José Tarciso de Sousa, ex-atacante tricolor, mais conhecido como Tarciso Flecha Negra, ele é o 2° maior artilheiro da história do Grêmio e estava no 3° mandato de vereador em Porto Alegre

0

Segundo maior artilheiro do Grêmio

Tarciso estava no terceiro mandato como vereador em Porto Alegre

 

 

José Tarciso de Sousa, mais conhecido como Tarciso Flecha Negra

Ex-atacante Tarciso, foi um dos maiores ídolos da história do Grêmio. (Foto: Beto Azambuja / GloboEsporte.com)

Tarciso, foi um dos maiores ídolos da história do Grêmio

 

Ídolo do Grêmio nos anos 70 e 80, atacante Tarciso foi apelidado de ‘Flecha Negra’, atleta fez história no Tricolor gaúcho, período em que ganhou 5 Estaduais, 1 Brasileiro, 1 Libertadores e 1 Mundial interclubes

 

 

 

José Tarciso de Sousa (São Geraldo (MG), 15 de setembro de 1951 – 5 de dezembro de 2018), ex-atacante tricolor gaúcho nas décadas de 1970 e 1980, mais conhecido como Tarciso Flecha Negra, ele é o segundo maior artilheiro da história do Grêmio e estava no terceiro mandato de vereador em Porto Alegre.

 

Tarciso era natural de São Geraldo, interior de Minas Gerais, iniciou a carreira no América-RJ. Foi no futebol gaúcho, porém, que deslanchou. Chegou ao Grêmio em 1973 e defendeu as cores azul, preto e branca por mais de uma década, até 1986.

 

Histórico ponta-direita do Grêmio, o ex-atleta nasceu em São Geraldo, no interior de Minas Gerais, mas deu início a sua carreira no futebol no Rio de Janeiro, com a camisa do América, em 1970, ainda como centroavante. Três anos depois, transferiu-se para Porto Alegre, onde passou a atuar pelo lado do campo.

 

No Rio Grande do Sul, fez história. Tanto que ostenta um recorde invejável: foi o jogador que mais vestiu a camisa tricolor, com incríveis 721 jogos pelo clube, ao longo de 13 anos — de 1973 a 1985. Além disso, Tarciso marcou 226 gols e conquistou títulos marcantes, como o Campeonato Brasileiro de 1981, a Libertadores de 1983 e o Mundial daquele mesmo ano. Foram também cinco títulos gaúchos como jogador gremista.

Como o próprio apelido sugere, Flecha Negra era um atleta habilidoso e extremamente veloz. Mas ele sofreu quando chegou ao clube. Passou quatro temporadas na capital gaúcha apanhando de Elias Figueroa, zagueiro e ídolo colorado à época.
Inclusive, de um clássico Gre-Nal em que o cotovelo do chileno acertou o seu nariz e, depois, levou outra pancada do ex-atleta colorado. Quando foi até o árbitro suplicar por um cartão ao adversário, ouviu apenas um: “Vai jogar!”

— Figueroa tinha muito moral com a imprensa. Com os árbitros, se impunha no grito. O Grêmio, ao contrário, evitava polêmicas. Se nos deixassem quietos, já estava bom. Aquilo já fazia com que entrássemos inferiorizados nos clássicos — contou Tarciso em certa ocasião.

Diante de tantos títulos expressivos que conquistou com a camisa gremista, se pudesse destacar apenas um deles, seria o Gauchão de 1977. O Inter vinha de oito títulos estaduais consecutivos e, na final, era favorito a erguer a taça dentro do Estádio Olímpico. Quando a partida estava 0 a 0, o atacante teve a chance de colocar a equipe em vantagem em uma cobrança de pênalti, mas perdeu. Imaginou que a tragédia estava anunciada, mas ouviu do velho amigo André Catimba, centroavante do Grêmio naquela decisão:

— Vamos ser campeões, e eu vou fazer o gol.

Vinte minutos depois a profecia do seu companheiro de ataque se confirmou: Grêmio 1 a 0 e, enfim, campeão. Um título que ficou marcado na lembrança de Tarciso:

— Essa conquista mudou a vida do Grêmio. E também modificou a minha vida.

Vida essa que se mistura com o Tricolor até mesmo na data de nascimento. Se o Grêmio foi fundado em 15 de setembro de 1903, Tarciso nasceu 48 depois, no mesmo dia, para tornar-se um dos jogadores mais vitoriosos da história do Imortal Tricolor — que, agora, lembrará da flecha que por mais tempo honrou o manto azul, branco e preto.

Autor de 222 gols em 721 partidas pelo Grêmio, Tarciso chegou a Porto Alegre egresso do América-RJ e ficou no clube entre os anos de 1973 e 1986. Depois jogou por Goiás, Cerro Porteño, Coritiba, Goiânia e encerrou a carreira no São José-POA, em 1990.

 

Na história do Grêmio, apenas Alcindo marcou mais gols que Tarciso. Foram 231 gols do atacante que atuou de 1964 a 1972 no clube e voltou em 1977.

 

É o recordista de jogos com a camisa do Grêmio, com 721 partidas. Em número de gols, só perde para Alcindo, que marcou 264. Conquistou ainda o Brasileiro de 1981 e cinco campeonatos gaúchos (1977,1979,1980,1985,1986).

 

No currículo do “Flecha Negra” estão os títulos do Brasileiro de 1981, Libertadores de 1983 e Mundial de Clubes do mesmo ano. Também participou da conquista de cinco edições do Campeonato Gaúcho.

 

José Tarciso de Sousa é o jogador que mais atuou pelo clube gaúcho.

 

A vida pública de Tarciso se iniciou em 2008 e teve com reeleição em 2012 e 2016. Passou pelo PDT e atualmente estava no PSD.

Em 2017, Tarciso participou do programa Cardápio do Zé, com o jornalista José Alberto Andrade.
Tarciso morreu em 5 de dezembro de 2018, no Hospital São Lucas da PUCRS com quadro de tumor ósseo. Ele tinha 67 anos.
(Fonte: https://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2018/12/05 – FUTEBOL / ÚLTIMAS NOTÍCIAS / Por Jeremias Wernek Do UOL, em Porto Alegre – 05/12/2018)
(Fonte: https://globoesporte.globo.com/rs/futebol/times/gremio/noticia – FUTEBOL / TIMES / NOTÍCIA / Por GloboEsporte.com — Porto Alegre – 05/12/2018)
Share.