James Garner, conquistou a fama na TV com o irônico e descontraído Bret Maverick na série de cowboys “Maverick”

0
Powered by Rock Convert

Conhecido pelas séries de televisão ‘Maverick’ e ‘The Rockford Files’

James Garner em foto de 2005 - (Foto: LUCY NICHOLSON / REUTERS)

James Garner em foto de 2005 – (Foto: LUCY NICHOLSON / REUTERS)

 

James Garner (Norman, Oklahoma, 7 de abril de 1928 – Brentwood, Los Angeles, 19 de julho de 2014), ator americano que teve uma carreira de mais de 6 décadas, ficou conhecido por seus papéis no cinema e na TV.

Garner conquistou a fama na televisão com o irônico e descontraído Bret Maverick na série de cowboys “Maverick”, exibida entre 1957 e 1960, e que incluiu participações especiais de nomes como Clint Eastwood e Roger Moore.

Na década de 1970, Garner interpretou o detetive James Rockford na série “The Rockford Files” (1974-1980, “Arquivo Confidencial” no Brasil), papel pelo qual ganhou um Emmy (1977).

Garner também esteve nos cinemas em “The Great Escape” (1963, “Fugindo do Inferno”),  de John Sturges, com Steve McQueen; ‘The Americanization of Emily’ (1964, “Não Podes Comprar Meu Amor”), de Arthur Miller, e ‘Victor Victoria’ (1982, “Victor ou Victória”), de Blake Edwards, ambos com Julie Andrews; e a comédia romântica ‘Murphy’s Romance’ (1985, “O Romance de Murphy” ), para o qual foi indicado ao Oscar.

Três anos depois, chegou a ser indicado para o Oscar por sua performance na comédia romântica “O romance de Murphy” (1985), de Martin Ritt, no qual contracenou com Sally Field.

Ele também estrelou a versão cinematográfica de “Maverick”, em 1994, ao lado de Mel Gibson e Jodie Foster.

Mais recentemente participou em “Cowboys do Espaço” (2000), de Eastwood, e “The Notebook” (2004), e na série cômica “8 Simple Rules for Dating My Daughter” (2003-2005).

James Scott Bumgarner nasceu em Norman, Oklahoma, em abril de 1928, deixou a escola e entrou para a Marinha Mercante no final da Segunda Guerra Mundial.

Em seguida, alistou-se no exército e participou da Guerra da Coreia, onde foi ferido duas vezes. Ele começou a atuar depois de ser incentivado por um amigo a participar de comerciais de televisão.

oexploradorPowered by Rock Convert

James Garner encantou gerações de expectadores na TV e no cinema com seu charme viril e sorriso franco. E tudo começou em 1957, quando já tinha 29 anos e interpretou um certo Brett Maverick numa série de western sobre jogador que saltava de cidade em cidade no Velho Oeste, plantando confusões e procurando aventuras. Maverick – também o nome da série – seria o almofadinha do western, se o título não fosse disputado por outro herói seu contemporâneo, em outra série, o Bat Masterson de Gene Barry.

Daquele tempo também era Rawhide, com Clint Eastwood, que chegou a aparecer como convidados em episódios de Maverick – isso antes de ir para a Itália estrelar os spaghetti westerns operísticos de Sergio Leone.

O físico atlético ajudou e James Garner ganhou o papel de Maverick, na série que foi ao ar entre 1957 e 61. O sucesso prosseguiu no cinema com Fugindo do Inferno, de John Sturges, também com Steve McQueen, de 1963. Desde Infância, de William Wyler, de 1961, também com Audrey Hepburn e Shirley MacLaine, já vinha fazendo protagonistas.

Foi um piloto de automobilismo em Grand Prix, de John Franbkenheimer, e voltou ao Velho Oeste em Duelo em Diablo Canyon, de Ralph Nelson, e A Hora da Pistola, de novo com John Sturges. Com Julie Andrews, fez a comédia Não Podes Comprar Meu Amor, de Arthur Miller. Durante boa parte a projeção, Garner duvidava da própria virilidade, como se Edwards estivesse pegando garota em Quanto Mais Quente, Melhor, de Billy Wilder, com sua frase antológica – ‘Ninguém é perfeito’.

Em 1994, fez o papel de um delegado na versão para cinema de Maverick, com Mel Gibson e Jodie Foster. Seis anos mais tarde, foi um dos velhos caubóis do espaço de Clint Eastwood. Já consagrado no cinema, James Garner voltou à televisão nos anos 1970 e ganhou o Emmy, equivalente ao Oscar, como o detetive Jim Rockford da série Arquivo Confidencial. James Garner concorreu ao prêmio da Academia em 1985, por O Romance de Murphy, de Martin Ritt (1914-1990).

James Garner (de chapéu) ao lado de Julie Andrews e Robert Preston no filme 'Victor ou Victoria', de 1982 - (Foto: Divulgação)

James Garner (de chapéu) ao lado de Julie Andrews e Robert Preston no filme ‘Victor ou Victoria’, de 1982 – (Foto: Divulgação)

Depois de seus grandes filmes políticos nos anos 1960 e 1970 – Hombre, Ver-Te-Ei no Inferno, A Grande Esperança Branca e Lágrimas de Esperança -, o diretor fez esse pequeno filme que, na época, chegou a ser chamado de reacionário, pelo retrato afetivo que Ritt fazia da América interiorana e profunda.

A revista “People” descreveu Garner como “um dos atores mais queridos do cinema de Hollywood e da televisão”.

Ele foi nomeado ao Oscar em 1985, por “Murphy’s Romance”. Manteve-se em atividade até seus 70 anos.

James Garner morreu aos 86 anos, dia 19 de julho de 2014, em Brentwood, em Los Angeles, de causas naturais.

(Fonte: http://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2014/07 – POP & ARTE  -CINEMA – Do G1, em São Paulo – 20/07/2014)

(Fonte:  http://cultura.estadao.com.br/noticias/cinema – 1531482 – CULTURA – CINEMA/ Por Luiz Carlos Merten – O ESTADO DE S.PAULO – 20 Julho 2014)

GRUPO ESTADO | COPYRIGHT © 2007-2016 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Powered by Rock Convert
Share.