 de outubro de 2020), presidente da empresa de tecnologia Samsung Electronics, o maior conglomerado da Coreia do Sul, ficou conhecido por ser um dos maiores líderes empresarias da Ásia, tendo influência em todo continente.

 

Lee Kun-hee é presidente da Grupo Samsung, maior empresa da Coréia do Sul e uma das maiores marcas de tecnologia do mundo, avaliada em cerca de US$ 50 bilhões. Ele é um dos principais responsáveis pelo crescimento da empresa, principalmente por ter aproveitado os efeitos da globalização a favor de seu negócio.

 

Formado em economia, Kun-hee foi o grande responsável pela Samsung se tornar uma das principais empresas de tecnologia do mundo, chegando ao ponto de responder a 20% PIB da Coreia do Sul.

 

Durante a gestão de Lee Kun-hee, a Samsung passou de fabricante de TV de segunda linha a maior empresa de tecnologia do mundo em receita — eliminando as marcas japonesas Sony, Sharp e Panasonic em chips, TVs e monitores; acabando com a supremacia dos celulares da Nokia e vencendo a Apple em smartphones.

 

Lee, ajudou a transformar o negócio de comércio de macarrão de seu pai, Lee Byung-chul, em uma potência, com dezenas de afiliadas que vão desde eletrônicos e seguros até construção naval.

 

Kun-hee, o terceiro filho do fundador da Samsung, Lee Byung-chul (1910–1987), ajudou a transformar o negócio de seu pai no maior conglomerado sul-coreano.

 

Desde que assumiu a liderança, ele acompanhou a transição da Samsung como fabricante de televisores rumo à maior produtora de smartphones e chips de memória. Com isso, o magnata virou o dono da maior fortuna da Coreia do Sul, estimada em mais de US$ 20 bilhões, de acordo com a Forbes.

 

Além da Samsung, Lee é conhecido por fazer parte do Comitê Olímpico Internacional (COI), tendo sido responsável direto em levar as Olimpíadas de Inverno de 2018 para Coreia do Sul.

 

Trajetória de Lee Kun-hee

 

Lee Kun-hee nasceu no dia 9 de janeiro de 1942, na cidade de Uiryeong-gun, Coreia do Sul. Ele é o terceiro filho de Lee Byung Chull, homem que fundou a Samsung no final dos anos 30, e que iniciou sua trajetória como uma modesta empresa voltada para vendas de peixe seco à China.

 

Após terminar o colegial, Lee ingressou no curso de economia pela Universidade Waseda, no Japão. Posteriormente, ele concluiria também um MBA no Estados Unidos, estudando na Universidade George Washington.

 

Desde muito cedo, sua carreira esteve ligada à Samsung, sendo que, ainda jovem, já tinha influência direta em algumas áreas da empresa. Principalmente, em setores ligados a inovação.

 

Contudo, Kun-hee só começou a aparecer para o mercado quando assumiu o posto de presidência da organização, em 1987.

oexploradorPowered by Rock Convert

 

Durante a década de 90, boa parte das empresas de tecnologia da Ásia se baseavam no modelo japonês, que prezava pela eficiência acima da qualidade.

 

Uma das primeiras mudanças que o executivo implementou ao chegar ao posto de liderança foi diversificar seu grupo de funcionários, contratando colaboradores nascidos em outros países.

 

O que fez a Samsung se destacar ante tantas outras foi exatamente buscar no ocidente inspiração para seu modelo de produção. O grande responsável por está mudança foi o próprio Lee.

 

Em um caso famoso, o empresário fez com que seus funcionários jogassem mais de 150 mil telefones com defeitos em uma fogueira, em uma ação simbólica que demostrava uma mudança de filosofia dentro da empresa.

 

Lee foi o grande nome na internacionalização do grupo. Além de tornar a multinacional asiática uma concorrente direta a outras gigantes do setor de tecnologia, contudo, a figura do empresário é controversa.

 

Polêmicas envolvendo Lee Kun-hee

 

Em 2008, Kun-hee foi condenado a sete anos de prisão e uma multa de US$350 milhões pelos crimes de corrupção e sonegação de impostos. Na época, ele deixou a presidência da Samsung.

