Herb Trimpe, desenhista conhecido por seu trabalho na revista do Hulk

0
Powered by Rock Convert

Um dos artistas que mais desenharam séries de quadrinhos na Marvel Comics nos anos 1970 e 1980

 

Veterano desenhista Herb Trimpe (Foto: Divulgação)

 

Herbert William “Herb” Trimpe (Peekskill, Nova York, 26 de maio de 1939 – Hurley, Nova York, 13 de abril de 2015), desenhista conhecido por seu trabalho na revista do Hulk, foi um dos artistas que mais desenharam séries de quadrinhos na Marvel Comics nos anos 1970 e 1980. O artista teve a honra de desenhar nada menos do que a estreia do Wolverine nos títulos da Marvel, em 1974, na edição N° 181 do título “O Incrível Hulk”.

Herbert W. Trimpe nasceu no dia 26 de maio de 1939, em Peekskill, Nova York, iniciou pra valer sua carreira nos quadrinhos em 1966, após dar baixa do serviço militar americano, onde serviu na Força Aérea Americana. Trimpe já havia feito o desenho de uma edição para a Dell Comics em 1962, além da arte-final de outra revista para a Western Publishing em 1963 e resolveu tentar a sorte novamente na área. Ao enviar algumas amostras de seu trabalho para a Marvel, acabou contratado pela editora antes que tivesse chance de tentar a sorte em outras empresas.

Fazendo a princípio arte-final em esquema freelancer, em 1967 ele desenharia sua primeira história, na série “Kid Colt Westerns”, e no ano seguinte, após fazer uma edição ou outra dos títulos da editora, assumiria pela primeira vez como desenhista regular de um título, a revista “The Incredible Hulk”, onde ficaria até 1975, tendo desenhado as edições 106 a 142, e 145 a 193 do Golias Esmeralda. Ao mesmo tempo, ele também passou a ser desenhista de algumas das edições da revista do Homem de Ferro.

Depois de terminar o ginásio, estudou durante três anos na School of Visual Arts. Foi assistente de um de seus professores, o desenhista Tom Gill, fazendo arte-final dos fundos dos desenhos para revistas de faroeste da editora Dell Comics e algumas adaptações de filmes, como a HQ Viagem ao centro da Terra.

Suas influências iniciais foram os quadrinhos de Walt Disney, particularmente o material de Carl Barks; as histórias do Homem-Borracha, de Jack Cole; e o trabalho de Jack Davis, na E.C. Comics.

Entre 1962 e 1966, Trimpe fez parte da Força Aérea americana, como um meteorologista dando suporte para a 1ª Divisão de Cavalaria Aérea, que atuava na Guerra do Vietnã, fazendo a movimentação das tropas com helicópteros.

Quando terminou o serviço militar, em outubro de 1966, procurou John Verpoorten (1940-1977), que era seu colega de classe da época da School of Visual Arts e que trabalhava no departamento de produção da Marvel Comics, e arranjou um emprego.

Inicialmente trabalhou no departamento de produção, sob o comando de Sol Brodsky, depois passou a atuar como desenhista e arte-finalista freelancer, fazendo faroestes como Kid Colt, Outlaw. Ele é o cocriador, junto com Gary Friedrich, do aviador Phantom Eagle, que surgiu na revista Marvel Super-Heroes # 16, em setembro de 1968.

Trimpe foi ainda o cocriador do Capitão Bretanha (com Chris Claremont); Psylocke (também com Claremont); Dr. Sansão (com Roy Thomas), Jim Wilson (também com Thomas), amigo do Hulk e de Rick Jones; o Mortalha (com Steve Englehart), os Caça-Hulk (com Archie Goodwin e Chris Claremont), Jarella (com Harlan Ellison e Thomas); e foi o primeiro desenhista do Wolverine, personagem criado por Roy Thomas, Len Wein e John Romita Sr. e que surgiu como Arma-X, em The Incredible Hulk # 180 e # 181.

O original da capa de The Incredible Hulk # 181, de 1974, que mostra o confronto entre o Hulk e Wolverine, ilustrada por Trimpe, com arte-final de Jack Abel, foi vendido num leilão, em 2014, por 657.250,00 dólares.

Em 1968, Trimpe assumiu os desenhos da revista The Incredible Hulk. Ele ficou no título até 1975. Esse é o seu trabalho mais famoso e, além de desenhar, ele chegou a elaborar parte dos enredos, junto com os diversos roteiristas do título.

 

Em 1968, Trimpe assumiu os desenhos da revista The Incredible Hulk

 

O artista participou de um momento importante da Marvel Comics – quando Stan Lee e a “Casa das Ideias” estavam ganhando muita popularidade entre os leitores colegiais e universitários -, em 1971, quando desenhou o Hulk para a capa de uma edição da revista Rolling Stones.

oexploradorPowered by Rock Convert

Ele ilustrou uma HQ do Homem-Formiga – publicada em Marvel Feature # 6, em novembro de 1972 -, cuja arte-final foi feita por seu irmão, Mike Trimpe.

