João Ricardo Moderno, presidente da Academia Brasileira de Filosofia (ABF), foi apresentado como um dos maiores filósofos do mundo quando recebeu o título de doutor honoris causa pela Universidade Soka, em Tóquio

0

João Ricardo Moderno, presidente da Academia Brasileira de Filosofia

 

 

Dr. João Ricardo Moderno, presidente da Academia Brasileira de Filosofia (Foto: Guito Moreto / Agência O Globo)

 

 

João Ricardo Moderno (1955-2018), filósofo, professor, artística plástico e jornalista, presidente da Academia Brasileira de Filosofia (ABF)

 

 

João Ricardo Moderno era filósofo e jornalista. Ele trabalhou e colaborou com O Pasquim, Tribuna da Imprensa, O Dia e Jornal do Brasil, além de publicações dedicadas a arte. Também era comentarista de televisão e rádio.

João Ricardo Moderno, foi apresentado como um dos maiores filósofos do mundo quando recebeu o título de doutor honoris causa pela Universidade Soka, em Tóquio. Professor, fotógrafo e jornalista, Moderno também foi um dos expoentes da chamada Geração MAM, um reconhecimento às suas obras como artista plástico.

 

 

A vida acadêmica de Moderno, que era mestre e doutor em Filosofia pela Universidade Paris-Sorbonne, começou em 1977, como bacharel em Comunicação Social.

 

 

 

Já o seu lado artístico se revelou quando ainda era aluno do Museu de Arte Moderna do Rio (MAM), em 1970. Desde então, teve obras expostas em museus brasileiros e em galerias pelo mundo.

 

 

 

No jornalismo, trabalhou e colaborou para os jornais “O Pasquim”, “Tribuna da Imprensa”, “O Dia” e “Jornal do Brasil”. Foi autor de dezenas de livros, individualmente, escrevendo capítulos em obras coletivas ou traduções.

 

 

Moderno recebeu a medalha da Ordem do Mérito Militar do Comando do Exército Brasileiro. Foi condecorado comendador da Ordem do Mérito Aeronáutico, do Comando da Aeronáutica Brasileira — Presidência da República. E recebeu o Medalhão Bicentenário de Nascimento do General Manoel Luís Osório (Marquês do Herval) do Exército Brasileiro e a Grande Medalha de Honra da Academia Brasileira de Belas-Artes.

 

O professor recebeu vários títulos, como a Grande Medalha de Honra da Academia Brasileira de Belas Artes e a Medalha da Ordem do Mérito Militar do Comando do Exército Brasileiro.

João Ricardo Moderno, de 66 anos, sofreu uma parada cardiorrespiratória em 6 de novembro de 2018.

Moderno sofreu uma parada cardiorrespiratória quando estava dentro de um avião, no Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio.

O professor estava a caminho de Brasília, onde participaria de uma reunião com a equipe de transição do presidente eleito, Jair Bolsonaro. Moderno vinha auxiliando os projetos da pasta da Educação do próximo governo – seu nome era cotado para assumir a Reitoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

 

Em nota, a Academia Brasileiro de Filosofia (ABF) diz que Moderno “deixa saudades”.

 

“Sua personalidade afável, brincalhona, cercou-o de amigos; eram habituais os encontros destes para uma cerveja e boa conversa, tendo sempre João Ricardo Moderno como centro. Deixa saudades muitas. Sua morte de muito empobrece o ambiente cultural brasileiro. Moderno mostrou-nos a importância da atividade filosófica, em sua vertente teórica – e em sua inesperada relevância para a vida prática”, diz em nota.

Por meio de nota, o governador eleito do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, lamentou o falecimento do professor. Segundo o texto, Moderno colaborou no início da montagem do plano de governo do futuro executivo estadual.

(Fonte: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2018/11/06 – NOTÍCIA / Por G1 Rio – 06/11/2018)
Share.