 

Contudo, o empresário acabou fechando um acordo em que teve que pagar US$ 100 milhões do total, além de não ser preso. E, em 2010, retornou ao posto de liderança da multinacional.

 

No mesmo ano,  um ex-diretor seu publicou o  livro Think Samsung, que contava histórias casos de corrupção e crimes envolvendo a multinacional e seu presidente.

 

Na ocisão, ele acusou Lee de desviar cerca de US$ 10 bilhões das subsidiárias da empresa, além de ter pagado para que políticos do alto escalão abafassem o caso.

 

Lee Kun-hee se posiciona como um dos principais empresários de tecnologia do mundo, ao lado de nomes como o de Bill Gates, fundador da Microsoft, um dos ícones do setor.

Crescimento da empresa e problemas na Justiça

Nascido em janeiro de 1942, Lee ajudou a transformar a pequena empresa de seu pai, Lee Byung-chull, no maior conglomerado sul-coreano. Desde que assumiu a liderança da companhia em 1987, ele acompanhou a transição da Samsung como fabricante de televisores rumo à maior produtora de smartphones e chips de memória.

Com isso, o magnata se tornou o homem mais rico da Coreia do Sul, com fortuna estimada em US$ 20,7 bilhões, segundo a Bloomberg.

Lee também se envolveu em problemas com a Justiça envolvendo pagamentos de propinas a ex-presidentes. Um deles, Lee Myung-bak, que governou a Coreia do Sul entre 2008 e 2013, foi condenado em 2018 a 15 anos de prisão por aceitar US$ 5,4 milhões de propinas da Samsung para conceder perdão ao chefe da empresa por sonegação de impostos.
Um dos filhos de Lee Kun-hee, Lee Jae-yong tomou o controle da empresa sem que o pai deixasse a presidência por causa da doença e também se envolveu em problemas na Justiça. O herdeiro foi condenado em 2017 a 5 anos de prisão por pagamento de propinas a outra ex-presidente, Park Geun-hye, que sofreu impeachment. Ele deixou a prisão no ano seguinte.

As relações de Lee com o poder da Coreia do Sul transformaram a Samsung em uma das maiores impulsionadoras do desenvolvimento econômico do país asiático: sozinha, a empresa de tecnologia responde por 20% do capital na maior bolsa de valores sul-coreana.

“O presidente Lee foi um verdadeiro visionário que transformou a Samsung em líder mundial de inovação e potência industrial. Sua declaração de ‘Nova Administração’ em 1993 foi a motivação para a visão da empresa de fornecer a melhor tecnologia para ajudar no avanço da sociedade global”, disse a Samsung. “Seu legado será eterno.”

 

Lee é o mais recente líder de segunda geração de um conglomerado controlado por uma família sul-coreana, à deixar questões espinhosas de sucessão para a terceira geração.

 

Lee Kun-hee faleceu em 25 de outubro de 2020, informou a companhia da Coreia do Sul. O empresário tinha 78 anos e faleceu ao lado da família, incluindo seu filho, o vice-presidente da Samsung, Jay Y. Lee.

Ele foi hospitalizado em Seul em maio de 2014, quando sofreu ataque cardíaco. Lee, então, recebeu um procedimento para evitar a geração de material tóxico nos vasos sanguíneos ao desacelerar o metabolismo. Na década de 1990, o magnata se recuperou de um câncer pulmonar.

(Fonte: https://www.terra.com.br/noticias/tecnologia – NOTÍCIAS / TECNOLOGIA / SEUL / por / REUTERS e EFE – 24 OUT 2020)

(Fonte: https://g1.globo.com/economia/tecnologia/noticia/2020/10/24 – ECONOMIA / TECNOLOGIA / Por G1 – 24/10/2020)

(Fonte: https://www.sunoresearch.com.br)

(Fonte: Zero Hora – ANO 57 – N° 19.851 – 26 OUTUBRO 2020 – MEMÓRIA / TRIBUTO – Pág: 23)

Powered by Rock Convert
Share.