Outras revistas ilustradas por Trimpe incluem G.I. Joe; Os Defensores; Star Wars; Capitão América; Thor; Homem de Ferro; Peter Parker, The Spectacular Spider-Man; Quarteto Fantástico; Astonishing Tales (histórias de Ka-Zar); Nick Fury, Agente da S.H.I.E.L.D.; Killraven; Rawhide Kid; Marvel Team-Up; Homem-Máquina; Godzilla; Shogun Warriors; As Aventuras de Indiana Jones; Os Transformers; Fantastic Four Unlimited; e, recentemente, B.P.R.D. (Dark Horse Comics), Dinosaurs Attack (IDW Publishing) e Savage Dragon, da Image Comics.

Trimpe também desenhou aventuras de séries de personagens licenciados pela Marvel, como Transformers; G. I. Joe (Comandos em Ação); Robocop; Shogun Warriors; Indiana Jones; Planeta dos Macacos; Guerra nas Estrelas, entre outros. Seu estilo de traço polido e competente servia para ilustrar praticamente qualquer título que lhe caísse nas mãos, o que o fez ser um dos principais nomes da Marvel nos anos 1970 e anos 1980. Mas o artista também fez trabalhos para outras editoras, em anos mais recentes, após deixar a Casa das Ideias, como a Dark Horse, Image Comics, IDW, entre outras empresas. Um de seus últimos trabalhos foi em uma das histórias publicadas na edição 200 de Savage Dragon, lançada no ano passado pela Image Comics.

Mas Herb Trimpe é lembrado mesmo pelos anos que passou desenhando a série regular do Incrível Hulk. Seu estilo de arte definiu o Golias Esmeralda nos quadrinhos da Marvel, enquanto ele criou, em parceria com os roteiristas, personagens que se tornaram parte importante da mitologia do Universo do Hulk, como Jim Wilson (sobrinho de Sam Wilson, o Falcão, parceiro do Capitão América); o Dr. Leonard Samson, que se tornaria o herói Doc Sansom; o monstro branco carnívoro Wendigo; o monstro elétrico Zzzax; além daquela cuja morte nunca foi esquecida pelo Hulk, sua amada Jarella; e também da Unidade Caça-Hulk (Hulkbuster, no original), um grupo especial do exército americano com o objetivo de deter o Golias Esmeralda de uma vez por todas.

E, claro, por ter sido o desenhista da primeira aparição daquele que viria a ser um dos mais populares heróis da Marvel anos depois, o Wolverine, surgido inicialmente como coadjuvante em uma história do Hulk, onde ele é o antagonista do herói esmeralda. Muitos atribuem a ele ser o co-criador do personagem, mas Herb afirmou que apenas desenhou o personagem de acordo com o esboço inicial criado por John Romita, esclarecendo que não teve participação na criação do personagem. O artista tomaria parte da criação de outros personagens do Universo Marvel, como o herói sombrio Mortalha, o herói inglês Capitão Britânia, e sua irmã Psylocke, além do personagem Phantom Eagle (Águia Fantasma, em português).

Em 1991, ele desenhou algumas HQs junto com seu filho Alexander Spurlock Trimpe, incluindo: Robocop # 11, The Mighty Thor Annual # 16 e Fantastic Four Unlimited # 3. Ainda na década de 1990, ele foi demitido de maneira sumária pela editora, fato que o deixou muito rancoroso – só voltaria a desenhar para a Marvel em 2008.

Após a falência da Marvel Comics, na década de 1990, ele voltou a estudar, tirou seu diploma em artes e passou a dar aulas de desenho numa escola.

Herb Trimpe se casou três vezes. Ele se separou de sua primeira esposa (com quem teve uma filha) no início da década de 1970. Em 1972, casou-se com Linda Fite, assistente editorial da Marvel Comics, com quem teve três filhos. Sua última esposa chama-se Patrícia.

Seus três filhos com Linda Fite, Alexander Spurlock, Amelia Fite e Sarah, são membros da banda The Chief Smiles.

Após a tragédia de 11 de setembro, em Nova York, Trimpe passou oito meses no local do ataque, atuando como capelão (um ministro religioso) e ajudando as pessoas a lidar com a morte e a destruição ocorridas no ataque aos prédios do World Trade Center. Posteriormente, ele escreveu um livro sobre essa sua experiência. Seu esforço foi reconhecido em 2002, quando ganhou o Prêmio Humanitário Bob Clampett.

Em 2002, Trimpe também foi agraciado com o prêmio Inkpot.

Ele havia se tornado bispo, pela diocese episcopal de Nova York, em 1991. Além do seu trabalho religioso já mencionado, ele também realizava alguns casamentos durante as convenções de quadrinhos.

Em 2014, o artista recebeu prêmio Hero Initiative Lifetime Achievement Award, durante a cerimônia do Harvey Awards.

Herb Trimpe faleceu em 13 de abril de 2015, aos 75 anos, em Hurley, Nova York, nos Estados Unidos.

O editor-chefe da Marvel Comics, Axel Alonso, disse que nenhum outro artista teve seu nome tão ligado ao Hulk. Para ele, os quadrinhos perderam um gigante.

(Fonte: http://www.universohq.com/noticias – UNIVERSO HQ / Por Sérgio Codespoti – 15 abril, 2015)

(Fonte: http://hq-press.blogspot.com.br/2015/04 – HISTÓRIA QUADRINHOS/ Postado por Adriano de Avance Moreno – 15 de abril de 2015)

Powered by Rock Convert
Share.